22 de out de 2016

ENTREVISTA DE DOMINGO: radialista Vacir Ferreira (Goioerê)

Filho de mineiros, agricultor, fã de futebol, corintiano, católico, o conhecido radialista Vacir Ferreira, da região de Goioerê é o homenageado na ENTREVISTA DE DOMINGO no BLOG DO ILIVALDO DUARTE. Ele conta sua história e sua paixão pelo rádio. Nascido em Sertanópolis e goioerense desde julho de 1975 é um dos mais experientes profissionais da comunicação na região Centro-Oeste do Paraná. "Minha infância foi no Município de Moreira Salles, sou filho de agricultores, tive uma infância com dificuldades, mas feliz, com muitas brincadeiras, armando arapuca, pescando de peneira e jogando bola descalço nos terreirões de secar café. Cheguei em Goioerê, no dia 15 de Julho de 1.975.- Nunca vou esquecer  essa data, foi  marcante pois no dia  seguinte  tivemos uma geada que dizimou  os cafezais do Paraná. Minha família não era de fazer muitas mudanças. Viemos para Goioerê do Município de Moreira Sales,  onde trabalhávamos com agricultura. Hoje sou radialista, atuo como locutor noticiarista, repórter e administrador de rádio", conta Vacir Ferreira. 

QUEM É VACIR FERREIRA? Sou  radialista, nascido em Sertanópolis (PR), em 10/10/1953. Filho de mineiros, sou casado com Maria Moura Araújo Ferreira há 37 anos, pai de Juliana Araújo Ferreira. Sou agricultor, gosto muito de curtir meu pequeno sitio, fã de Futebol, sou corintiano, católico praticante.
ONDE E COMO FOI A SUA INFÂNCIA? Minha infância foi no Município de Moreira Salles, filho de
agricultores. Tive uma infância com dificuldades, mas feliz, muitas brincadeiras, armando arapuca,pescando de peneira e jogando bola descalço nos terreirões de secar café.
COMO FOI SUA ATUAÇÃO NA JUVENTUDE?Minha juventude foi muita sadia, boa parte morando na roça, vivendo  intensamente. Apesar das dificuldades financeiras  me sentia feliz  pois tinha um grupo de amigos, companheiros e sinceros. Participava nos bailes e festas nas comunidades, com  forte participação nos grupos de Jovens da Igreja Católica.
QUE HISTÓRIAS LEMBRA? Assumir  responsabilidades muito jovem. Por necessidade, fui emancipado civilmente com 17 anos, através de escritura de Emancipação pública  para cuidar dos negócios da família. Isso me marcou, pois  tive que viajar a São Paulo e Minas Gerais em busca de documentos de meus pais - nunca tinha viajado sozinho. Meus pais chegaram no Paraná em 1.940, oriundos do Sul de Minas.
Pouco tempo depois tiveram a casa queimada e não sobrou nada, nenhum documento e assim ficaram até 1.970 -pessoas sem documentos eram comum na época. Fiz essa viagem ao Sul de Minas, pela primeira vez conhecer a terra Natal de meus pais - Cabo Verde e Muzambinho. Um Fato marcante para mim.
COMO SE DEFINE? Sou uma pessoa tranquila, me considero conservador. Levar a sério tudo que faço, herança dos meus pais, pessoas de origem humilde que nos deu o maior exemplo que sigo: honestidade.
DESDE QUANDO EM GOIOERÊ E O QUE FAZ HOJE? Cheguei em Goioerê, no dia 15 de Julho de 1.975. Nunca vou esquecer essa data, foi  marcante pois no dia seguinte tivemos uma geada que dizimou  os cafezais do Paraná. - nas imagens abaixo, capa da Folha de Londrina e o saudoso governador do Paraná Jaime Canet Júnior vistoriando área de café após a geada. 

Minha família não era de fazer muitas mudanças. Viemos do Município de Moreira Sales, onde trabalhávamos com agriculturaHoje sou Radialista, atuando como locutor noticiarista, Repórter e Administrador de rádio. Apesar de aposentado, nunca parei de trabalhar.
COMO FOI SUA TRAJETÓRIA PROFISSIONAL? Até os 19 anos, vivi  na roça com muito orgulho, pois foi  trabalhando duro no cabo da enxada  e do machado, plantando café que meu pai, criou seus seis filhos (sou o quinto). Fui professor  primário, por curto período no distrito de Paraná do Oeste, onde também estudei o antigo Ginásio.  

Ingressei  no meio de comunicação na Rádio Goioerê AM. Primeiramente, fui Rádio Escuta - tinha a função de ouvir e gravar noticiários das grandes Rádios, no caso as Rádios Gaúcha e Guaíba de Porto Alegre entre outras e depois degravar e datilografar as noticias mais interessantes para serem levadas ao ar. Posteriormente fui convidado a fazer
programas sertanejos, vendas de publicidade e promovido a subgerente comercial nos anos 80. Em 1.994 fui gerente administrativo e comercial além de continuar apresentando  programas de notícias e reportagens. Portanto estou há 40 anos na empresa - Desde 1.990, a Rádio Goioerê foi transformada na Fundação Aldeias S.O.S de Goioerê.
O QUE FEZ NO SEU TRABALHO QUE NÃO FARIA DE NOVO?Não me  arrependo de nada.
E A SUA ATUAÇÃO NA COMUNIDADE? Sempre gostei de trabalhar na   comunidade, por isso escolhi morar em um  bairro.  Resido no Jardim Curitiba onde atuei como um dos primeiros 

membros da comissão da Paróquia Cristo Redentor, por várias vezes presidente da Associação de  Moradores do Bairro e até hoje  faço parte  da diretoria, além de ser diretor tesoureiro da Associação Comercial de Goioerê por 4 anos e dois anos  como diretor presidente, e atualmente continuo na diretoria.
COMO ENTROU O RÁDIO, O JORNALISMO  EM SUA VIDA? Por acaso, pois quando mudei para Goioerê, pretendia ser contador. Formei Técnico em Contabilidade no Colégio Particular Maria Gonçalves de Almeida, mas acabei virando radialista. Foi o emprego que apareceu, depois de estar por algum tempo desempregado.   Como disse, meu trabalho na rádio em princípio foi o de datilógrafo.
QUEM FOI SUA FONTE INSPIRADORA?
Sempre  gostei de ouvir rádio, quando adolescente meus irmãos  ouviam a  Rádio Nacional de São  Paulo e o Locutor era Edgar de  Sousa. Ele Fazia programas com duplas sertanejas que  cantavam ao vivo. Tinha um vozeirão, acho que ele era baiano, porque sempre  repetia:“ Bahia meu Deus do Céu!" Eu achava bonito, acho que isso ficou no meu subconsciente e virei locutor. Amo minha profissão..
CONTE ALGUMAS HISTÓRIAS DO RÁDIO.Conheci um Locutor, o nome dele não sei - Chamavam  de "Vecão", tinha uma voz grave poderosa  de fazer inveja. Vivia praticamente de gravações de spot´s (comerciais), era o cara das gravações de comerciais. Morava em Cascavel e de vez quando aparecia em Goioerê para gravar comerciais na cidade - Na época, gravar comercias não era tão simples como hoje, eram gravados em acetados, discos de alumínio. Tinha um aparelho especial para isso. Um belo dia chegou o Vecão e propôs fazer um churrasco para turma da rádio. Estava com um cheque que não lembro o valor. Pediu para um funcionário trocar no supermercado. "Vai Lá amigão, compre a carne, bebidas, carvão  e pega o troco", pediu.  E assim, o rapaz fez, todo animado, até porque estava a fim de comer "churrasco de graça". O que ele não sabia é que o cheque  tinha sido falsificado, bateu na trave e o nosso colega teve que pagar as despesas do supermercado. Quer dizer, sobrou pra gente também que estava na festa. Depois disso  o Vecão passava rapidamente por Goioerê e nunca mais propôs fazer churrasco.
QUAL O ESPORTE PREFERIDO, ÍDOLO E TIME?Futebol, Ronaldo o fenômeno e Corinthians.
QUAL EQUIPE COM QUEM TRABALHOU FOI MARCANTE? Não diria equipe, mais alguns profissionais, destaco Berenildo Morais (Berê)  Narrava quase todas as modalidades esportivas e conhecia perfeitamente as regras do jogo; Celso Adão, apresentador, cantor sertanejo e narrador de futebol; Siderey Clen, começamos juntos na RG (Rádio Goioerê) que hoje é considerado a voz padrão do rodeio no Brasil. Vivendo e aprendendo todos os dias.
QUAL PROGRAMA FOI SENSACIONAL?Não dá para classificar um, sinceramente foram muitos. Gosto de entrevistas. Me lembro das palavras sábias, dos empresários Hermes Macedo e Mário Gazin e me diverti entrevistando Dedé Santana.
QUAL SUA MELHOR TRANSMISSÃO REALIZADA? Gostei muito de fazer a cobertura do episódio do assalto ao Banco do Brasil em Goioerê junto com os colegas da rádio. Foram nove dias de muita adrenalina, a cidade ferveu e ficou conhecida em todo o Brasil. A rádio ficava 24 horas no ar, a gente quase não dormia. Era junho de madrugadas geladas, cheguei a ficar sem voz. Tenho até hoje o material gravado com entrevistas incríveis. A gente dava entrevistas para as rádios de várias cidades do Brasil, inclusive de São Paulo e Rio.
QUAL O MOMENTO E O FUTURO DO JORNALISMO DE GOIOERÊ? O  momento é bom, o jornalismo em Goioerê é bem dinâmico e profissional. Creio que o Jornalismo sempre será importante. Não é uma profissão fácil  mas precisamos  continuar contando a história.
QUAL MANCHETE FICOU NA HISTÓRIA DE SUA VIDA? A notícia da morte de Ayrton Senna em 1994. Um jovem tão talentoso, foi doído, sofrido dar esta notícia.
QUAL MOMENTO FICOU NA HISTÓRIA DE SUA VIDA?O nascimento de minha filha foi bom demais, meu maior tesouro.O pior momento estou passando ao ver  o Brasil  mergulhado em uma crise moral e política, um país  sem rumo envolvido em um lamaçal de corrupção, empresas quebrando e o desemprego aumentando. É uma pena, pois um povo maravilhoso está pagando o pecado que não  cometeu.
QUAL JOGADA QUE, SE PUDESSE VOLTAR NO TEMPO,JAMAIS TERIA FEITO?  Nada  a dizer, não sou perfeito, mas faço de tudo para não ser peso para sociedade.
O QUE AINDA NÃO FEZ QUE, SE TIVESSE CONDIÇÕES, AINDA GOSTARIA DE FAZER? Viajar mais pelo Brasil, conhecer nossas belezas naturais, passear na Europa e conhecer a Terra Santa..
CITE TRÊS PERSONALIDADES
ESPORTIVAS DE GOIOERÊ? Milton reis, jogador de futebol. professor Erivalto (Negão do Handebol) e Mário Ronei, professor de Karatê.
CITE TRÊS PERSONALIDADES EM GOIOERÊ? Padre Luiz  Depaoli, Dr.Wladimir Scarpari e o prefeito Luiz Roberto Costa.
JOGO RÁPIDO
MÚSICA: Sertaneja  Raiz
LIVRO: Deus Negro.
PROFESSOR:Wanderley Lemos de Carvalho, ( Goioerê )
RADIALISTA:Osmar Santos.
JOGO:  Corinthians x Chelsea.
SONHO: Ir a Roma  e conhecer a Basilica de  São Pedro.
SAUDADE? DO QUÊ E DE QUEM?
Da Jovem Guarda  e dos amigos  daquela  época.
MOMENTO INESQUECÍVEL?  A colação de grau da minha filha na Unicentro em Guarapuava.
HOBBY: Nunca  fui bom de  bola -  Mas adoro jogar Futebol Suíço, por isso faço isso duas vezes por semana no Clube de Campo.
MANIA: Mania de fazer economia, vivo apagando luzes em ambientes vazios e desligando aparelhos  fora de uso.
PROGRAMA: Na televisão, Globo Rural.
FRUSTRAÇÃO:Não ter feito o curso de Direito.
FAMÍLIA É... A base de tudo.
RELIGIÃO É .... O que me sustenta espiritualmente e me orienta minhas decisões, sou católico.
A GOIOERÊ DO PRESENTE É – Uma cidade  em desenvolvimento.
 A GOIOERÊ DO FUTURO?. Amo a cidade que moro, seu povo sua gente, aqui nasceu minha filha aqui pretendo continuar, continuará sendo destaque na produção agrícola, mas precisa fortalecer o comércio e a indústria.
QUAL O SENTIMENTO DE RECEBER ESTA HOMENAGEM? Surpreso e emocionado, fiz um filme da minha vida passar em minha mente.
QUEM GOSTARIA DE VER HOMENAGEADO AQUI NO BLOG? Minha filha Juliana.
ÉTICA EM UMA FRASE É... O que todo cidadão deveria ter.
O MOMENTO ATUAL DA SUA VIDA É..... Minha vida particular é muito boa, não posso reclamar  tenho saúde e coragem para trabalhar. Agradeço a  Deus todos os dias por isso.
QUAL O RECADO PARA OS LEITORES DO BLOG? Nunca desespere, acredite e não desista de seus sonhos e objetivos.
QUAL PERGUNTA QUE NÃO LHE FIZ QUE GOSTARIA DE TER RESPONDIDO?  O QUE PENSO DA  ATUAL  GERAÇÃO? E a resposta é: Sinceramente, vejo a geração atual, um tanto precipitada e a sensação é que estão deixando de lado os valores éticos e morais. No entanto vivem um privilégio que poucas gerações tiveram, tem ao seu alcance oportunidades de obterem todo o conhecimento que precisam, desde o primário até curso superior, basta querer e lutar por isso, tudo está ai, gratuito.. Mas vejo com preocupação pois existem muitos "Nem, nem", nem estudam e nem trabalham. Não quero generalizar, mas a violência contra a vida humana e o desrespeito tem crescido demais. Penso que muito pode melhorar, acredito na família, que precisa ser preservada. Sou pessoa de fé  e tenho certeza que Deus está sempre do nosso lado. As vezes não prestamos atenção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário