22 de ago de 2009

COLUNA DA MARIA JOANA: A estrela estilhaçada

“O PT tem de buscar outra bandeira, porque a ética foi jogada no lixo”. senador Flávio Arns
"Não mudo a verdade no grito. Nem preciso de agenda para dizer a verdade".
Lina Vieira
Nas últimas semanas pudemos sentir uma incômoda sensação de ”já vi este filme”. E nos perguntamos: Ética, Verdade… Onde está? Nas palavras de Pedro Simon, o 19 de agosto será lembrado como o “dia em que o PT abraçou Sarney e Fernando Collor, e Marina Silva saiu”. Constrangida pela determinação passada horas antes pelo presidente Lula, a bancada petista livrou o presidente do Senado, José Sarney, de todas as ações apresentadas no Conselho de Ética. A decisão esfacelou a unidade partidária (Delcídio Amaral e Ideli Salvatti não disfarçavam a insatisfação, votaram fora do microfone, mas seus eleitores ouviram...), desmoralizou Aloizio Mercadante como líder do PT e causou profundas decepções e saídas do partido. No mesmo Senado, uma petista histórica, Marina da Silva, anunciou o fim de uma parceria de 30 anos e oficializou a saída do partido. Parece mesmo que o PT naufraga no Senado, só o presidente não vê a crise...
Não escuta também as sucessivas mentiras de sua candidata. Para debelar a crise, basta ao Planalto desmontar os detalhes dados pela ex secretária Lina Vieira e sua assessora, pelo motorista. Basta revelar as filmagens registradas no palácio. Basta chamá-la para novas inquirições na CPI da Petrobrás, aí sim aparecerão os reais motivos de sua demissão do cargo. Negar o encontro com Lina, para Dilma, não basta, não vai diminuir os 33 anos de serviços ao país. Os políticos passam mas os servidores concursados ficam... Ficam também os apadrinhados dos atos secretos do senado… Ontem mesmo, dia 20, o dia seguinte de sua “absolvição”, Sarney validou nomeações de parentes e amigos, bem como gartificação de funcionários, “esquecendo” que tinha anulado todos os atos secretos...
Infelizmente alguns políticos demoram para sair e até mesmo voltam iguais como vimos nas últimas semanas. Era o senador e ex-presidente Fernando Collor, arfante e com olhos projetados, berrando frases destemperadas a um adversário político. Era o presidente do Senado, José Sarney, acusado de cometer atos secretamente ilícitos, defendendo-se em plenário e invocando até a sua generosidade como avô. Eram os senadores Tasso Jereissati e Renan Calheiros, ao melhor estilo "faroeste caboclo", acusando-se mutuamente de coronel, cangaceiro, dedo sujo etc... Era a volta da famigerada tropa de choque, essa instituição nacional sempre convocada para salvar congressistas em graves apuros.
Há quanto tempo o País assiste a coisas assim? E por quanto tempo terá de conviver com o patético de espetáculos dessa natureza? Afinal, por que a política nacional não consegue se livrar do eterno retorno de seus próprios coronéis? O Brasil se modernizou na economia, nas relações humanas, na tecnologia e nas comunicações não modernizou seus personagens políticos. Estes, por sua vez, não têm interesse de modernizar a política da qual se beneficiam.
Ao defender aliados envolvidos em escândalos e investigados por crimes, o presidente Lula legitima um padrão ético e moral discutível no país. Isto é muito preocupante, num “país que vive uma crise de valores”, que Lula minimize a prática de atos ilícitos, movido por seus interesses politicos. Como explicar a permanência do presidente do Senado no cargo, após todas as denúncias contra ele e sua família, sem se sentir envergonhado e sem que a sociedade demonstre indignação? Na Inglaterra, um escândalo semelhante causou a queda de ministros e pedidos de desculpas.
Nossos políticos podem aprender ética até mesmo na novela indiana: uma dalit renúncia a candidatura por causa do neto acusado de roubo de estatueta. O candidato da situação, ao saber da verdade pela confissão de sua neta, chama a concorrente de volta à disputa afirmando que A VERDADE É A VERDADE E NÃO SE PODE ESCONDÊ-LA...
Maria Joana Titton Calderari – membro da Academia Mourãoense de Letras, graduada Letras UFPR, especialização Filosofia-FECILCAM e Ensino Religioso-PUC- majocalderari@yahoo.com.br

Um comentário:

  1. Muito oportuno o comentário,o PT está desvirtuado a muito tempo,onde está a bandeira da luta? da ética? da moralidade? falsa moralidade!!!o que vale é o oportunismo,é o próprio umbigo como centro das atenções..o povo??? ahhh,o povo é mero detalhe.o PT não está mostrando,mas está provando que é o mesmo balaio de gato da turma que arrasou o país por dácadas e décadas,o PT come no mesmo prato de lacaios como os famigerados FHC,Maluf,Ronaldo Caiado,da senhora Raínha da Motoserra que quer posar de boa moça,do José Serra,Fernando Collor,José Sarney,Geraldo Alckmim,ACM,ACM Neto e por aí vai.Como diz Bertold Brecht,"o pior analfabeto,é o analfabeto político...",o Brasil está errado a pelo menos 500 anos,tem congressista que mamou anos nas tetas do governo que agora se faz de santo,que tenta passar a imagem que sempre jogou do lado do "bem"...quer saber? cansei.

    ResponderExcluir