27 de ago de 2016

ENTREVISTA DE DOMINGO Maria da Conceição Montans Baer

 "Eu acredito no trabalho que procura inserir o desenvolvimento na comunidade. Ao longo desses 30 anos do grupo Integrado e dos 15 anos do curso de Direito sempre buscamos a formação de bons profissionais e estamos felizes com os resultados da formação antes de tudo de cidadãos", afirma a procopense Maria da Conceição Montans Baer, homenageada este mês na ENTREVISTA DE DOMINGO no BLOG DO ILIVALDO DUARTE. 
Formada em psicologia, ela lecionou a disciplina por oito anos na Fecilcam (atual Unespar) e aula de Teoria de Ballet na Casa da Cultura. Desde 1986, participou da construção do Colégio Integrado e, posteriormente, em 1997/1998, da implementação da Faculdade Integrado, sendo sócia-fundadora do Grupo Integrado.
Ela conta um pouco da sua história e do orgulho em ter participado da construção do grupo Integrado. "Sinto-me muito realizada por participar dessa história. É uma sensação de dever cumprido, um sentimento de que sempre vale a pena seguir um caminho verdadeiro. É muito bom."
Mas como definir a homenageada? Amigos e colaboradores a definem como "Grande empresária, empreendedora, educadora e visionária, excelente profissional, pessoa fantástica; mulher de admirável caráter, personalidade e profissionalismo que tanto tem contribuído para o desenvolvimento econômico, social, cultural e científico da região. Ou simplesmente, professora"
Uma ótima leitura e parabéns a todos - diretores, professores, funcionários , alunos e comunidade, pelos 15 anos do curso de Direito em Campo Mourão.







QUEM É MARIA DA CONCEIÇÃO MONTANS BAER? Nasci em 22 de abril de 1953, em Cornélio Procópio. Sou filha de Paulo Pimenta Montans e Clarice Peres Montans. Casei com Henning Erich Baer em 1982 e tenho três filhos -Berta Montans Baer Duch, Pedro Henrique Montans Baer e Gustavo Montans Baer.
COMO SE DEFINE? Nunca pensei em como me definir. Eu sempre procurei ser justa, verdadeira e acreditar em tudo o que faço.

ONDE E COMO FOI A SUA INFÂNCIA? Minha infância foi em Cornélio Procópio (PR), onde nasci e morei até os 16 anos. Foi uma infância tranquila, com os meus familiares, muitas brincadeiras e em contato com a natureza. 

No entanto, as responsabilidades e os deveres não eram deixados de lado. Meus pais sempre foram muito presentes e preocupados com a educação dos filhos.

COMO FOI A SUA JUVENTUDE E QUE HISTÓRIAS LEMBRA? Minha juventude também foi em Cornélio Procópio. Aos 16 anos, fui fazer o Ensino Médio em Curitiba. Posteriormente, fui para Ribeirão Preto, onde permaneci até entrar no curso de Psicologia da Universidade São Francisco. Ao final do curso, mudei para São Paulo (Capital) e fiz especialização e pós-graduação. O período da faculdade foi muito importante, tanto na formação profissional como na construção de amizades que cultivo até hoje.
DESDE QUANDO EM CAMPO MOURÃO? Me casei em 1982 e vim para Campo Mourão, pois o Henning - meu marido- tinha propriedade e residia aqui. Meu pai era produtor rural na região e, por isso, eu já conhecia a cidade. 
COMO FOI E ONDE SUA TRAJETÓRIA PROFISSIONAL? Como profissional formada em Psicologia, comecei atuando na cidade de Itatiba (foto). Trabalhei na área organizacional da Fabril Scavone (empresa do setor têxtil) e também em clínica. 
Assim que me formei, fui chamada para substituir uma professora na disciplina de Psicologia Escolar na própria Faculdade e também recebi convite para trabalhar na Escola Morumbi, em São Paulo, onde realizei o estágio curricular. Foi um período muito corrido e de intenso aprendizado. Nessa mesma época, iniciei o mestrado em Psicologia Escolar na Universidade Metodista, a especialização em Terapia Psicomotora no Instituto Sedes Sapientia e, além da especialização em Técnicas Projetivas no Instituto Pieron, em São Paulo. Trabalhava e estudava muito, mas estava realizada. Sempre digo que trabalho não falta quando você se dedica em aprender sempre. Dei aulas na Universidade Paulista, hoje UNIP, e também na
Universidade Sagrado Coração (USC), em Bauru, cidade onde eu tinha uma clínica com algumas amigas e um hotel para crianças.]
Quando vim para Campo Mourão, em 1982, dei aula de Psicologia por oito anos na Fecilcam (atual Unespar) e aula de Teoria de Ballet na Casa da Cultura. 
Desde 1986 participo da construção do Colégio Integrado e, posteriormente, em 1997/1998, da implementação da Faculdade Integrado. Sou sócia-fundadora do Grupo Integrado.
O QUE FEZ NO SEU TRABALHO QUE NÃO FARIA DE NOVO? Não me arrependo do que fiz ou do que faço no meu trabalho, procuro ser profissional.
COMO É SUA ATUAÇÃO NA COMUNIDADE? Eu acredito no trabalho que procura inserir o desenvolvimento na
comunidade. Nossos projetos atingem um número muito grande de pessoas. O importante é fazer bem feito e não pensar somente no momento. Precisamos refletir de forma dinâmica e evolutiva. Dar condições para que a sociedade se beneficie do seu projeto, principalmente quando se trata de educação. - abaixo, imagem dos Jogos Universitários no Integrado.
COMO ENTROU A EDUCAÇÃO E A PSICOLOGIA EM SUA VIDA? Entrei na Psicologia um pouco imatura. Em 1973, os cursos superiores eram raros e haviam poucas Faculdades. Queria fazer Agronomia e fui desaconselhada, pois, naquela época, era uma profissão mais voltada para homens. Pura bobagem! Não tendo muita opção, optei por Psicologia e gostei bastante. Acredito que é um curso que
todos deveriam fazer, pois nos auxilia para a vida em muitos aspectos. A educação veio como uma consequência da Psicologia. Meus pais também sempre deram muita importância para a educação.
QUAIS, ENTRE TANTAS EXPERIÊNCIAS, NÃO SAEM DA MEMÓRIA? Não tenho uma experiência profissional específica, acredito que todas foram igualmente importantes para a minha formação. No entanto, há uma experiência pessoal maravilhosa em minha vida: ser mãe de três filhos e ser avó do Mathias.
COMO ENTROU PARA O GRUPO INTEGRADO? COMO FOI ESTA HISTÓRIA? Eu já estava presente na primeira reunião, que foi na antiga sede da Associação Comercial. Ali, tivemos vários encontros até formar o grupo fundador, com 50 pessoas. Eu sempre afirmo que foi um dos projetos mais dignos que já participei. Todos trabalhavam em suas diversas atividades profissionais e, no final de cada dia, após o expediente de trabalho, nos reuníamos para discutir a educação em Campo Mourão. Todos voluntários. Eram pessoas frequentes nas reuniões - Delordes Daleffe,  Aroldo Gallassini, Toshiharu Hiroqui, Dilmar Daleffe, Sérgio Rebeis, Joaquim Peres Montans, Henning Erich Baer, Jintaro Ikeda, Orlando Bedin, Luciano Aires, Teófilo Boiko e Nelson Teodoro.
Liderado pelo seo  Aroldo Gallassini, o grupo foi aumentando até chegarmos em 50 pessoas. Abaixo, imagens da construção do Integrado e da primeira Associação de Pais, Mestres e Amigos do Integrado.


Em 10 de outubro de 1986, fechamos o grupo e assinamos o contrato social. Estava formado o Grupo Educacional Integrado. Fizemos uma chamada de capital para a compra
do antigo Colégio Afirmativo. É interessante registrar que o nome Integrado foi uma sugestão do Dilmar Daleffe (foto), que disse na época: “Precisamos dar um nome que dê uma conotação de união, de algo que mostre nossa integração”. A palavra integração soou muito forte e todos aprovaram Integrado, Grupo Integrado.
COMO SURGIU O CURSO DE DIREITO EM CAMPO MOURÃO? O Colégio Integrado tinha o curso supletivo que funcionava no período noturno. No meio da década de 90, surgiu o supletivo na rede pública, e a debandada dos alunos foi grande, logo, à noite, estávamos com as dependências do colégio vazias. O Grupo pensou em utilizar toda essa estrutura para trazermos cursos técnicos ou ensino superior e foi daí que surgiu o primeiro projeto de se montar uma Faculdade. Antes, porém, fizemos uma pesquisa de mercado para descobrir quais seriam os cursos de graduação a serem implantados. Direito era um dos cursos com grande procura. Para nós, tudo era muito novo e desconhecido. Contratamos uma consultoria para fazer os
projetos e enviamos para o Ministério da Educação (MEC). Na primeira vez, fomos reprovados em Direito, mas conseguimos a aprovação de Administração e Comércio Exterior e, logo na sequência, Medicina Veterinária. Refizemos nosso projeto, dessa vez com a participação do professor Robervani Pierin do Prado (foto) e da professora Paula
Pintro (foto), diretora acadêmica da Faculdade na época. 
Visitamos instituições modelo para nos orientar e, assim, conseguimos desenvolver o nosso projeto do curso de Direito. O Ronauro Gouveia foi a Brasília falar com o Ministro da Educação, Paulo Renato, pois não era fácil conseguir o curso. Era necessária a recomendação da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) local e ela nos apoiou. 

Enfim, foi uma batalha. A portaria de autorização foi publicada no Diário Oficial da União, em 03 de abril de 2001, e conseguimos fazer o primeiro vestibular de Direito em maio de 2001, com início das aulas em 18 de junho desse mesmo ano. 
Acima, imagem da aula inaugural do curso de Direito e baixo outras do juri simulado e da turma A - uma das três, no total de 120 alunos formandos na primeira turma de Direito do Integrado.-

OLHANDO PARA TRÁS E VENDO 15 ANOS DO CURSO DE DIREITO, QUAL É O SENTIMENTO HOJE? Me sinto muito realizada por participar dessa história. É uma sensação de dever cumprido, um sentimento de que sempre vale a pena seguir um caminho verdadeiro. É muito bom.
COMO É A SATISFAÇÃO DE VER TANTOS FORMANDOS ENCAMINHADOS NA VIDA PROFISSIONAL? Trabalhar com educação tem umas recompensas fantásticas, a cada Colação de Grau que participo, sinto como se fosse a primeira. É muito gratificante aquele momento de alegria, de felicidade que contagia a todos, pais, familiares, professores, funcionários e os nossos queridos formandos. É um momento único de realização. Me sinto privilegiada.
O QUE REPRESENTAM ESSES 15 ANOS DO CURSO DE DIREITO? O nosso plano é sempre seguir em frente, cumprir os nossos deveres como educadores, focando em uma educação responsável, tanto de informação como de formação. Acompanhar as novas tecnologias de perto e usá-las sempre que for possível também é um ponto indispensável desse processo.Todos os professores que contribuíram para a formação dos nossos estudantes são dignos do nosso respeito e carinho. São profissionais responsáveis e que fazem parte da nossa história.
QUAIS AS CONQUISTAS MAIS IMPORTANTES NA SUA CARREIRA/VIDA PROFISSIONAL? O Integrado para mim é uma grande conquista.
O QUE REPRESENTA O GRUPO INTEGRADO? O Integrado representa praticamente metade de todos os anos que já vivi. Hoje, estou com 63 anos e o Integrado com 30. Desde o seu início, estive presente em cada momento, bom ou ruim. É uma construção que tenho orgulho de ter participado e continuar participando. Para mim é o resultado de um trabalho profissional, onde a competência das pessoas sempre foi e é valorizada.
COMO ANALISA A EDUCAÇÃO SUPERIOR
ATUALMENTE EM CM E NO BRASIL? Campo Mourão está bem representada em relação à educação superior, pois temos uma faculdade estadual, uma federal e duas particulares. Hoje, o leque de opções de graduação é muito bom e bem diversificado, atendendo um grande número de estudantes. Temos também vários polos de Ensino a Distância (EAD). Além dos cursos aqui ofertados abrangerem várias áreas de conhecimento.
QUAL MANCHETE FICOU NA SUA HISTÓRIA DE VIDA? Não é uma manchete, mas uma publicação no Diário Oficial da União, quando foi publicada a autorização para o funcionamento da Faculdade Integrado. - nas imagens abaixo, aula inaugural do Integrado em março de 1998.   
QUAL JOGADA QUE, SE PUDESSE VOLTAR NO TEMPO, JAMAIS TERIA FEITO? Normalmente, não me arrependo do que faço, acho mais provável me arrepender por não ter feito algo que poderia fazer. É muito raro isso acontecer.
O QUE AINDA NÃO FEZ QUE, AINDA GOSTARIA DE FAZER? Participar de algum projeto humanitário como voluntária.
CITE TRÊS PERSONALIDADES EM CAMPO MOURÃO. Delordes Dallefe, por sua integridade; Marta Kaiser (foto), por seu fantástico trabalho na Casa das Fraldas e Elza Hannel, por seu trabalho com o jovem aprendiz.
QUAL SEU ESPORTE PREFERIDO? Gosto de várias atividades esportivas, sempre pratiquei algum esporte como tênis, ballet, academia e pilates. Quando adolescente pratiquei basquete, mas nada profissional. Admiro todos os ícones do esporte, respeito e admiro a disciplina e a dedicação necessária para se tornar um campeão.
CITE PERSONALIDADE ESPORTIVA EM CAMPO MOURÃO. Quando se fala em esporte aqui em Campo Mourão, acho que todos pensam na família Tagliari.
JOGO RÁPIDO
ÉTICA É...Respeito e responsabilidade.
MÚSICA:MPB.
LIVRO:Sonho Grande, Eu Sou Malala.
AUTOR: Cristiane Correa, Chico Buarque.
PROFESSOR: Todos que são verdadeiros.
SONHO: Ver um Brasil politicamente correto.
SAUDADE:DO QUE OU DE QUEM? Saudades dos meus pais Paulo e Clarice e do meu irmão Paulinho.
MOMENTO INESQUECÍVEL: O nascimento dos meus três filhos e do meu neto.
HOBBY: Cuidar das minhas plantas.
MANIA: Organizar.
PROGRAMA: Viajar com a família ou com amigos.
FRUSTRAÇÃO:As injustiças, os apadrinhamentos que ocorrem em nosso país, a falta de meritocracia.
FAMÍLIA É: Tudo, é o celeiro, o porto seguro que todos deveriam ter.
A CAMPO MOURÃO DO PRESENTE É...a cidade que me acolheu e que respeito muito, no entanto, está carente de cuidados.
A CAMPO MOURÃO DO FUTURO DEVE SER?Melhor cuidada e mais respeitada. Ela é terra fértil e tem muito potencial.
QUAL O SENTIMENTO DE RECEBER ESTA HOMENAGEM E PARTILHAR UM POUCO DA SUA VIDA?É um sentimento de ser valorizada, mas penso que essa valorização tem a contribuição de muitas pessoas que me acompanharam e me ajudaram. O Integrado, por exemplo, é fruto da vontade e do desejo de 50 pessoas que pensaram a
educação como a melhor forma de desenvolver a cidade. A semente germinou, e o Henning - na foto com o professor Marcos Noboru-  contribuiu muito na nova fase do Integrado. A iniciativa de adquirir as cotas dos sócios-fundadores, de investir no crescimento e de realizar vários projetos inovadores foi dele. Se nós somos o primeiro curso de Agronomia noturno do Brasil, abrindo precedente para outros cursos surgirem em outras Faculdades, também é mérito dele. Essa e muitas outras ações e iniciativas têm e tiveram a sua contribuição. Hoje, eu quero dividir essa homenagem com todos os funcionários, corpo docente, alunos, egressos, sócios-fundadores e com a minha família, Berta, Pedro, Gustavo e Henning.
QUEM GOSTARIA DE VER HOMENAGEADO AQUI NO BLOG? Delordes Dallefe.
MOMENTO ATUAL DA SUA VIDA: de realização, de colher os frutos e de semear sempre novas sementes.
QUAL O RECADO PARA OS LEITORES DO BLOG?Acreditar no que faz e se dedicar muito. Fazer com o coração e com profissionalismo. Pesquisar, persistir e trabalhar muito para conquistar. Ter respeito e ser responsável principalmente pelo outro. Se todos crescem eu também cresço.
QUAL PERGUNTA QUE NÃO FOI FEITA QUE GOSTARIA DE TER RESPONDIDO? Acredito que nenhuma. Obrigada.
E abaixo, participação da professora Conceição no programa Tocando de Primeira em 27 de agosto 2016 na Rádio Colméia, quando foi entrevistada pelo jornalista Ilivaldo Duarte -formando da primeira turma do curso de Direito em 2006- e homenageada com o troféu "Tocando de Primeira". 

3 comentários:

  1. Bacana ter lembrado da Conceição. Uma pessoa boa, íntegra. Quanto a meu pai, ficam as saudades do "Magrâo"!

    ResponderExcluir
  2. Fiquei muito grato com esta matéria onde pude relembrar e reverenciar a Conceição Montans Baer.

    ResponderExcluir
  3. Que materia sensacional! Conceição parabéns por sua história e dedicação sempre! Sua frase ficará registrada e com certeza será também um dos meus lemas: "Se todos crescem eu também cresço."!! Obrigada Ilivado por dividir conosco tão bela homenagem!!! Um grande abraço Carla Tagliari e de toda a
    família Tagliari

    ResponderExcluir