28 de jul de 2016

HOMENAGEM AO AGRICULTOR. O homem do campo é um forte.

As sementes da nova safra são lançadas ao solo com expectativa de êxito e desenvolvimento e no momento certo acenam para o homem do campo que ele irá colher sua produção de grãos, como recompensa pela incansável dedicação como produtor de alimentos. 
O homem do campo, o agricultor  é forte! É um homem de fé, que desejos imensuráveis de partilha e felicidades não só para si, mas também para seus familiares, vizinhos, amigos e companheiros de labuta que com ele estão lado a lado sua jornada.
O homem do campo é otimista por natureza e tem suas esperanças restauradas a exemplo do que acontece com a Primavera, quando vemos as folhas já caídas darem lugar a beleza e a novas cores, alegres e sugestivas que fazem bem a todos e ao meio ambiente.
O agricultor, o homem do campo é um forte! Porque planta sempre uma nova safra e não perde o ânimo nunca, acreditando em clima favorável com chuva e sol na medida certa. E com persistência e fé inabalável, espera ver ao vivo e em cores a evolução das suas lavouras, semeadas em solo fértil.
O uso da tecnologia atualizada faz com que o homem do campo seja antes de tudo, um ser que acredita e sabe o que está fazendo, na busca incessante da perfeição e do máximo potencial produtivo de suas lavouras. 
O agricultor, o homem do campo, anseia e luta para ver não só os seus sonhos realizados com uma excelente produção, mas também que suas metas traçadas sejam superadas a cada nova safra com melhores produtividades.
O homem do campo é um forte, porque acredita e trabalha para que os frutos do seu trabalho sejam recompensados, em razão da sua imensa dedicação, entusiasmo, inovação, persistência e desejo de vencer buscando a concretização das suas conquistas no ambiente produtivo rural.
O homem do campo é um forte. É um forte porque tem vocação e amor à sua terra, é um ser sempre apaixonado, corajoso, esperançoso e persistente, que acredita na graça de Deus para que suas safras sejam sempre mais produtivas, remunerando assim o seu trabalho  e colaborando para alimentar a fome de milhares de pessoas em todo o mundo.
Por tudo isso e muito mais, sinto orgulho do homem do campo e agricultor, e como neto de agricultores e cooperativistas tiro com respeito e admiração o chapéu para o homem do campo e agricultor.
Ilivaldo Duarte, neto de agricultores e cooperativistas, mourãoense, jornalista e membro da Academia Mourãoense de Letras, fundador da cadeira nº 28.

Nenhum comentário:

Postar um comentário