28 de ago de 2013

COLUNA DE AINOR LOTÉRIO: Como fazer uma feliz idade

No passado, um passado ainda do meu tempo (estou com 52 anos, mas penso chegar a 127), via-se as pessoas esconderem a idade, querendo parecer sempre mais novas do que aparentavam.
Hoje, um número cada vez maior de pessoas vive mais do que antes, aproximando-se cada vez mais do tempo máximo de vida. Essa expectativa de vida varia segundo a época e o lugar onde se vive, porém, cada indivíduo pode fazer a sua parte, que é exclusivamente sua, do seu poder interior.
Além de evitarmos o sedentarismo, a má alimentação, os relacionamentos doentios, enfim, a boa condução da saúde e dos relacionamentos contribui decisivamente para uma vida longa e com qualidade. Pode-se dizer ainda que a alegria de viver todos os dias que recebemos nos dá a possibilidade de obtermos mais anos para a nossa vida.
Precisamos encarar a velhice como uma etapa da vida que faz parte do processo de envelhecimento.  Por isso tratar o envelhecimento como doença ou problema é desencadear uma aversão a se tornar velho. O envelhecimento é um processo natural e contínuo, que deve ser aceito com orgulho saudável e sabedoria. Afinal, a única maneira de não morrer cedo é saber viver e se cuidar. E quem não gostar da ideia ou da idade só tem uma saída: aceitar viver pouco.
Tenho notado nas pessoas que vivem muitos anos que há uma atitude muito simples que pode fazer grande diferença, que é a aceitação da própria idade. Como dizia o filósofo romano Marcus Tullius Cicero,  "Somente os idiotas se lamentam em envelhecer."
Meu conselho: DIGA SIM À IDADE QUE VOCÊ TEM. Ainda mais, se for para não falar o número exato dos anos que você tem que seja para mais e não para menos. Faça com que as pessoas ao ouvirem sua idade digam: “o que você colocou aí dentro que está tão bem por fora?”.
Quem colocou do lado de dentro pensamentos de qualidade, sentimentos de qualidade, relacionamentos de qualidade, alimentos de qualidade e movimentos de qualidade, certamente, está tendo agora, e ainda mais adiante, uma FELIZ IDADE. E a FELIZ IDADE é aquela que fazemos e não necessariamente a mais velha. Por isso, quem faz feliz idade agora terá feliz idade depois. FELICIDADE a todos e uma LONGA E FELIZ IDADE a quem fizer por merecer!
*Engº agrônomo, Psicopedagogo, M.Sc, Palestrante – www.ainor.com.br; contato@ainor.com.br e (47)3365-0264


Nenhum comentário:

Postar um comentário