27 de dez de 2016

JOGO RÁPIDO com o deputado federal Rubens Bueno

Deputado Rubens Bueno, como 2017 para o senhor? O ano de 2016 foi muito intenso no campo da política. Ao mesmo tempo em que foi um ano turbulento, já que houve um impeachment presidencial neste período, a cassação de um ex-presidente da Câmara e a prisão deste pela Polícia Federal, houve também sinais de esperança e de mudanças em determinados setores da Administração Pública. O PPS esteve presente e colaborou, de forma responsável, para que o Brasil pudesse superar todos estes episódios. Neste período, nós ajudamos o país a fazer a transição para superar um modelo falido de gestão administrativa, que era representado pelo governo afastado, e conseguimos aprovar, nos últimos meses, as medidas necessárias para o Brasil voltar aos trilhos. 
Como foi o cenário da política brasileira? O Congresso Nacional foi cenário de avanços e retrocessos. Avançou quando mostrou ser possível votar e aprovar um processo de impeachment na mais perfeita ordem democrática e respeitando todas as regras jurídicas deste país. Outra mostra da responsabilidade da classe política com o futuro do país vem da aprovação, neste fim de ano, da PEC do Teto de Gastos. No entanto, houve uma maior turbulência entre o Congresso e a Suprema Corte Brasileira. Prova disto, foram as inúmeras liminares concedidas para questionar o processo de deliberação de algumas matérias. Basta ver que o STF mandou a Câmara reanalisar o pacote de medidas anticorrupção que foi praticamente desfigurado quando votação na Casa. Em setembro, o plenário da Câmara tentou, sem sucesso, anistiar políticos pelo crime de caixa dois eleitoral. A pressão da imprensa e da opinião pública foram decisivos para demover esta parte dos parlamentares que queriam aprovar esta manobra vergonhosa. 
O país vai melhorar com o Temer? A nossa bancada na Câmara atua sempre de forma a acreditar no Brasil e na sua capacidade de resolver seus problemas, que não são
poucos. E o governo do presidente Michel Temer mostra estar disposto a enfrentar os desafios gigantescos para devolver ao país as condições ideais para que se possa empreender, educar e promover a justiça social. E nesta perspectiva que continuaremos a trabalhar pelo Brasil. 
Quando que o senhor esperava ver tantos políticos presos e devolvendo dinheiro ao erário? O Brasil mostra ao mundo que tem instituições fortes e pessoal técnico capacitado para promover uma das maiores investigações contra corrupção que se tem notícia. A Lava Jato é orgulho dos brasileiros por tratar de forma séria um escândalo que, infelizmente, causou prejuízos vultosos às nossas estatais. Esta operação colocou muita gente graúda na cadeia e tem feito retornar aos cofres públicos muito recurso, claro, que numa proporção muito menor ao dano causado. Mas há que se aplaudir a Lava Jato. Em novembro deste ano, a força-tarefa anunciou que a Petrobras recebeu R$ 204,2 milhões recuperados por meio da Lava Jato. 
Quais foram seus principais projetos? Em 2016, entrou em vigor Lei, de minha autoria, que exige o uso de farol baixo nos veículos automotores, mesmo durante o dia, em rodovias e túneis do país. Em alguns estados, o número de acidentes caiu quase 40%, após a nova regra. Outra matéria de minha autoria é a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que prevê o fim do foro privilegiado para parlamentares, presidente da República, magistrados, ministros, governadores e prefeitos. O texto está na Comissão de Constituição e Justiça. Também apresentei projeto de Lei que obriga as operadoras de telefonia a bloquear em 24 horas aparelhos de celular roubados. O dispositivo, se aprovado, exigirá que as empresas operem para inutilizar de forma remota o aparelho e, em consequência, extinguirá, de forma prática, o mercado paralelo de celulares que são objetos de furto ou roubo. Em novembro, também relatei um projeto aprovado pela Câmara que contém um acordo de cooperação entre Brasil e Itália em matéria de defesa nacional. 
E quanto ao futuro, o que o senhor espera e torce para que aconteça? O que espero é que o meu mandato, conferido pelo povo paranaense, possa continuar servindo aos interesses da coletividade. Sempre tive e permanecerei tendo o interesse público como meta a ser alcançada a partir da minha atuação parlamentar. A minha torcida, da minha família e ao povo é que o Brasil volte a ser orgulho do seu povo. Nesse sentido, precisamos voltar a gerar empregos, diminuir a inflação e os juros e, fiscalizar os gastos públicos, combater a corrupção e, acima de tudo, promover a educação para todos neste país. Agradeço a oportunidade e desejo tudo de bom para os leitores do seu BLOG, para todos àqueles que a mim confiaram seu voto, e a todo o povo brasileiro um feliz e venturoso 2017.

Nenhum comentário:

Postar um comentário