3 de ago de 2010

MOTIVAÇÃO: O CARÁTER É formado nas pequenas fidelidades


Posto hoje, mensagem de Márcio Mendes, no programa "Sorrindo pra Vida" da TV Canção Nova.
Nosso coração deseja ser feliz. Jesus dizia que para entender o segredo da felicidade
devemos prestar atenção aos pássaros, que vivem na alegria de cada dia, temos muito o que aprender com eles.
Há um santo que disse: "Nós seremos salvos se vivermos perfeitamente um versículo da Sagrada Escritura." A Palavra de Deus é viva e ao tocarmos em um versículo que seja já estremecemos. A natureza louva ao Pai. Hoje, preciso cantar as maravilhas de Deus, pois Ele está em mim. Santo Agostinho diz que precisamos cantá-las [as maravilhas do Senhor] com a boca, com o coração e com a vida.
Ser fiel no mínimo é algo grande, pois ser fiel nas grandes coisas qualquer um consegue, é algo fácil. Que fidelidade é essa? É nas pequenas fidelidades que o caráter é formado, ser fiel no que é pequeno não é fácil, pois não há o reconhecimento. "Queres ser grande? Comece pelas coisas pequenas" (Santo Agostinho).
É preciso ser fiel nas pequenas coisas para sermos felizes. A felicidade é grande, é a realização, mas é necessário “regar a planta”. Você precisa desejar coisas grandes, mas as espere na Palavra de Deus.
Viver esta Palavra é ter um coração que se deixa ser transformado para Deus. Você já tentou falar bem de alguém que fala mal de você? Não podemos nos igualar pelo mal.
Não há felicidade para quem vive o ódio. O Espírito Santo e o perdão nos lavam, a Palavra de Deus nos garante isso. Entregue-se à vontade de Deus, que Ele lhe entrega como recompensa o Espírito Santo.
As boas obras nascem dos bons pensamentos, das boas intenções. O amor ao inimigo, pelo que ele faz, é masoquismo. Não o amamos por ser inimigo, mas por ser humano, pois foi criado por Deus. Assim rezamos, não para que o Senhor o destrua, mas para que o converta. Amar nosso inimigo é caridade. Muitas religiões afirmam que seremos salvos pela caridade. Mas não é só isso, seremos salvos, pois Deus nos salvou por amor.
A caridade é para todos, amo a quem eu quero bem, mas amo também aquele que precisa de mim, aquele que está longe e até mesmo sem nunca tê-lo encontrado.
Há uma sabedoria que diz: "Se você encontra duas pessoas necessitadas, uma delas é sua conhecida e outra é sua inimiga. Ajude a sua inimiga!" Quando você dá a prioridade a seu inimigo, ele percebe o mal que fez a você e se arrepende.
A cura para o ódio está no amor, em fazer o bem e rezar pelos nossos inimigos. Não devemos usar as mesmas armas contra os nossos inimigos. Não podemos nos deixar governar pela mediocridade, pelos que nos caluniam; devemos rezar por essas pessoas. Comece pensando o bem delas, querendo o bem delas e procure falar bem delas; e o começo da transformação é a oração.
Parar é uma atitude, não discuta com a pessoa que pensa em fazer o mal, pois as consequências talvez não possam ser curadas. Jesus foi morto na cruz por toda a violência.
O marido chega em casa bravo por ter sido "pisoteado" pelo chefe e descarrega na sua esposa e, consequentemente, nos filhos. Não deixe que o mal passe adiante!
A fofoca acontece porque alguém passa algo que ouviu adiante. Mate na própria carne a violência. Destrua as palavras más! Quantas vezes fomos ingratos?
Uma senhora me disse: "Meu marido me deixou, mas meu casamento não é nulo. Não consigo tirar a aliança do dedo, pois o meu compromisso foi com Deus". Se fazemos o bem a quem nos odeia, o fazemos por Deus.
Transcrição e adaptação: Thaís Capucho

Nenhum comentário:

Postar um comentário