22 de jun de 2017

DOMINGO padre Murilo Versari será ordenado bispo


EVANGELHO DO DIA quinta-feira, 22 de junho 2017

Evangelho (Mt 6,7-15)  O Senhor esteja convosco. — Ele está no meio de nós. — Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.  — Glória a vós, Senhor. Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 7”Quando orardes, não useis muitas palavras, como fazem os pagãos. Eles pensam que serão ouvidos por força das muitas palavras. 8Não sejais como eles, pois vosso Pai sabe do que precisais, muito antes que vós o peçais. 9Vós deveis rezar assim: Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome; 10venha o teu Reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como nos céus. 11O pão nosso de cada dia dá-nos hoje. 12Perdoa as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido. 13E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal. 14De fato, se vós perdoardes aos homens as faltas que eles cometeram, vosso Pai que está nos céus também vos perdoará. 15Mas, se vós não perdoardes aos homens, vosso Pai também não perdoará as faltas que vós cometestes”. — Palavra da Salvação. — Glória a vós, Senhor.

21 de jun de 2017

UMA LINDA pintura de Deus

Saindo do trabalho, olhei para a frente e resolvi usar a tecnologia bosta fazer esta imagem. E como escrevi , uma linda pintura de Deus. 

Ceres, a deusa da agricultura

Ceres, Deméter para os gregos, é deusa do cereal. É uma deusa matriarcal, a imagem do poder das entranhas da terra. Diz-se que ela ensinou aos homens as artes de arar, plantar e colher, e às mulheres, como moer o trigo e fazer o pão.
Segundo a mitologia, o início da vida de Ceres foi bastante traumático. Assim que nasceu, teve o mesmo destino dos seus irmãos Juno, Vesta, Plutão e Netuno e foi engolida pelo seu pai, Saturno. A beberagem oferecida por Júpiter a Saturno, único filho que não havia sido engolido, fez com que Saturno "vomitasse" todos irmãos. Ceres, por ter sido a segunda filha, foi a penúltima a ser devolvida.
Mas foi um episódio envolvendo sua filha que marcou mais significativamente a personalidade desta deusa. Ceres morava feliz com sua única filha, Prosérpina, na mais completa harmonia. Entretanto, certo dia, ao colher flores, a garota foi atraída por um lindo narciso. Ao estender a mão para pegá-lo, o solo fendeu-se diante dela surgindo Plutão, o deus das trevas e irmão de sua mãe, que havia se apaixonado perdidamente pela jovem. Plutão então puxou-a para seu carro de ouro e levou-a para o seu reino - os infernos. Prosérpina gritou pedindo ajuda ao seu pai Júpiter, mas não recebeu nenhum auxílio.
Sob a influência de Plutão, Prosérpina aceitou comer um "bago de romã" , a fruta das trevas, que tinha o poder de aprisionar nos infernos para sempre quem a comesse. Desesperada, Ceres, procurou sua filha por nove dias e nove noites sem parar para comer, dormir ou beber água. Também pediu ajuda a Júpiter, seu irmão e pai de sua filha, mas não foi atendida.
Enfurecida e incapaz de aceitar a perda da filha, Ceres ordenou que a terra secasse, recusando-se a devolver-lhe a abundância. Nada a faria mudar e o mundo estava condenado a perecer por falta de alimento. Graças a intervenção do deus da comunicação e mensageiro dos deuses, Mercúrio, Ceres aceitou o acordo: Prosérpina viveria com sua mãe durante nove meses do ano e deveria retornar para o marido nos três outros meses.
Ceres representa a experiência da maternidade, não só a gestação física, mas a experiência da Grande Mãe, da descoberta do corpo como algo precioso e valioso que requer muita atenção. Significa os prazeres simples da vida, a conscientização de que somos parte da natureza. Ceres representa uma sabedoria não racional, que vem da natureza, da capacidade de esperar até que as coisas estejam maduras para agir.
Como filhos de Ceres, a grande mãe, temos a capacidade de nos percebermos parte da mesma natureza e de estar em harmonia com tudo o que nos cerca. Ela também representa a aceitação das mudanças e separações, inclusive aquelas que envolvem muita dor. É o amadurecimento do grão que se transforma em árvore e doa seus frutos para os filhos. Por outro lado, sua figura de mãe enlutada, com a vida marcada por mudanças bruscas e separações traumáticas, representa o rancor e a mágoa. Fonte: site ceres.blogs.

NOVENA NO CARMELO em CM de 7 a 15 de julho. Participe!


É SEGUNDA! CM x Mal Rondon na Chave Ouro do Paranaense 2017


EVANGELHO DO DIA quarta-feira, 21 de junho 2017

Evangelho (Mt 6,1-6.16-18)  O Senhor esteja convosco. — Ele está no meio de nós. — Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus. — Glória a vós, Senhor. Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 1“Ficai atentos para não praticar a vossa justiça na frente dos homens, só para serdes vistos por eles. Caso contrário, não recebereis a recompensa do vosso Pai que está nos céus. 2Por isso, quando deres esmola, não toques a trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem elogiados pelos homens. Em verdade vos digo: eles já receberam a sua recompensa. 3Ao contrário, quando deres esmola, que a tua mão esquerda não saiba o que faz a tua mão direita, 4de modo que, a tua esmola fique oculta. E o teu Pai, que vê o que está oculto, te dará a recompensa. 5Quando orardes, não sejais como os hipócritas, que gostam de rezar em pé, nas sinagogas e nas esquinas das praças, para serem vistos pelos homens. Em verdade, vos digo: eles já receberam a sua recompensa. 6Ao contrário, quando tu orares, entra no teu quarto, fecha a porta, e reza ao teu Pai que está oculto. E o teu Pai, que vê o que está escondido, te dará a recompensa. 16Quando jejuardes, não fiqueis com o rosto triste como os hipócritas. Eles desfiguram o rosto, para que os homens vejam que estão jejuando. Em verdade, vos digo: Eles já receberam a sua recompensa. 17Tu, porém, quando jejuares, perfuma a cabeça e lava o rosto, 18para que os homens não vejam que estás jejuando, mas somente teu Pai, que está oculto. E o teu Pai, que vê o que está escondido, te dará a recompensa”. — Palavra da Salvação. — Glória a vós, Senhor.

20 de jun de 2017

OS CAMPEÕES DA REGIONAL Centro-Oeste da Copa Coamo 2017

Um grande público prestigiou a a quinta regional (Centro-Oeste) da Copa Coamo de Cooperados – Futebol Suíço no sábado, 17, nos campos da Arcam em Mamborê, Boa Esperança, Iretama, Altamira do Paraná e Roncador. Em campo 61 times e mais de 900 atletas e dirigentes na etapa Centro-Oeste.
Campeões – Foram 61 times distribuídos pelas unidades de Mamborê (18), Boa Esperança e Janiópolis (10), Altamira do Paraná (07), Roncador (16) e Iretama (10). Foram disputados 98 jogos e a bola rolou por cerca de 2.000 minutos, equivalente a 32 horas de jogo.
Na etapa Altamira do Paraná, o vencedor foi a equipe Tabajara (foto acima) com a vitória na final sobre o Garrincha por 2 x 0. Em Boa Esperança, a equipe Mexerica (foto abaixo) ficou com o título da etapa após vencer Janiópolis nos pênaltis por 3x1, depois de empate no tempo normal. Águas de Jurema será o representante de Iretama na final em Campo Mourão. A vitória foi diante da equipe São Pedro de Nova tebas por 1x0. Em Roncador, o campeão foi o Sambati, que derrotou a equipe Santo Antonio por 1x0. Em Mamborê, a equipe Placa América venceu na final o Fantin “A” por 2x1 e foi a vencedora da etapa.

O QUE É A LEITURA para Carlos Drumond de Andrade?


EVANGELHO DO DIA terça-feira, 20 de junho 2017

Evangelho (Mt 5,43-48)  O Senhor esteja convosco. — Ele está no meio de nós. — Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus. — Glória a vós, Senhor. Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 43“Vós ouvistes o que foi dito: ‘Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo!’ 44Eu, porém, vos digo: ‘Amai os vossos inimigos e rezai por aqueles que vos perseguem!’ 45Assim, vos tornareis filhos do vosso Pai que está nos céus, porque ele faz nascer o sol sobre maus e bons, e faz cair a chuva sobre justos e injustos. 46Porque, se amais somente aqueles que vos amam, que recompensa tereis? Os cobradores de impostos não fazem a mesma coisa? 47E se saudais somente os vossos irmãos, que fazeis de extraordinário? Os pagãos não fazem a mesma coisa? 48Portanto, sede perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito”. — Palavra da Salvação. — Glória a vós, Senhor.

ENTREVISTA DE DOMINGO Danilo Kravchychyn

"Sou um amante do esporte desde que fui aluno do Internato Paranaense em Curitiba, depois como atleta de handebol e desde 1981 como jornalista esportivo. Sempre me dediquei a divulgar o esporte de forma geral, buscando um fator positivo, mas sem omitir a verdade." a afirmação é do jornalista ponta-grossense e mourãoense de coração Danilo Kravchychyn, homenageado aqui no BLOG DO ILIVALDO na ENTREVISTA DE DOMINGO. 
Na carreira são mais de quatro décadas acompanhando o esporte paranaense: inúmeras competições e projetos sociais como Jogos Escolares, Juventude e Abertos, além de campeonatos estaduais e nacionais em diversas modalidades. 
Apaixonado pelo esporte e por Campo Mourão, o filho do seo Daniel e da dona Rosemary - in memorian,  irmão de Carlos Daniel, Dirceu, Cláudio e Denise conta um pouco da sua história de goleiro e atleta da seleção mourãoense de handebol na ENTREVISTA DE DOMINGO. 
"O melhor time que joguei foi o handebol de Campo Mourão de 1975. O título de bronze nos JAPs 1975 em Paranavaí, abriu o caminho do handebol mourãoense. Convivi com craques consagrados como Nelsinho, Negão, Antenor (meu mestre no gol), Gilmar e o técnico Idê, que também era o pivô da equipe, em uma história brilhante do handebol mourãoense" comemora Kravchychyn.
QUEM É DANILO KRAVCHYCHYN?
Filho do seo Daniel e da dona Rosemary - in memorian. 
  Irmão de Carlos Daniel, Dirceu, Cláudio e Denise.
Casado com Marinêz Braz Kravchychyn e tenho um filho, Ricardo Kravchychyn. 

COMO SE DEFINE? Sou um amante do esporte desde que fui aluno do Internato Paranaense em Curitiba, depois como atleta de handebol e desde 1981 como jornalista esportivo...Quanto às qualidades, é muito difícil falar disso, mas acredito que sou um bom amigo e sempre me dediquei a divulgar o esporte de forma geral, sempre buscando um fator positivo, mas sem omitir a verdade!
ONDE E COMO FOI A SUA INFÂNCIA? Foi maravilhosa, na cidade de Ponta Grossa, num tempo que ainda era possível brincar na rua, jogar bolinha de gude e empinar papagaio... sempre ao lado de meus irmãos Carlos Daniel, Dirceu, Cláudio e Denise.
COMO FOI SUA JUVENTUDE E ONDE?
Muitas histórias da juventude nas férias em Campo Mourão e durante o período letivo em Curitiba... Piscina do Country, bailes e carnavais do Clube 10 de Outubro, com 16 anos já dirigia pela cidade o Fordinho 1929,
que carinhosamente chamávamos de Filomena, e o Opala preto do meu pai... Campo Mourão tinha intensa vida social, principalmente nas férias de final de ano. Para as novas gerações deve ser difícil acreditar, mas eram outros tempos, com uma festinha em casa se transformando num acontecimento!
E SUA TRAJETÓRIA PROFISSIONAL? Em 1980 ingressei na Universidade Estadual de Ponta Grossa – UEPG –
para estudar Direito e também jogar handebol num time que tinha Marcelo e Arnaud, Jair, Beto e outros atletas mourãoenses... 
O jornalismo surgiu na minha vida quase que ao acaso, indicado pelo meu primo João Fernando ao Jornal da Manhã, que precisava de um redator de esportes... Foi a minha escola no jornalismo...e lá se vão 36 anos de muita dedicação!
O QUE FAZ HOJE? Continuo trabalhando como jornalista, aposentado mas ainda na ativa na Assessoria de Imprensa da Fundação Municipal de Esportes – Fundesp – em Ponta Grossa.
O QUE FEZ QUE NÃO FARIA DE NOVO? Logicamente as cabeçadas acontecem, mas faz parte do aprendizado... Olhando para trás faria tudo novamente e seria maravilhoso errar e acertar de peito aberto!
COMO É SUA ATUAÇÃO NA COMUNIDADE? Minha vida sempre esteve ligada ao esporte, participo dos Jogos Abertos do Paraná desde 1975 e tenho a honra de ter feito parte da comissão organizadora da primeira edição dos Jogos da Juventude do Paraná, que aconteceram em Ponta Grossa. Não atuo em entidades de classe nem em clubes de serviço, mas estou sempre à disposição para apoiar as boas iniciativas!
COMO ENTROU PONTA GROSSA  E O JORNALISMO EM SUA VIDA? Foi praticamente ao mesmo tempo, em 1980 passei no vestibular de Direito da UEPG e também em Blumenau... optei por Ponta Grossa por ser a minha cidade natal e pela proximidade a Campo Mourão. Com o nascimento do meu filho Ricardo, em 1981, passei a procurar emprego, encontrando no Jornal da Manhã a oportunidade de conciliar a paixão pelo esporte e uma profissão... deu certo, com passagens por diversos órgãos de imprensa da cidade e atuando desde 1985 na Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Ponta Grossa.
QUAIS EXPERIÊNCIAS NÃO SAEM DA MEMORIA? Foi interessante logo na estreia do Jornal da Manhã atuar como atleta e fazer a cobertura dos Jogos Estudantis da Primavera, a mais antiga e tradicional competição poliesportiva do Paraná, que mesmo com todas as dificuldades jamais deixou de ser realizada. Naquele tempo a competição tinha um status de jogos universitários, reunindo as principais equipes do Estado. 
E além de defender a UEPG no grupo universitário ainda jogava pelo curso de Direito na competição entre os cursos. Na final contra Odontologia entrou em campo o “tapetão” e não pude jogar, pois estava inscrito em dois grupos. Perdemos o jogo por 1x0 e o vice-campeonato ficou na história (risos).
COMO É SUA ATUAÇÃO NO JORNALISMO? 
Como jornalista da velha guarda atuei nos mais diversos órgãos da imprensa ponta-grossense, passando pelas redações do Jornal da Manhã e Diário da Manhã, no rádio fiz a estreia na Santana, passando por Difusora, Vila Velha,
Lagoa Dourada, Clube e CBN, além de participar de programas nas tevês TVM e Educativa.
Depois de tantos anos acredito que o jornalismo foi a forma que encontrei de me manter no esporte mesmo depois de parar de jogar nos Jogos Abertos!
                                    
COMO FOI SUA HISTÓRIA JUNTO COM O ESPORTE MOURÃOENSE? Tive a honra de participar da primeira equipe competitiva do handebol de Campo Mourão, ao lado de meus amigos Lispa Schen, Beto Durski, João Potranca, Jair Grasso, Luizinho Lima, os irmãos Arnaud e Marcelo Silveira, tendo o prazer de convivendo com craques consagrados como o Nelsinho, Negão, Antenor (meu mestre no gol), Gilmar e o técnico Idê, que também era o pivô da equipe. Foi o início de uma história brilhante do handebol mourãoense!

- na imagem acima, Danilo participando em Campo Mourão do evento comemorativo aos 40 anos da história do handebol na cidade, em 2016. 
A união daquele time era impressionante, treinávamos na quadra de asfalto do Colégio Estadual, muitas vezes às 6 horas da manhã, ou na quadra do Tagliari, um luxo para a época... 
Os primeiros Jogos Abertos Regionais, em 1975, foram realizados em barracões recém-construídos da Coamo, onde foram pintadas as quadras de handebol, voleibol e basquetebol, com a montagem de arquibancadas de madeira. 
Vencemos Goioerê na final, num jogo histórico, até porque nos Jogos de Goioerê havíamos perdido a medalha de ouro justamente para o time da casa. Foi esta vitória que aumentou a motivação para buscar uma medalha inédita nos Jogos Abertos, em Paranavaí. 
Um bronze com gostou dourado, que até poderia ser de prata, já que na fase classificatória Campo Mourão empatou com Paranavaí (16x16) e cruzou com a então imbatível Maringá na semifinal. Uma campanha que ficou na memória!
COMO ANALISA O ESPORTE   NO BRASIL? O esporte é o retrato do Brasil, continua vivendo de fenômenos, basta ver o nosso desempenho na Olimpíada... Para mudar a realidade é preciso mudar o Brasil e a Lava-Jato a última esperança!
QUAL A VOCAÇÃO DE CAMPO MOURÃO? Campo Mourão tem vocação para o
sucesso, sou meio suspeito para falar... mas não tem como imaginar outra vocação para uma cidade que nasceu como “Modelo do Paraná” e tem como principal empresa a Coamo, maior cooperativa da América do Sul, exemplo para o Brasil. E Viva Campo Mourão!
QUAL SEU ESPORTE, ÍDOLO E TIME? Aqui é por amostragem, pois o esporte é a minha vida, qualquer que seja a modalidade... mas o handebol tem um lugar especial no coração; Ídolo, o meu irmão Claudião, que foi um precursor do nosso basquetebol e certamente teria lugar na maravilhosa equipe atual mourãoense! Times? Poderia falar da velha AERM – Mourãoense, mas sou Vasco da Gama (risos)!
QUEM É ATLETA EXEMPLO? Atleta exemplo vou falar do meu companheiro de
time Marcelo Silveira, pelo talento, dedicação e longevidade, comandando várias gerações do esporte mourãoense; e também o Jair Grasso (foto), que foi goleiro brilhante e continua sendo um técnico espetacular, formando os novos talentos do handebol!
QUAL O MELHOR TIME COM QUEM JOGOU? O melhor time que joguei foi o handebol de Campo Mourão de 1975. Título mais importante? O bronze nos JAPs de 1975 em Paranavaí, por ter aberto o caminho do handebol mourãoense!

CITE TRÊS PERSONALIDADES ESPORTIVAS EM CAMPO MOURÃO. Campo Mourão tem muitos exemplos para as novas gerações, no futebol de salão o Carlão Tagliari; no basquete o meu mano Claudião; e no handebol o Nelsinho foi um gênio!
CITE TRÊS PERSONALIDADES (FORA DO ESPORTE) EM CAMPO MOURÃO Difícil citar apenas três, então não vou me comprometer.
JOGO RÁPIDO
MÚSICA– MPB Vinicius e Toquinho.
UM LIVRO – O Último Trem de Hiroshima.
AUTOR? Charles Pellegrino.
PROFESSOR? Vicente Piazza Filho, meu primeiro professor de Educação Física em Campo Mourão - nas fotos recebendo o troféu Tocando de Primeira e o título de Cidadão Honorário de Campo Mourão.
SONHO? Voltar a morar em Campo Mourão!
SAUDADE? DO QUE E DE QUEM? Saudades dos meus pais – Daniel e Rosemary.
HOBBY? Esporte.
MANIA? Carros.
UM PROGRAMA? Tocando de Primeira (Colméia).
FRUSTRAÇÃO? Não tenho.
FAMÍLIA É. Tudo!
A CAMPO MOURÃO DO PRESENTE É Ótima, mas prefiro a cidade da minha juventude!
A CAMPO MOURÃO DO FUTURO . Líder regional e exemplo para o Paraná!
ÉTICA EM UMA FRASE É... A essência da vida em grupo, com todos em busca do bem comum!
QUEM GOSTARIA DE VER HOMENAGEADO AQUI NO BLOG? O grande Ilivaldo Duarte! - 
Nota do Blog: obrigado Danilo pela consideração, mas este espaço é para quem faz, os amigos de ontem e de hoje. Fico envaidecido. Obrigado.
QUAL O RECADO PARA OS LEITORES DO BLOG?  Um grande abraço...Parabéns aos mourãoenses por contarem com profissionais de primeira categoria na Imprensa!
QUAL JOGADA QUE, SE PUDESSE VOLTAR NO TEMPO, JAMAIS TERIA FEITO? Tantos gols sofridos nessa vida de goleiro, não tem como escolher um para ser evitado, mas no tempo de zagueiro no Internato Paranaense não aliviava para os atacantes adversários (risos)!
O MOMENTO ATUAL DA SUA VIDA É..... Ótimo, curtindo a família e ainda em condições de seguir trabalhando pelo esporte!
QUAL PERGUNTA QUE NÃO LHE FIZ QUE GOSTARIA DE TER RESPONDIDO? Você fez todas as perguntas, espero ter conseguido passar um pouco do que sou e da paixão por Campo Mourão e pelo esporte. Abração!
QUAL O SENTIMENTO DE RECEBER ESTA HOMENAGEM E PARTILHAR UM POUCO DA SUA VIDA E DA SUA HISTÓRIA? Um desafio vencido, não foi fácil abrir o coração para contar a minha história. Mais fácil estar no papel de entrevistador!

Parabéns Danilo e por extensão a sua família e aos amigos de ontem e de hoje, que o ajudaram a ser o que é atualmente.