20 de abr de 2011

BOAS MANEIRAS & COMPORTAMENTO com Lucilene de Araújo



Um perfume deve envolver, jamais invadir
Certo:
a idéia é ser lembrado como alguém que passa e deixa um rastro que, instintivamente, as pessoas querem seguir para prolongar a sensação agradável do olfato.
É infinitamente melhor retocar durante o dia se achar necessário do que sair logo pela manhã recendendo a perfume.
Errado: usar em excesso. Como aquelas pessoas que entram na sala e nos fazem dar instintivamente um passo para trás, a invadidos e, por melhor que seja a marca, o resultado é o oposto do desejado: causa repúdio e mal-estar.
Certo: Ao colocar perfume, lembre de que bastam duas gotas. Mesmo. E, que no casão de spray, uma só aplicação, espalhando-o pelos pulsos e atrás das orelhas, onde a circulação é mais intensa, o que faz com que seja valorizado. Há quem diga o use entre os seios, atrás dos joelhos e uma série de outros lugares considerados estratégicos. Mas aí já é uma questão de gosto.
Errado: Abusar das embalagens em spray borrifando várias vezes. Ou usar vários produtos da mesma linha: loção pós-barba, hidratantes para o corpo, perfumes, desodorantes... A idéia pode até parecer boa, mas a tendência, quando se sobrepõe a mesma fragrância, é torna-la muito forte. Também é preciso cautela para escolher os outros produtos – que deveriam ser muito leves para ao “brigar” com o perfume ou até mesmo inodoros.

Um comentário:

  1. Excelente tema e abordagem, Lully. Nenhum exagero é bom. A elegância está na discrição. Forçar as pessoas a perceberem que você está ali não pode ser agradável. Eu, particularmente, adoro gente perfumada, mas começo a espirrar se o perfume for excessivo ou muito forte.

    Beijos da Nei.

    ResponderExcluir