20 de dez de 2013

OLGA, agricultora, empresária e da Acadêmia de Letras de Maringá

A confreira da Academia de Letras de Maringá, fundadora da cadeira 35 é uma dessas mulheres a frente do seu tempo e com atuação em várias àreas da sociedade maringaense. Ela nasceu em Assis (SP), filha de João e Dimara Agulhon, e reside em Maringá desde os 7 anos de idade. Graduada em Pedagogia pela Universidade Estadual de Maringá, foi presidente da Academia de Letras de Maringá em 2008 e é associada à União Brasileira de Trovadores - Seção de Maringá. É uma mulher de fibra que faz a diferença e tem uma história para contar na área do agronégócio. 
"Pode me mandar embora. Para mulher eu não trabalho." A frase lembrada por ela, agricultora, resume a insatisfação de um dia manifestada por um administrador quando soube que a propriedade rural passaria a ser gerenciada pela filha do dono. Ela, a acostumada desde pequena a auxiliar o pai nos negócios, não teve dificuldades para assumir o comando de duas fazendas.
Agricultora bem-sucedida, conduz suas propriedades com visão empresarial, e conquistou o respeito dos colaboradores e agricultores da região. Tanto que é uma das únicas agricultoras a integrar o conselho de administração de uma cooperativa agropecuária no Brasil (Cocamar). É casada com o agricultor Antonio Molonha e é mãe de duas filhas, mas faz questão de dizer que ela o marido compartilham conhecimentos, mas não misturam seus negócios. "Queremos crescer cada vez mais, precisamos fazer a nossa parte, dar o melhor de nós a sociedade e nas lavouras, ampliar cada vez mais as produtividades", prevê a líder, empresária, escritora, pedagoga, com atuação na Secretaria Municipal da Mulher em Maringá. Gente da nossa terra paranaense, do Norte do Paraná.

Nenhum comentário:

Postar um comentário