14 de jun de 2009

ENTREVISTA DE DOMINGO: Dr. Renato Fernandes Silva


O advogado e ex-prefeito de Campo Mourão, Renato Fernandes Silva é o entrevistado na coluna deste domingo. Dr Renato lembra uma pouco da sua historia profissional e da sua gestão que encerrou uma jornada exitosa de três prefeitos, ao lado do Dr Milton Luiz Pereira e Horácio Amaral, de um mandato somente e ficaram na lembrança dos mourãoenses como prefeitos austeros e de elogiável administração.
“Como prefeito, exerci a função, com zelo, ética e respeito pelo bem público. Na administração, direta ou indiretamente, participei de grandes realizações e eventos marcantes no período de 1973 a 1977, no Executivo mourãoense.”
Uma homenagem do BLOG a uma pessoa que fez e entrou para a historia como um cidadão e político exemplar.

Quem é Renato Fernandes Silva?
Nasci em Prudentópolis, em 20/12/32. Sou casado com Maria Therezinha Kloster Silva desde 04/09/57, na cidade de Ponta Grossa. Sou pai de Renato Fernandes Silva Jr, Regina Maria Silva Pancera e Araci Herminínia Silva Rebesquini. Passei a infância em Prudentópolis e Irati. Resido em Campo Mourão desde outubro de 1960.
Considerada um dos mais belos templos em estilo Bizantino do país, a Igreja Matriz de São Josafat em Prudentópolis foi construída entre os anos de 1925 a 1928, pelos primeiros padres Basilianos vindos para o Brasil.
Onde o Senhor estudou e iniciou sua vida profissional?
O sobrenome Fernandes é de origem espanhola e o Silva, portuguesa. Estudei em Prudentópolis no Grupo Escolar Barão de Capanema, Instituto Santa Sofia (irmãs polonesas) e Instituto dos Santos Anjos (irmãs ucranianas). Em Irati, estudei no Ginásio Irati, sendo em 1948 o orador da turma. Em Curitiba, no Colégio Novo Ateneu cursei o Científico. Fiz o CPOR - Turma do Centenário do Paraná - formatura em 1953. Estudei todo o curso de Direito na Faculdade de Direito de Curitiba - 3a. Turma – com a colação de grau em 1958.Iniciei a vida profissional, como acadêmico solicitador, inscrição nº 777, em Ponta Grossa, ainda antes da formatura, onde exerci a advocacia até vir para Campo Mourão em outubro de 1960. No início se fazia advocacia em geral, depois me afastei do direito criminal e trabalhista.
O que o Senhor faz hoje profissionalmente?
Atualmente não mais advogo em virtude de deficiência visual, sem me afastar do escritório, que é conduzido pelo meu filho Renato Fernandes Silva Junior.
Como foi o início e sua atuação como advogado?
Em Ponta Grossa aprendi a advogar com Dr. Edgar Sponholz, brilhante mestre e grande incentivador, jurista dos mais notáveis. Em Campo Mourão trabalhei com Dr. Paulo Fortes, um dos pioneiros da advocacia nesta cidade, até maio de 1972, quando este transferiu residência para Maringá. Dr. Paulo, foi e continua sendo grande companheiro, colega, amigo e compadre.
Como surgiu a sua candidatura a prefeito de Campo Mourão? Como foi a sua gestão e as principais ações realizadas?
Minha candidatura surgiu, para minha surpresa, pela vontade das lideranças políticas de Campo Mourão, talvez em conseqüência de ter sido advogado do Município desde o final da administração do Dr. Milton Luiz Pereira, passando pelos mandatos de Rosalino Salvadori, Augustinho Vecchi e Horácio Amaral, este último, um dos maiores entusiastas de meu nome.
Como prefeito, exerci a função, com zelo, ética e respeito pelo bem público. Na administração, direta ou indiretamente, participei de realizações e eventos marcantes, tais como: Unidade Polo, Centro Social Urbano, criação do Tiro de Guerra, sediação dos Jogos Abertos do Paraná de 1976, lançamento nacional do PROSOLO em Campo Mourão com o Ministro Alysson Paulinelli e governador Jayme Canet Jr.
Para possibilitar a realização dos JAP´s foi necessária a construção de obras marcantes como o ginásio de esportes Belin Carolo e JK.
Em razão do cargo, fui convidado para integrar Missão Econômica do Paraná no Japão, idealizada pelo então Deputado Federal Antonio Ueno .
Como decorrência do prestígio da administração, fui o único prefeito a presidir a Comcam por 4 anos.
Qual é seu esporte preferido, time do coração
e o maior ídolo desse time?
Futebol. Corinthians e Roberto Rivelino.
O Senhor seria um bom prefeito nos tempos atuais?
Faria tudo nos moldes da administração 73/77, adaptada à modernidade.
Há carência de bons políticos comprometidos com o povo atualmente?
Infelizmente, muitas vezes, a política é exercida voltada para o interesse pessoal. Mas ainda há de se acreditar nos bons.
O que o Senhor, como cidadão, político e advogado não fez, que ainda gostaria de fazer?
Todo o meu projeto de vida realizei.
Ética em uma frase é...
a ciência da moral e pressuposto que deve estar presente na vida do cidadão.
Ser advogado é .....
a realização de uma vocação.
Política é....
uma arte que possibilita bem servir a todos indistintamente.
O governo Nelson Tureck é.....
pode ser considerado bom pelo arrojo de suas idéias.
O governo Lula é .....
complicado por suas posições radicais.
O que o Senhor mais gosta em Campo Mourão?
O convívio com as pessoas.
Poderia citar e partilhar alguns fatos pitorescos que o senhor viveu como cidadão, prefeito e advogado?
1) JAPS/74/ROLÂNDIA - CONGRESSO PARA ESCOLHA SEDE JAPS/86.
Cidades que se candidataram: Porecatu (Prefeito José Jabur) e Campo Mourão (Prefeito Renato).
A TV que dava cobertura ao evento era a TV Tibagi, dirigida por Nassib Jabur, irmão do Prefeito de Porecatu. Os prefeitos circulavam entre as delegações com direito a voto, de repente chamaram o para compor a mesa o de Porecatu e os holofotes para ele se voltaram, sendo muito aplaudido. Quando chamaram o prefeito de Campo Mourão, os holofotes se apagaram e os aplausos ficaram limitados às delegações da COMCAM.
No discurso o Zé Macaco, como era conhecido o simpático Prefeito de Porecatu, dizia que tinha uma infra-estrutura esportiva pronta, era uma cidade próxima de Londrina e tinha uma grande usina de açúcar do Grupo Atalla que empregava mais de 1.000 pessoas etc.. Encheu a sua bola. Na minha fala, em síntese disse que Campo Mourão era uma cidade em desenvolvimento, maior entroncamento rodoviário, sempre comparecia nos primeiros lugares na produção agrícola; que Campo Mourão, embora cidade de médio porte, tinha um coração muito grande que abrigaria com orgulho o Paraná inteiro. No final os aplausos aumentaram significativamente.
Na votação suplantamos com folga os votos de Porecatu e a televisão encerrou a transmissão. O jornalista Fiori Luiz (que era meu conhecido) veio me abraçar, mas fora do ar.
2) PRIMEIRO COMÍCIO
Antes da convenção da ARENA, o Dr. Horácio me convocou para "dar um pulo" até a Vila Seca, na divisa com Janiópois, onde existiam alguns problemas para serem resolvidos. Até então eu não era candidato, apenas o meu nome tinha sido lembrado, mas o Dr. Horácio, político experiente, aproveitou a oportunidade, porque os problemas lá existentes fizeram aparecer umas 50/60 pessoas da localidade, utilizou um velho caminhão de um sitiante, subiu na carroceria, chamou as lideranças, e numa fala simples disse que ia apresentar a todos o candidato a Prefeito de Campo Mourão. Várias pessoas falaram e eu terminei o meu primeiro discurso político sendo muito aplaudido. Tudo improvisado.
3) APURAÇÃO DA ELEIÇÃO DE 1972 NO CLUBE 10
Secretamente, acompanhado do Zico Fenianos e do Janguito Durski, de madrugada fiquei escondido em uma casa na Usina, acompanhando tudo pela Rádio Colméia. Aberta a primeira urna, o primeiro voto foi para o Augustinho Vecchi. Tremi de susto. Na sequência, as urnas da sede e dos Ditritos de Farol e Luiziana, me asseguraram a vitória. Só perdi em Piquirivaí.
Antes de findar a apuração, mas já vendo a vitória, me dirigi ao 10 de Outubro, onde uma multidão me esperava. Fui carregado nos ombros, sem pisar no chão em momento algum, até minha casa na Rua Araruna, nº 1044.
Quando cheguei em casa, já abarrotada de pessoas, alguns amigos tinham providenciado uma festa sem eu saber, onde foram consumidos uns 20 barris de chopp, só terminando no clarear do dia seguinte, com minha residência "em pandareco". Mas a alegria compensou.
Cite três personalidades esportivas de Campo Mourão?
Itacir Tagliari, Alcir Costa Schen e Vicente Piazza Filho.
Quem é destaque hoje?
Ilivaldo Duarte, pelo seu jornalismo inteligente.
Cite três personalidades mourãoenses?
Dom Eliseu Simões Mendes, um bispo com visão muito à frente de seu tempo;Prof. Egydio Martello, um sonhador com o ensino; Dr. Milton Luiz Pereira (foto), exemplo de administrador, jurista e amigo.
Cite três políticos de destaque...
Carlos Lacerda, Bento M.da Rocha e Léo de Almeida Neves.
O que representou a homenagem do Tocando de Primeira no sábado (06/06/09) na rádio Rural?
Satisfação íntima muito grande, colhendo frutos plantados com boa semente em terra de gente que vive em uma cidade que tem memória.
Na homenagem na Rural AM, ao lado do filho Renatinho, Verci Sequinel e Narci Nogueira.
A Campo Mourão do futuro será....
a cidade que todos sonham, com elevada qualidade de vida em todos os sentidos.
Qual o seu recado aos leitores do BLOG?
Tenham presente e não esqueçam o que se fez ontem, o que se faz hoje e o que deve ser feito no futuro.
NOTA DO BLOG - A data de 29 de abril de 1967 ficou marcada na história de Campo Mourão como o dia em que o então prefeito Milton Luis Pereira renunciava ao mandato para ocupar um cargo federal. Em reconhecimento à administração considerada exemplar, ganhou de presente da comunidade um Fusca zero. O ex-prefeito, que é juiz aposentado do Supremo Tribunal Federal e hoje mora em Curitiba, ainda conserva o veículo. "Esse é o meu mais valioso troféu", afirma o ex-prefeito, que quando pode também participa dos eventos.
AGRADECIMENTOS a Pedro da Veiga, Renatinho Fernandes Silva Júnior e a Jair Elias dos Santos Júnior, através das obras "Campo Mourão no Japão: abrindo os caminhos no Orien te" e "A história da Câmara Municipal de Campo Mourão 1963-1976, 2º Volume"
ABAIXO MOMENTOS DA VIDA PESSOAL E PÚBLICA DO NOSSO HOMENAGEADO. PARABÉNS!


Ao lado do Dr. Irineu Brzezzinski e o jogador Garrincha em CM

Renatinho e as irmãs, na década de 70

Com o governador Jaime Canet Jr em visita a Campo Mourão

Discurso da posse como prefeito de CM em 1973

4 comentários:

  1. Grande homem, um espelho para os atuais politícos atuais e para a juventude.
    Eder Rogerio Stela

    ResponderExcluir
  2. Dr. Renato, um símbolo político, foi um excelente administrador do muincípio, dedicando exemplar trabalho à coisa pública, desenvolvendo profícuo labor pelo desenvolvimento de Campo Mourão é merecedor de todos os encômios pela sua luta, que não deixou a política partidária influênciar sua conduta de homem probo e honesto, tinha toda chance de continuar na política, seu carisma e liderança inata, sendo durante toda sua gestão presidente da COMCAM, com o incentivo e incitação de seus companheiros prefeitos da microregião para galgar postos maior no esquema políticoeleitoral, declinou desse postulado, voltando à sua vida particular, dedicando-se na reorganização de seu escritório advogatício.
    Dr. Renato Fernande Silva, parabéns pelo seu exemplo de vida, legando-nos ensinamento comportamental de como devemos proceder no corredor e agitos de nossa convivência humana.
    Abraços: Pedro da Veiga

    ResponderExcluir
  3. Iza Maria Dietrich Jaworski8 de outubro de 2009 21:26

    Só agora tomei conhecimento da justa e merecida homenagem que Campo Mourão prestou ao meu primo Renato Fernandes Silva.
    Parabéns Renato, continue sendo um modelo de homem público para as futuras gerações dessa cidade.
    Deus abençoe você e toda a sua linda família.
    Iza Maria Dietrich Jaworski
    Curitiba

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pelo blog e pela homenagem feita a um homem íntegro como o Renato. Sua trajetória pessoal, profissional e política é sempre reconhecida. Poderia considerar-me suspeita, pelo parentesco, mas sempre que encontro algum mourãoense, o comentário é igual: grande homem, grande prefeito. Integridade, simplicidade, caráter exemplar são alguns dos adjetivos que lhe cabem, com toda a justiça. A família, mesmo distante, sente-se honrada também por vê-lo homenageado.
    Izabel Dietrich de Vergara

    ResponderExcluir