25 de jan de 2016

ENTREVISTA DE DOMINGO: Cristina Gláucia Schreiner da Mota

"Só tenho a agradecer, foram seis décadas de vida recheada de bons momentos. Pois, aprendi a valorizar o que é bom sempre", comemora a mourãoense, Cristina Gláucia Schreiner da Mota, professora, escritora e empreendedora. Ela é homenageada neste final de semana, na volta da ENTREVISTA DE DOMINGO aqui no Blog do Ilivaldo Duarte. 
Cristina é filha de Francisco Schreiner Filho e Emma Elza Wurth Schreiner, pioneiros em Campo Mourão. É  membro da Associação Mourãoense de Escritores e ocupante da Cadeira número 38 da Academia Mourãoense de Letras.
Dinâmica e com o propósito sempre de servir, Cristina tem na sua jornada atuação voluntária na Sociedade São Vicente de Paulo, da qual é membro fundadora da Conferência São Francisco de Assis, no Movimento Serra de Campo Mourão, entre outros. É diretora Administrativa da Câmara da Mulher Empreendedora e Gestora de Negócios de Campo Mourão e Região. Já exerceu a presidência (Gestões abril-2011 /2013 e 2013 / 2015) da Associação Mourãoense de Escritores, e na Academia Mourãoense de Letras exerce o cargo de tesoureira. "Receber esta homenagem Ilivaldo é um presente muito especial, é uma alegria muito grande. Quando você tem oportunidade de partilhar a sua história de vida que poderá servir de exemplo a ser seguido a alegria é maior ainda" comemora.
Ótima leitura e tudo de bom.





QUEM É CRISTINA GLÁUCIA SCHREINER MOTA? Nasci em
Campo Mourão, no dia 12 de janeiro de 1956, filha de Francisco Schreiner Filho e de Emma Elza Wurth Schreiner (Pioneiros em Campo Mourão). Casada com Antonio Jorge Pereira da Mota e mãe de Francisco José Schreiner da Mota, residente em Zurich (Suiça) e Franciane Schreiner da Mota, arquiteta atuando há dois anos aqui em Campo Mourão. Sou formada em Letras, pela Faculdade de Ciências e Letras e Educação de Presidente Prudente – SP, com especialização em Estrutura do Ensino da Língua Portuguesa, pela Faculdade de Ciências e Letras de Campo Mourão - Fecilcam.
Possuo capacitações específicas nas áreas: Língua Inglesa, Administração Financeira da Pequena Empresa, Vendas, Marketing Empresarial e na Área da Infância e Adolescência. 
Sou professora emérita, empresária no seguimento de materiais elétricos e escritora. Historiadora das famílias: Schreiner, Wurth, Kolbeck e Assis Mota.


Membro da Associação Mourãoense de Escritores e ocupante da Cadeira número 38 da Academia Mourãoense de Letras.

ONDE E COMO FOI A SUA INFÂNCIA? Passei a minha
infância no Lar Paraná, morávamos na “Chácara Bosque Lindo” – que ficava no final da Rua Tarumã e costeada pelo Rio 19. Ali, ajudava meus pais nos pequenos trabalhos, pois meus pais na época tinham leiteria e oficina mecânica. Estudava no grupo escolar Lar Paraná. Quando sobrava um tempinho, brincava no bosque repleto de gabirobas e pitangas. E, aos domingos participava da catequese na Paróquia Nossa Senhora do Caravággio (antiga de madeira) e no período da tarde brincava com meu irmão de rolar em tambores e carrinho de rolimã feito pelo meu pai.
COMO FOI SUA ATUAÇÃO NA JUVENTUDE E ONDE? Sempre fui muito tímida. Gastava o pouco tempo vago que tinha fazendo trabalhos manuais e escolares. Participava do grupo de jovens Jucris e mais tarde da Mocam - abaixo, foto do grupo na década de 70. Nesta época, ingressei no grupo de vicentinos jovens – Conferência São Francisco de Assis - Sociedade São Vicente de Paulo  – do qual participo até hoje.

QUE HISTÓRIAS OU FATOS LEMBRA? Vou relatar um fato recente que marcou muito minha vida. A formatura de minha sobrinha filha Suelen Letícia Tavares no curso de medicina pela UEM. Por ocasião da homenagem aos pais ela saiu do palco e entregou-me a rosa e o quadro. Confesso que faço e farei por ela tudo que sua mãe faria para que seja muito feliz em sua nova jornada.
COMO SE DEFINE? Pode até não parecer, mas, sou uma mulher realizada pessoalmente e profissionalmente.

DESDE QUANDO EM CAMPO MOURÃO, POR ONDE PASSOU E O QUE FAZ HOJE? Minha vida se passou toda em Campo
Mourão, embora tive oportunidades de mudar várias vezes para Maringá, Curitiba e Sinop (MT). Mas, repensei várias vezes e permaneci aqui em Campo Mourão. Aonde estou há 31 anos liderando a empresa Campo Lustres  – Comércio de Materiais Elétricos Ltda.
COMO FOI E ONDE SUA TRAJETÓRIA PROFISSIONAL? Minha vida profissional se divide em cinco etapas:
Primeira: Trabalhava na agricultura e pecuária junto com os pais e estudava à noite depois de uma jornada pesada. Era plantando grama, roçando pasto, fazendo cerca para o gado, capinando arroz, até os 20 anos.
Segundo: Trabalhei como auxiliar laboratorista no Laboratório Professor Ephigênio José Carneiro durante 10 anos. (Foto abaixo: Pedro Veiga, Egidio Martello, Ephigênio José Carneiro e Jair Elias dos Santos Júnior).

Terceira: Deixei o Laboratório devido a alergia dos produtos com os quais manuseava. E fui lecionar pela Fucam. No colégio do Barreiro das Frutas, nas Barras e na escola Maria do Carmo Pereira (no Jardim Tropical, hoje estadual).
Quarta: Passei no concurso público, casei e lecionei em vários colégios do Estado até a aposentadoria, sempre no período noturno.
Quinta: Paralelo ao trabalho pela Seed (Secretaria Estadual de Educação) conciliava os cuidados com a casa, filhos e a Empresa Campo Lustres – Comércio de Materiais Elétricos Ltda.

O QUE FEZ NO SEU TRABALHO QUE NÃO FARIA DE NOVO?Eu queria ter guardado uma cópia das listas de presenças de todos meus alunos.
E A SUA ATUAÇÃO NA COMUNIDADE? Preocupada com o
próximo, faço trabalhos voluntários: Sociedade São Vicente de Paulo (membro fundadora da Conferência São Francisco de Assis), Movimento Serra de Campo Mourão, Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente e Comitê Gestor do Leite das Crianças – Governo do Paraná (por vários anos).
Diretora Administrativa da Câmara da Mulher Empreendedora e Gestora de Negócios de Campo Mourão e Região.

Já exerci a presidência (Gestões abril-2011 /2013 e 2013 / 2015) da Associação Mourãoense de Escritores.

Sou ocupante da Cadeira número 38 da Academia Mourãoense de Letras. Na qual, exerço o cargo de tesoureira.

COMO ENTROU A CULTURA E EDUCAÇÃO EM SUA VIDA? Da quinta série em diante tive o professor Egydio Martello – que lecionava a disciplina de português. E, em todas as sextas feiras tinha que declamar poesia. Isto era sagrado. Sendo assim, copiava a poesia ou biografia de escritor e decorava durante as pequenas paradas dos trabalhos braçais na lavoura para as aulas do Martelinho. Daí que surgiu o gosto pelos registros de famílias. Também adorava escrever cartas e mais cartas para os primos, parentes e amigos que
fazia nos encontros de jovens através da Mocam e Vicentinos.
COMO ENTROU A ACADEMIA DE LETRAS EM SUA VIDA? Foi na manhã do dia 17 de janeiro de 2013, recebi a visita surpresa do presidente Jair Elias dos Santos Junior, para comunicar que fui eleita para ocupar a cadeira de número 38, da Academia Mourãoense de Letras. Confesso que foi uma grande alegria que não tem palavras para descrever.

QUAL A IMPORTÂNCIA DELA EM SUA VIDA E PARA A SOCIEDADE? Da mesma maneira que é uma satisfação muito grande fazer parte de um grupo seleto é uma honra. E, também um compromisso muito sério. Faço sempre o possível para cumprir com os objetivos da academia que é o cultivo, a preservação do vernáculo e sua divulgação nos aspectos científicos, históricos, literários e artísticos.

QUAIS, ENTRE TANTAS, SÃO EXPERIÊNCIAS QUE NÃO SAEM DA MEMORIA? Durante minha trajetória profissional tive que buscar muitas informações para dar conta do recado. Como por exemplo: De trabalho braçal para auxiliar técnica de laboratório de análises clínicas. Depois, para lecionar. E, paralelo com o Magistério a gestão da Empresa. E, aqui faço uma observação importante: na pequena empresa, o empresário faz de tudo. Tudo isso, que consegui. Foi com muita força de vontade e persistência para chegar até aqui.
QUAL O ESPORTE PREFERIDO, ÍDOLO E TIME? Não tenho costume de acompanhar. Mas penso que o esporte é muito importante na vida das pessoas.
COMO ANALISA A CULTURA ATUAL EM CM E NO BRASIL?A cultura mourãoense comparada a outras cidades do mesmo porte é excelente. Pois, aqui temos a Academia Mourãoense de Letras e a Academia Mourãoense de Filosofia. Temos a Associação Mourãoense de Escritores. E, sem contar que já realizamos duas edições da Bienal do Livro e Leituras. E, muito mais.

QUAL MANCHETE FICOU NA HISTÓRIA DE SUA VIDA?Academia Mourãoense de Letras elege patronesse e fundadora da cadeira 38” (17.01.2013).

QUAL MOMENTO FICOU NA HISTÓRIA DE SUA VIDA? 
tenho a agradecer, foram seis décadas de vida recheada de bons momentos. Pois, aprendi a valorizar o que é bom sempre. Mas, tive um momento triste, a perda de meu pai. O qual tem uma história de vida significativa para Campo Mourão. Devido seu legado, a Rua pioneiro Francisco Schreiner Filho no  Jardim América.
QUAL JOGADA QUE, SE PUDESSE VOLTAR NO TEMPO, JAMAIS TERIA FEITO?Penso que não tenho. Procuro sempre aprender com meus erros.

ÉTICA É... - um conjunto de valores vivenciados pela pessoa... que torna-a uma pessoa de boa conduta.

O MOMENTO ATUAL DA SUA VIDA É... tempo de agradecer. Celebrar a vida.
O QUE AINDA NÃO FEZ QUE, SE TIVESSE CONDIÇÕES, AINDA GOSTARIA DE FAZER? Devido a inúmeras atividades, falta tempo. Mas, quero conhecer a República Tcheca. Quero terminar o livro “Mota Assis” no qual relatando a trajetória de vida dos parentes do lado meu esposo.
CITE TRÊS PERSONALIDADES ESPORTIVAS EM CAMPO MOURÃO? Professor Idevalcir Maia, Ilivaldo Duarte e Professor Villa (Sidemar Roberto Villa - foto).

CITE TRÊS PERSONALIDADES (FORA DO ESPORTE) EM CAMPO MOURÃO Citarei três, sem medo de errar: José Aroldo Gallassini, Edilaine Maria de Castro e Newton Leal. São pessoas que admiro muito pelo seu exemplo de vida que cada um tem.

                                  JOGO RÁPIDO
MÚSICA? Romântica.
UM LIVRO? Olhai os Lírios do Campo.
UM AUTOR Peter Drucker e Mário Quintana.

UM PROFESSOR?  Professor Egydio Martello(foto).
SONHO? Visitar as pequenas cidades de onde saíram meu bisavós: HAMMER – República Tcheca e Baden-Baden na Alemanha.
SAUDADE? DO QUÊ E DE QUEM? Da infância. Tenho saudade de meu pai Francisco Schreiner Filho.
MOMENTO INESQUECÍVEL? Nascimento dos filhos.

HOBBY? Registrar as histórias de famílias – Genealogia.
MANIA?  Perfeição.
60 ANOS DE IDADE É... tempo de comemorar a vida e  as conquistas. São muitas emoções.
FRUSTRAÇÃO? Não ter aprendido alemão com meus avós.
FAMÍLIA É.... o bem mais precioso.
RELIGIÃO É... vida e esperança.

A CAMPO MOURÃO DO PRESENTE É... um ótimo lugar para viver.

A CAMPO MOURÃO DO FUTURO SERÁ....com certeza será mais bela.
QUAL O SENTIMENTO DE RECEBER ESTA HOMENAGEM E PARTILHAR UM POUCO DA SUA VIDA? Receber esta homenagem é como receber um presente muito especial.  É uma alegria muito grande. Quando você tem oportunidade de partilhar a sua história de vida que poderá servir de exemplo a ser seguido a alegria é maior ainda...
QUEM GOSTARIA DE VER HOMENAGEADO NO BLOG? Meu afilhado Padre Willian de Oliveira Lopes e José Maião, presidente da Sociedade São Vicente de Paulo.
QUAL O RECADO PARA OS LEITORES DO BLOG? Que não deixem o desanimo tomar conta... Pois, “Enquanto muitos choram... venda lenços”
QUAL PERGUNTA QUE NÃO LHE FIZ QUE GOSTARIA DE TER RESPONDIDO?Você gosta de Campo Mourão? Sim. Adoro minha cidade natal pelo clima, pela cultura e pelas pessoas acolhedoras que escolheram Campo Mourão para viver.


Nenhum comentário:

Postar um comentário