12 de jul de 2009

ENTREVISTA DE DOMINGO com Getúlio Ferrari Júnior


O homenageado desta ENTREVISTA DE DOMINGO é Getúlio Ferrari Júnior, o "Getulinho", mourãoense de nascimento. Idealizador dos Jogos Interclubes e secretário de Esportes por várias gestões nas últimas administrações municipais, Getulinho destaca como um dos momentos marcantes na sua atuação na vida pública a conquista de Campo Mourão nos Jogos Abertos do Paraná em 2000.
Ele conta um pouco da sua trajetória e da importância do esporte na sua vida, bem como avalia a retomada do ginasião Belin Carolo e lamenta não ter construído nas gestões em que participou um ginásio de esportes na cidade.
Getulinho relembra os bons tempos do salonismo mourãoense com equipes de ponta e vibra com o título do futsal nos Jap´s de 1988 em Guarapuava.
Uma boa leitura a todos, um excelente domingo e uma ótima semana.
Quem é Getúlio Ferrari Júnior?
Nasci em Campo Mourão no dia 20 de outubro de 1961, na Santa Casa, a qual, quando prefeito em exercício, tive o prazer de inaugurar suas novas instalações, com muito orgulho.
Sou casado, desde 1982, com a Ione Riva Ferrari e pai do Thiago, formado em Publicidade, e da Francine, formanda em Psicologia.
Getulinho ao lado dos seus pais e irmãos
O apelido de "Getulinho" foi praticamente instituído pelo Rubens Bueno, pois foi quando entrei na política é que começaram a me chamar efetivamente assim, em função de que meu pai, também na política, se chamava Getulio. Meu apelido familiar é Nenê.
Ao lado da esposa e filhos, e também dos seus pais
Onde o senhor estudou e iniciou sua vida profissional, e o faz hoje?
Estudei em Campo Mourão, no Colégios Marechal Rondon, 10 de Outubro do Professor Jader e no Afirmativo. Fui para Curitiba estudar no Internato Paranaense, fiz Faculdade de Zootecnia na UEM, em Maringá, e Administração em Comércio Exterior no CIES. Comecei a trabalhar com o meu pai na pecuária em 1980 e na agricultura em 1981, onde trabalho até hoje, só que agora o nome é mais chique e se chama "Agronegócio", portanto, hoje sou empresário do Agronegócio.
Como foi seu início no esporte?
Pratico esporte praticamente desde que nasci, em Campo Mourão, já joguei nas seleções municipais de basquete, vôlei, handebol, futebol de campo, futsal , pratiquei atletismo e até natação, e joguei Jogos Universitários Paranaense e Brasileiros (handebol e futsal); fui campeão amador no futebol de campo e no antigo futebol de salão várias vezes e, posso dizer com orgulho, que a maioria dos meus amigos vem do esporte e das várias modalidades que pratiquei.
Na Seleção de voleibol mourãoense em 1975
Getulinho e o time de volei do Afirmativo, ao lado do Prof. Gilmar e esposa Elza
Como dirigente iniciei em 1993, a convite do então prefeito Rubens Bueno para assumir a Secretaria Municipal de Esportes, após ter sido diretor de esportes do Clube 10, na gestão do Celso Ferrari, criando, por iniciativa, os Jogos Interclubes de Campo Mourão junto com o Adionir Ramos - foto - José Tomadon, Gilmar Fuzeto, Beline Fuzeto, Artur Kunioshi, Ione Sartor, Rancho Capato, Vicente Mignoso e Celso Ferrari.
Na Secretaria de Esportes fiquei por 3 gestões, fui presidente da primeira comissão estadual de Secretários de Esportes e, como Secretário Municipal, com minha equipe, e aqui quero citar Jair Grasso, Carlos Koch, o "Carlão", Márcia Tomadon, Renato Arruda do Nascimento, Sivana Casali, Silvia , Gika, Toninho Miranda, Edílson e todos os funcionários e técnicos da Fecam, bem como os colaboradores que organizaram as fases finais dos Jojups, dos Jap´s e dos Jab´s por mais de uma vez, sempre com grande sucesso.
Qual é o seu esporte preferido, o time do coração e o maior ídolo?
Meu esporte preferido é o basquete, mas o que ainda pratico é o futebol. Não sou fanático mas torço sempre para o Santos e o Atlético Paranaense e o grande ídolo é o Pelé, sem dúvida, e, no basquete, o Oscar.
O que o Senhor não fez que ainda gostaria de fazer?
O que faltou fazer foi construir um bom ginásio de esportes, afinal, em nossa gestão foi criada a Lei de Incentivo, fomos campeões dos Jogos Abertos e consolidamos Campo Mourão no Cenário Esportivo Estadual. Fizemos vários campos de futebol em nossa cidade bem como vários eventos esportivos e recreativos.
Qual a comparação na área esportiva da gestão atual em relação as gestões anteriores da qual o senhor participou?
Fui secretário de Esportes e presidente da Fecam por três gestões e não posso comparar nenhuma delas entre si, pois cada uma foi singular. Ilivaldo, quanto mais comparar com a administração atual, que também tem sua singularidade. Cada um a seu tempo faz a sua história, e da melhor maneira que pode, sempre.
O que significa a reforma do ginasião Belin Carolo e porque ela não aconteceu quando o senhor foi secretário de Esportes?
Infelizmente, o Esporte, de uma forma geral, ainda não é visto como uma boa forma de se divulgar um produto ou uma empresa, quanto mais em uma cidade menor. Mas, mesmo assim, conseguimos sempre a participação do empresariado mourãoense nas atividades da Fecam e agora, com a Lei de Incentivo, as coisas ficaram um pouco mais fáceis, porém, a que se fazer ainda muitas idas e vindas a sala de uma empresa para se conseguir um apoio ou patrocínio. Nossos técnicos é que sabem bem disso e aqui quero fazer um parênteses para falar de nossos técnicos esportivos. Campo Mourão é uma das cidades que tem um dos melhores, se não o melhor quadro de técnicos do Paraná. Eles são formidáveis e é por isso que sempre estamos entre os melhores, apesar de sermos pequenos.
Equipe do Clube 10 disputando campeonato no ginasião Belin Carolo
A reforma do Ginasião significa o resgate de um dos nossos maiores ícones, e não pense vocês que não perdi várias noites de sono e várias viagens atrás de patrocínio para reformar aquela estrutura. Uma vez meu pai teve atuação marcante na sua construção, pois era presidente da Codusa quando ele foi construído e me lembro bem, quando criança das vezes em que fui com ele até a obra. E fico muito contente por ver que, como temos visto, estão conseguindo enfim o dinheiro para a sua reforma que, diga-se de passagem, não irá ser fácil e barato, mas é um sonho que deve-se correr atrás dele. Espero realmente que aconteça.
Na sua opinião como está o esporte mourãoense atualmente?
Ilivaldo, o que eu sei é o que eu vejo pela imprensa. Quando sai da administração municipal eu me afastei de tudo, então não posso fazer um exercício de juízo, mas acredito que estão fazendo o melhor que podem e torço pra isso.
O senhor pensa em voltar a vida pública disputando algum cargo eletivo? Não, acredito que já dei minha contribuição para o Município, mas na vida a única certeza absoluta é a morte, e, algumas vezes, aquilo que a gente pensa não é exatamente aquilo que acontece. Mas tem muita gente boa ai que pode ser aproveitada.
Caso o senhor fosse prefeito de Campo Mourão, quais seriam seus projetos englobando o esporte e a cidadania?
Ilivaldo, sinceramente, não penso nisso, até porque não tenho essa intenção. Hoje o que eu penso é como aumentar a produtividade da minha propriedade e como melhorar a vida das pessoas que estão a minha volta. E no esporte, só penso em jogar a minha bolinha lá no Clube dos 30 e se acontecer, e eu acho muito difícil, de estar envolvido novamente, voltarei a falar sobre isso.
Ética em uma frase é.... fazer aquilo que você gostaria que fizessem à você, sempre.
Ser mourãoense é ..... uma dádiva de Deus, como a própria vida.
Política é..... desgastante, intrigante e um desafio, sempre.
O governo Nelson Tureck é.... populista, esperançoso e envolvente.
O governo do Tauillo foi .... organizado, transformador e realizador.
O governo Lula é.... o mais populista do Mundo, que, a seu modo, vem dando certo, apesar da corrupção instalada e escancarada.
O que o senhor mais gosta em Campo Mourão?
Das pessoas...as pessoas em Campo Mourão são especiais. È isso, e sempre foi, que faz com que essa cidade siga em frente sempre, apesar das dificuldades. Baile Country no 10: inovação e criatividade
O senhor acredita que até o final da gestão atual sairá um novo ginásio conforme prometido pelo prefeito Tureck?
Não, não acredito, porque as outras prioridades não deixaram que isso aconteça, embora eu torça para que isso aconteça. Tomará que o Nelson faça eu morder minha língua, mas, sinceramente, não acredito.
Poderia citar e partilhar alguns fatos pitorescos que já viveu como atleta e dirigente?
São tantas as coisas vividas como atleta...os WO´s que levamos nos Jogos Abertos, e não foi só um; a viagem a Paranavaí para jogar um jogo que era no outro dia; as expulsões engraçadas; o assalto à panificadora; a falta do uniforme para jogar; os trotes; as viagens, enfim, tantas coisas e todas muito especiais que realmente dá para escrever um bom livro de estórias.
Como dirigente, o fato mais inusitado e que dificilmente qualquer dirigente de Campo Mourão irá realizar novamente, sem dúvida alguma, foi a conquista do titulo de Campeão Geral ao Município de Campo Mourão dos Jogos Abertos do Paraná em 2000, quando fui eleito vice-prefeito junto com o Tauillo.
No ultimo Comício nosso, e naquela época se faziam bons comícios, no centro de nossa cidade, no palanque, quando fui falar, e era o dia do encerramento dos Jogos sendo realizados aqui em Campo Mourão, pude anunciar a população que tínhamos acabado de ser aclamados Campeões pela Paraná Esporte. Realmente foi um dia muito especial.
Cite três personalidades esportivas de Campo Mourão? E quem é destaque hoje?
Jair Grasso, Gilmar Fuzeto- foto - e Itamar Tagliari, e, me permita, citar ainda o Beline Fuzeto. Essas quatro pessoas sempre me serviram de inspiração e de modelo na atividade esportiva, seja pela organização, tradição, garra ou pelos bons exemplos que sempre deixaram.
E quem é destaque hoje pelo trabalho que faz, sem desmerecer ninguém, sem dúvida é o China (Edson Hirata) e o seu basquete.
Cite três personalidades mourãoenses? Dr. Aroldo Galassini, Dr. Rui Cruz e minha mãe, Dona Lílian Ferrari.
Cite três políticos de destaque Meu pai (Getulio Ferrari), o eterno Dr. Milton Luis Pereira e o transformador Rubens Bueno.
A Campo Mourão do presente é uma cidade conservadora, com problemas, é claro, mas com um povo bom e acolhedor , que pode ajudar a resolver seus problemas, e que é um lugar muito bom para se viver. É uma cidade promissora e que vem crescendo, com um problema muito grave na área de segurança pública, que é o principal coisa a ser resolvida, com uma atitude firme e decidida pelo Prefeito e sua equipe, em parceria com o Estado, porém eu acho que esta é a melhor cidade do mundo, pois sou daqui e é aqui que vou sempre viver.
A Campo Mourão do futuro será muito interessante se os investimentos em Educação continuarem a acontecer, tornando essa cidade no que ela realmente deve ser, uma cidade Escola com força regional. A conquista do Cefet pelo Rubens Bueno, a Fecilcam construindo seu Campus Universitário, o Integrado crescendo cada vez mais, A Santa Casa se consolidando como um Hospital regional e se os investimentos na Agroindústria acontecerem, tem tudo para fazer de nossa cidade um excelente lugar para se viver, cada vez mais.
Qual foi o melhor time em que o senhor já jogou?
Foram tantas as equipes, a Fertimourão, a Arcam, a Joper, o Bariri, a Mourãoense, o Becari, o Tagliari. Mas acho que posso escolher aquele time de 1988, ao lado do Xaxo, Beline, Tuim, Batata, Luisinho, Tiao, Renan, Ticão, Silvio, Dealmir, Davi - time que foi campeão dos Jogos Abertos do Paraná em Guarapuava, quando ganhamos de Londrina na final, em uma época de ouro dessa competição. Esse time dava orgulho de jogar.

Bariri Esporte Clube (BEC) do saudoso José Carlos Galbier
Equipe da Joper comandada pelo Joaquim Ovídio "In memorian"
Quais os títulos que não saem da sua memória?
Campeão Universitário Paranaense no Handebol pela UEM em 1980; Campeão Universitário no Futsal pela UEM em 1982; Campeão dos JAPs no futsal em 1988 e campeão geral dos JAPs em 2000 por Campo Mourão; e como dirigente foram os títulos do handebol que ganhou varias vezes; aquele título da equipe do China em 2001 que tinha o Graveto, enfim, vários; o título do Handebol da equipe da Márcia Tomadon.
Bons tempos do Carnaval no Clube 10 em CM
Qual o seu recado aos leitores do BLOG DO ILIVALDO DUARTE?
Nada é por acaso, tudo na vida da gente tem um propósito designado por Deus, portanto não se omita nunca de realizar aquilo que lhe foi predestinado, e quando for realizar, de o melhor de si pois pode ser que você não tenha uma nova oportunidade para isso.
E, lembre-se sempre: “Nada é tão longe que não possa se chegar lá, basta começar o caminho.” Ilivaldo, essa frase é minha, anota ai. Abraços e muito sucesso a todos.

4 comentários:

  1. Parabéns Ilivaldo pela entrevista.
    O Getúlio merece esta homenagem e os mourãoenses merecem saber um pouco do muito que ele fez pelo esporte de Campo Mourão. Inclusive ele foi um dos secretários que me forçou a mudar de opinião, pois eu entendia que sempre deveria ser um Profissional da Educação Física, e ele provou que com força política, habilidade para administrar conflitos(e nisso ele é muito bom)e capacidade administrativa, principalmente para montar uma equipe de técnicos capazes e competentes, não é necessário ser profissional da área para fazer um ótimo trabalho como ele fez.
    Tantas foram as suas ações que ele esqueceu de citar um dos projetos que eu considero muito importante e que inciaram uma nova era em Campo Mourão na questão de captação de recursos e apoio para o esporte mourãoense, que foi o PROJETO EMPRESA NO ESPORTE, criado na sua primeira gestão como secretário de esportes, Rubens Bueno prefeito, e que perdura até hoje, dando inclusive subsídios e base para criação da atual Lei de Incentivo ao Esporte.
    Tive o privilégio de trabalhar com ele durante 2 gestões e posso dizer que aprendi muito em todos os aspectos, mas principalmente que devemos acreditar e ousar. Ele sempre estava criando e ousando em seus projetos e se não fez mais é porque realmente não foi possível.
    Também é uma pessoa que tem muito tato no trato com as pessoas, não pensava 2 vezes em botar a mão na massa quando precisava, mas soube liderar e comandar como ninguém, uma equipe de técnicos e profissionais, que como ele mesmo disse, foi e continua sendo uma das melhores do Paraná.
    Valeu Getúlio, parabéns pelo que você fez por e para Campo Mourão como atleta, dirigente, político, mas acima de tudo como ser humano, que soube lidar com as diferenças num meio em que elas são tão evidentes.
    Um abraço
    Carlão

    ResponderExcluir
  2. Parabéns Ilivaldo excelente entrevista com o Getulinho, Campo Mourão tem varias pessoas que contribuiu e contribui com o esporte mourãoense e o Getulinho é uma délas.

    Sebastião Galdino

    ResponderExcluir
  3. O Getúlio é meu melhor amigo desde 1920 (rsrs), quando disputávamos qualquer campeonato em qualquer modalidade. Desde sempre ele foi um líder-nato estando à frente de tudo que se relcionasse à organização ou trabalho em equipe. Fazemos aniversário no mesmo dia e mesmo à distância sempre comemorei suas conquistas no campo político, onde ele ocupa uma posição de destaque mesmo não atuando diretamente das decisões da cidade. Se ele ainda não possui o título, algum vereador já deveria ter indicado seu nome para "Cidadão Benemérito" da cidade. Parabéns pela entrevista e pela justa homenagem ao Getulinho. Ricardo Alípio (Bruca)

    ResponderExcluir
  4. Eu tive o prazer de ver muitos jogos quando criança ,quando morei em CM,de 85 a 87,meu tio Ticao jogou na joper,fertimourao e muitos outros,bons tempos de ginasio lotados.

    ResponderExcluir