23 de jun de 2012

PERFIL: PADRE ZEZINHO, sacerdote católico, educador, comunicador e pregador


José Fernandes de Oliveira nasceu em l941. É sacerdote católico, educador e pregador. Conhecido como  Padre Zezinho, SCJ, é sacerdote Dehoniano, missionário. Tem presença forte na Pastoral de Juventude, Pastoral Vocacional, Catequese e Pastoral da Comunicação, Mídia Católica.
Entre suas atividades é sacerdote, professor de comunicação, pregador, escritor, compositor, radialista, produtor e diretor de televisão, colunista de jornal, compositor, conferencista, orientador de jovens e artistas cristãos, descobridor de talentos, criador de métodos de comunicação na Igreja Católica, teórico e pesquisador de comunicação religiosa.
Tem mais 300 títulos (obras) sobre diversos temas: Catequese de Atitudes, Igreja-Hoje, Catolicismo-Agora, Adolescência, Pais e Filhos, Família, Dor e Esperança, Educação para o diálogo, Educação para a democracia, Educação para a paz, Libertação, Ecumenismo, Púlpito e Pregação. É o conteúdo básico de seus escritos.
Seu caminho tem sido a psicopedagogia da fé. Desenvolveu em mais de 80 livros, pequenos e volumosos, a catequese de atitudes na linha do “e então?” “e agora?” “e depois?”. Diz que escreve para levar a “pensar como Jesus pensou” porque cristão que não pensa acaba dando o que pensar…
Das suas mais de 1,500 canções e dos cerca de 120 Cd´s cantados e falados afirma: Não sou padre porque canto: canto porque sou padre! É um serviço que farei enquanto a Igreja ainda precisar de minha voz. Mas se, um dia, parar de cantar ou escrever, pode ter certeza que saberei o que fazer. Nem a canção nem o livro fazem o padre: é o padre quem os faz… Escritor ou cantor são dois adjetivos que não tornam um padre católico ou um pastor evangélico melhor do que os seus colegas. Além da possível fama ele ainda terá que provar que é um bom sacerdote!
Há 45 anos é um dos autores católicos mais lidos e cantados do Brasil e do mundo. Autor de mais de 300 obras, entre livros, Cd`s, e vídeos; colaborador de mais de 50 revistas e jornais católicos, aceito por outras igrejas, conhecido em vários países, um dos pregadores cristãos mais reconhecidos do Brasil, seu apelido carinhoso é PADRE ZEZINHO SCJ, mística da pequenez que assumiu já nos primeiros anos de padre e seu nome é JOSÉ FERNANDES DE OLIVEIRA.
Mineiro de Machado MG; crescido em Taubaté, SP, estudou filosofia em Santa Catarina e Teologia nos Estados Unidos. Em fins dos anos 60 e inícios dos anos 70 deu impulso a uma forma de comunicação que em muitos lugares mudou o jeito de evangelizar os jovens. Agregava doutrina e arte. Hoje ele é reconhecidamente apontado como um dos catequistas e comunicadores de grande impacto nos últimos 40 anos no Brasil.
Ele foge de títulos e adjetivos. Tem sua visão pessoal de marketing e condena o excesso de auto-exposição e de protagonismo do sacerdote. Diz que a mídia é como o sol da manhã. Bronzeia e queima. Quem se expõe demais aos holofotes da mídia lembra o sujeito que ficou demais na praia. Nãos e protegeu e queimou-se.
Insiste que é mais Amós e Oséias do que Isaias e Jeremias. Cantar e escrever são profecias menores, diz ele. Mas certamente ajudam os grandes profetas e grandes pensadores a chegar ao povo.
Define-se como o entregador de jóias ou de pizzas. No mundo há uma ciência chamada “logística”. Armazena e faz chegar no tempo certo e sem danos ao produto. Na Igreja há uma ciência chamada catequese que repercute através dos mais diversos meios de comunicação e cuja tarefa é fazer chegar ao povo de Deus, sobretudo aos mais simples, a mensagem católica, sem arranhões e sem personalismos exagerados. Brinca dizendo que há carteiros que ao invés de entregar a mensagem dos outros entregam a própria biografia. Esqueceram o que é ser carteiro. E sentencia: Quando o mensageiro se torna maior do que a mensagem alguma coisa está errada naquela forma de marketing.

Nenhum comentário:

Postar um comentário