10 de ago de 2016

COLUNA DE LETÍCIA MIOLLA RIBEIRO: A diferença entre a fala e linguagem

Olá Leitores do Blog do Ilivaldo Duarte.
Hoje as informações serão quanto à fala, a linguagem e as diferenças entre elas!!
A comunicação se dá das mais variadas formas, seja por sinais, códigos linguísticos, escrita e por forma oral. Utilizamos da nossa língua, linguagem ou fala para passarmos informação, mas às vezes nos confundimos ao tentar compreender a diferença e os conceitos, por isso é importante entender como cada um funciona e contribui para a nossa comunicação diária.
É interessante começar explicando que existe uma diferença entre fala e linguagem. A fala se refere basicamente à forma de articular sons nas palavras. A linguagem significa expressar e receber informações de modo significativo; é compreender e ser compreendido através da comunicação.
Podemos conceituar como linguagem uma capacidade restrita aos seres humanos de expressar sentimentos, sensações, transmitir informações, opiniões. A linguagem em si define-se em dois tipos, são eles:
· Linguagem verbal que se caracteriza de forma oral ou escrita com a utilização de códigos que servem para facilitar a comunicação entre os homens.
· Linguagem não verbal que se define por símbolos ou sinais em forma de desenhos, figuras que servem como ponte para a comunicação sem ouso de palavras, como por exemplo as placas de trânsito.
Já a fala é a forma como alguém se comunica de maneira oral, fazendo uso da linguagem verbal. É bastante comum que ela seja afetada por costumes locais, vícios de linguagem relacionados ao ambiente que a pessoa frequenta e as pessoas ao seu redor, ao tipo de linguagem que estas usam para se comunicar. Nossa fala passa por um processo de construção ao longo da nossa vida e nela colocamos aspectos do nosso pessoal e de nossas experiências, por isso a fala pode distinguir-se bruscamente de um indivíduo a outro.
*Dicas:
Para melhorar a comunicação fale mais lentamente; pronuncie as consoantes com clareza; articule bem as palavras; pratique exercícios com repetições de frases aumentando e diminuindo a velocidade de fala; grave e ouça sua voz para realizar correções; cante para diminuir a timidez, melhorar a articulação e intensidade de voz; e na duvida ou insegurança procure um profissional.
Muitas pessoas têm dúvidas de qual é o momento, ou a idade certa, para procurar atendimento fonoaudiológico. O importante é não esperar para avaliar, uma vez que a detecção precoce de qualquer dificuldade facilita muito a reabilitação.
Letícia Tomaz Miolla Ribeiro Fonoaudióloga CRFa 3 – 9626 leticiamiolla@hotmail.com (44) 9969-4358

Nenhum comentário:

Postar um comentário