14 de ago de 2011

ENTREVISTA DE DOMINGO: Robervani Pierin do Prado

"A advocacia do futuro será uma profissão cada vez mais competitiva e especializada. Com o dinamismo da sociedade como um todo, o mercado se tornou muito competitivo e isso se torna um desafio, principalmente para os novos profissionais. Penso que o atributo do verdadeiro advogado é a atuação com ética e responsabilidade." Esta afirmação vem da experiência de 20 anos de dedicação e profissionalismo do professor doutor Robervani Pierin do Prado. Ele é o homenageado esta semana no BLOG na tradicional ENTREVISTA DE DOMINGO.
Robervani é um dos responsáveis pelo surgimento do primeiro curso de Direito na região Centro-Oeste do Paraná, na Faculdade Integrado, em Campo Mourão. Para ele, "ser advogado e professor são dois sacerdócios. O advogado representa a voz e o apoio a quem precisa, enquanto que o professor é o profissional que pode mudar o futuro de nosso País."
Na homenagem aos advogados, a ENTREVISTA DE DOMINGO conta um pouco da história e trajetória deste janiopolense de nascimento e mourãoense de coração. Uma pessoa simples, humilde, determinada, lutadora e empreendedora, que soube como poucos estabelecer metas e realizar sonhos apoiado na família, sem perder as oportunidades que surgiram em sua vida.
Uma história de um cidadão que fez e faz, que pensa e age pelo bem comum, apaixonado por sua terra e sua gente, e que estudou em escola pública (Colégios Dom Bosco e Estadual). "Desde garoto gostava de filmes que falavam sobre julgamento e comentava com meu pai, a partir daí ele foi meu grande incentivador. Se hoje sou advogado, meu pai foi a razão", lembra emocionado a mais nova Celebridade do BLOG.
Ótima ENTREVISTA DE DOMINGO. Feliz Dia dos Pais.
QUEM É ROBERVANI PIERIN DO PRADO?
Nasci em Janiópolis, distante 40 km de Campo Mourão, Centro-Oeste do Paraná, no dia 17 de abril de 1969.
Sou filho de Erconides Perin e Gabriel Irineu do Prado, irmão de Roberfrank, Robinson, Alessandra e Ionara. Sou casado com Priscilla Paula de Oliveira Prado, e agora, pai de Valentina, com cinco meses de idade. ONDE E COMO FOI SUA INFÂNCIA? Minha infância foi em Campo Mourão, depois em Guaíra e em Assis Chateaubriand, no Paraná. Quando podia gostava de jogar futebol e catar bolinha de tênis para as pessoas que treinavam na Escola (ganhava uma coca-cola e um sanduíche). Mas era difícil porque desde os 8 anos de idade trabalhava na roça catando algodão ou carpindo feijão e na cidade engraxava e vendia sorvete. DESDE QUANDO EM CAMPO MOURÃO? Desde os 2 anos de idade, segundo minha mãe, sendo que entre os meus 8 e 12 anos vivi em Guaíra e Assis Chateaubriand.
ONDE O SENHOR ESTUDOU, QUE CURSOS FEZ? COMO NASCEU SUA VOCAÇÃO PARA O DIREITO? Em geral, sempre estudei em escola pública. Gostaria de registrar que aprendi a ler e escrever no Colégio Dom Bosco, no Lar Paraná, onde morei por muitos anos. Fiz ginásio e ensino médio no Colégio Estadual de Campo Mourão (Imagem abaixo, quando do seu cinquentenaário).
Desde garoto gostava de filmes que falavam sobre julgamento e comentava com meu pai. A partir daí ele foi meu grande incentivador. Se hoje sou advogado, meu pai foi a razão.
Fiz o curso de Direito na Faculdade de Umuarama, especialização na Escola Superior do Ministério Público, Mestrado na UEM (Universidade Estadual de Maringá), estágio em Direito Penal Internacional em Buenos Aires (Capital)e na cidade de Santa Rosa, La Pampa, Argentina.
Trilhar a especialidade em Direito Penal teve dois motivos. Primeiro, porque já gostava, segundo porque fiz estágio com um Juiz de Direito Criminal (Doutor Nicola Frascati), que me ensinou muito e é necessário dizer que se tornou – e digo com muito carinho – meu “segundo pai” e a esposa dele (Dona Alairce) minha “segunda mãe”.
E A MISSÃO DE EDUCADOR, COMO SURGIU? Ilivaldo e leitores, a educação surgiu por um voto de confiança, respectivamente, do Diretor e Coordenador da Faculdade de Umuarama (Professores Osmar Serraglio e Celso Iocohama), que me permitiram lecionar Processo Penal numa turma de 5º ano do curso de Direito, quando havia somente 2 anos que tinha concluído a graduação.
Lecionei na graduação em Direito na Uniparr – Universidade Paranaense- por 10 anos, em Umuarama, e também no campi de Cianorte (coordenava o Estágio Supervisionado).
Trabalho no Integrado (Faculdade Integrado em Campo Mourão), desde a criação da Faculdade. Inicialmente ministrava aulas no curso de Administração e, com a aprovação do curso de Direito, passei a Coordenar e lecionar Direito Penal.
Em cursos de Pós-graduação sou professor de Direito Penal e Processual Penal na UEL (Londrina), UEM (Maringá), Univel (Cascavel), Unipar (Umuarama), FAI (Adamantina, SP), entre outras. Na imagem histórica com a Turma A de 2005, uma das três primeiras do curso de Direito no Integrado.
COMO É O SEU DIA A DIA? Exerço a advocacia e, portanto, o dia a dia é bastante intenso (atender o cliente, fazer audiências, além de preparar as defesas dos casos). Minha rotina também inclui trabalhar aos domingos, o que se tornou uma necessidade dentro da programação que faço. Além disso, tem a coordenação do Curso, que inclui o contato constante com os professores para planejamento e execução de projetos em prol dos acadêmicos, as aulas, aplicação de provas, congressos, audiências e júris simulados, etc... COMO É SER ADVOGADO E PROFESSOR CONCEITUADO EM CAMPO MOURÃO E EM VÁRIAS REGIÕES DO PAÍS? O “advogado e professor conceituado” é gentileza do Ilivaldo, mas acho que ser advogado e professor são dois sacerdócios. O advogado representa a voz, o suporte, o apoio a quem precisa, enquanto que o professor é o profissional que pode mudar o futuro de nosso País. Não vejo um país mais justo, fraterno e solidário, sem que tenhamos uma educação de qualidade. É o único instrumento viável para emancipar os integrantes de uma sociedade que pretende ser democrática.
NO CASO DO CIES, COMO AVALIA ESSA CAMINHADA DE MAIS DE 10 ANOS NO DIREITO E O CONCEITO AVALIADO PELO MEC? Ilivaldo, foi uma caminhada difícil desde a elaboração do projeto, sua aprovação pelo MEC (Ministério da Educação e Cultura) e a implantação. Me sinto bastante feliz por ter feito parte desse projeto. Registro que a principal razão disso foi a confiança da professora Maria da Conceição Montans Baer - na foto, em Londrina, com José Moacir e Wilma Turquino, e Galvão Bueno- ao dizer que eu deveria fazer isso. Me perguntei: mas eu? Será que eu consigo? Sou um simples professor!
Bem, um ano depois, após intenso trabalho junto com a professora doutora Paula M. Pintro foi publicada a portaria de autorização do Curso de Direito. Hoje, após esses dez anos, o sentimento é de felicidade e aprendi que quando se acredita tudo é possível.
A excelente avaliação do curso se deve a um trabalho verdadeiramente INTEGRADO (o apoio da Instituição e o trabalho dos professores com extremo profissionalismo). Em síntese, é um conjunto de fatos, pois, uma andorinha só não faz verão.
QUAIS AS PRINCIPAIS CONQUISTAS NA SUA VIDA DE ADVOGADO E PROFESSOR? Ser útil às pessoas e a sociedade.
É FÁCIL SER ADVOGADO HOJE EM DIA? QUAIS OS ATRIBUTOS PARA SER ADVOGADO DE DESTAQUE? Com o dinamismo da sociedade como um todo, o mercado se tornou muito competitivo e isso se torna um desafio, principalmente para os novos profissionais. Penso que o atributo do verdadeiro advogado é a atuação com ética e responsabilidade. QUAIS AS DIFERENÇAS DE ADVOGADO DE HOJE E DE ANTES, QUANDO O SENHOR SE FORMOU? Um é da geração da máquina de escrever, o outro da internet, skype, MSN, etc... Em suma, acho que a tábua de valores foi substancialmente alterada. Sem querer generalizar, mas o advogado de antes dizia “quem” e o de hoje diz “quanto”.
O QUE O SENHOR JÁ FEZ, QUE SE PUDESSE, JAMAIS TERIA FEITO OU FARIA DE NOVO? Em algumas oportunidades ter dito “não”.
O QUE O SENHOR AINDA NÃO FEZ, QUE SONHA, ALMEJA UM DIA FAZER? Me sinto realizado e não sou ambicioso. Plantei uma árvore, escrevi livros e...depois de um tempão, segundo o Luciano Aires, tive um filho, então, meu sentimento é apenas de continuar trabalhando, ajudar no que eu puder e fazer amigos.
QUAL O SEU ESPORTE PREFERIDO E O TIME DO CORAÇÃO? Meu esporte preferido é futebol (embora não esteja praticando). Além disso, gosto muito de kart e assistir a jogos de tênis. Meu time é o Atlético Paranaense....por enquanto, encaminhado para a segundona, mas vamos escapar. COMO O SENHOR ANALISA E PREVÊ O FUTURO DA ADVOCACIA NO BRASIL E QUANTOS FORMANDOS O CIES JÁ TEVE NO DIREITO? Penso que o futuro da advocacia será uma profissão cada vez mais competitiva e especializada (novas áreas de atuação tem surgido).
Ilivaldo, no curso de Direito já se formaram mais 400 bacharéis, mas não temos o número de quantos exercem a profissão, pois, se perde o contato, inclusive, temos conhecimento de que muitos foram atuar em outros estados da Federação (Mato Grosso, Pará, Rondônia, etc).
De igual modo, não temos estatística de quantos foram aprovados, porque eles podem prestar em qualquer lugar e não há como acompanhar, porém, é possível afirmar que mais de 50% (cinqüenta por cento). Destaco que uma parte dos que se formam não tem interesse em fazer o Exame.
O SENHOR É FAVORÁVEL AO EXAME DE ORDEM. POR QUÊ? Sou um defensor intransigente do Exame de Ordem e fico decepcionado quando vejo dirigentes de Instituições se levantarem contra isso. O Exame afere condições básicas para o exercício desse munus e auxilia a proteger a sociedade em virtude das conseqüências podem advir de um preparo deficiente do profissional da área jurídica. A propósito, entende que o exame de suficiência deveria existir em todas as profissões.
COMO O SENHOR ANALISA O CENÁRIO ATUAL BRASILEIRO COM "ENXURRADA" DE CORRUPÇÃO E A INÉRCIA DA MAIORIA DOS POLÍTICOS? Ilivaldo, pra mim isso é maior problema na sociedade atual. Aqueles que devem dar o exemplo fazer o contrário, ou seja, é lamentável porque só gera danos e atrasa nosso desenvolvimento. Sem dúvida, é nosso maior problema e uma ameaça à democracia. Nossos políticos deveriam se inspirar em Graciliano Ramos, conhecido como poeta, mas grande administrador público (ex-prefeito de Palmeira dos Índios-AL).
VAPT-VUPT
ÉTICA EM UMA FRASE É...
respeitar o outro
SER ADVOGADO É... uma vocação, um chamado.
ADVOCACIA É ..exercer essa vocação com dignidade.
POLÍTICA É... necessária, mas não como em geral tem sido feita atualmente no Brasil.
CITE TRÊS PERSONALIDADES ESPORTIVAS DE CAMPO MOURÃO? Ari Mateus, Itamar Tagliari. CITE TRÊS PERSONALIDADES MOURÃOENSES? Milton Luiz Pereira (foto), José Aroldo Galassini e Tauillo Tezelli.
CAMPO MOURÃO DO PRESENTE É ...menos do que poderia ser. A CAMPO MOURÃO DO FUTURO SERÁ...espero que melhor.
GOVERNO NELSON TURECK...frustrante (bem menos do que a expectativa que criou na população).
GOVERNO BETO RICHA... seguramente promete uma administração mais técnica e equilibrada.
GOVERNO DILMA... por enquanto uma expectativa.
COMIDA... MACARRONADA (com muito molho)
MÚSICA... Suspicious Minds (Elvis Presley).
UM FATO INESQUECÍVEL... o nascimento de minha filha Valentina.
UM FATO MARCANTE... infelizmente a dolorosa perda de meu pai.
UM SONHO: Uma sociedade menos desigual. Na imagem, a turma A 2005 do curso de Direito do CIES. Uma das três primeiras turmas de acadêmicos na história do curso de Direito no Centro-Oeste do Paraná.
QUAL PERGUNTA GOSTARIA DE TER RESPONDIDO E NÃO LHE FOI PERGUNTADO NESTA ENTREVISTA DE DOMINGO? Gostei de todas as perguntas e foram bem abrangentes. Meu sentimento é de gratidão a você Ilivaldo, aliás, aproveito para externar que abomino a ingratidão. Não há nada pior do que uma pessoa desprezar/desconsiderar o que outra fez por ela. A ingratidão revela insensibidade, mesquinhez e só ajudar a destruir o caráter com as virtudes que se deve ter.
Em qualquer atitude do próximo podemos enxergar um ato de apoio, solidariedade, incentivo. Bastar ter “coração” pra que isso aconteça (em minha mente trago um exemplo vivo disso: quando do falecimento de meu pai – uma palmeirense daqueles – a primeira pessoa que chegou a velório com uma serenidade incrível e solidariedade confortante foi o Ilivaldo).
Enfim, copiando Shakespeare “não importa o que se tem na vida, mas quem você tem na vida”.Da direita para à esquerda, no estúdio 01 da Rádio Colméia no programa Tocando de Primeira, edição 938 no sábado 13 de agosto de 2011: Robervani Prado, Maycon Gozer, Miguel Abudi Júnior e Rosney Massarotto de Oliveira.
QUAL O SEU RECADO AOS LEITORES DESSA ENTREVISTA DE DOMINGO? Que não desistam de seus sonhos e, acima de tudo, valorizem a família (onde tudo começa), porque, como disse Fernando Pessoa “tudo vale a pena quando a alma não é pequena”.

3 comentários:

  1. Muito bacana suahistória, Robervani, fui seu professor no Col. Estadual. E hoje sou seu fã.

    ResponderExcluir
  2. Caro Ilivaldo,
    Parabens pela entrevista, sou um admirador do Prof.Dr.Robervani, por isso li com atenção e carinho. Bela história e um exemplo de determinação, fé, luta, persitencia. Que Deus o ilumine sempre. abçs Jairo Padilha

    ResponderExcluir
  3. Robervani sua vida é um exemplo para todos nós, advogados. Você começou de baixo e venceu! Felicidades!!!

    ResponderExcluir