31 de out de 2012

QUALIDADE 5S: A Promoção das Famílias na Arcam em Mamborê

Com cerca de 350 pessoas entre funcionários e familiares, a Arcam de Mamborê sediou na noite desta terça-feira (30/10) o evento Promoção com as Famílias, que integra o calendário de atividades do Programa de Qualidade 5S da Coamo.
Foi uma noite muito agradável com gente bonita e interessada em aprender e crescer. Estive lá conversando com os amigos de Mamborê, juntamente com Ricardo Bahia, coordenador do 5S da Coamo.
Conversei com eles sobre o tema "Bom Mesmo É Ser Feliz", com foco nos valores, autoestima, ética e as qualidades necessários para ser um cidadão feliz, muito feliz.
Nas imagens deste post, a alegria dos participantes no evento coordenado pelos amigos Euclides e Francisco Giroldo, com direito até ao tradicional Parabéns a Você para o gerente aniversariante Celso Paggi- na foto abaixo com a esposa e filhos.

Viva os amigos da Coamo em Mamborê!

GOTAS DE MISERICÓRDIA: Sacrífício de vontade

Estou exigindo de ti um sacrifício perfeito de oblação – o sacrifício da vontade. Nenhum outro  sacrifício pode-se comparar com ele. Sou Eu mesmo que dirijo a tua vida…(Diário de Santa Faustina, 923). Do Blog de Eliana Sá (Canção Nova). Imagem do artista Sergio Striechen.

EVANGELHO DO DIA Quarta-Feira, 31 de Outubro de 2012

Evangelho (Lucas 13,22-30)

Quarta-Feira, 31 de Outubro de 2012 -30ª Semana Comum
Naquele tempo, 22Jesus atravessava cidades e povoados, ensinando e prosseguindo o caminho para Jerusalém. 23Alguém lhe perguntou: “Senhor, é verdade que são poucos os que se salvam?” Jesus respondeu: 24“Fazei todo esforço possível para entrar pela porta estreita. Porque eu vos digo que muitos tentarão entrar e não conseguirão”. 25Uma vez que o dono da casa se levantar e fechar a porta, vós, do lado de fora, começareis a bater, dizendo: ‘Senhor, abre-nos a porta!’ Ele responderá: ‘Não sei de onde sois’.
26Então começareis a dizer: ‘Nós comemos e bebemos diante de ti, e tu ensinaste em nossas praças!’ 27Ele, porém, responderá: ‘Não sei de onde sois. Afastai-vos de mim todos vós que praticais a injustiça!’ 28Ali haverá choro e ranger de dentes, quando virdes Abraão, Isaac e Jacó, junto com todos os profetas no Reino de Deus, e vós, porém, sendo lançados fora.
29Virão homens do oriente e do ocidente, do norte e do sul, e tomarão lugar à mesa no Reino de Deus. 30E assim há muitos que serão primeiros, e primeiros que serão últimos”.
- Palavra da Salvação. - Glória a vós, Senhor.

30 de out de 2012

QUINTA-FEIRA COMEÇA O Campeonato Sul-Brasileiro de Basquete em Campo Mourão no ginasinho JK

O Campo Mourão Basquete recebe a parrir de quinta-feira as  equipes de Maringá-PR, Caxias do Sul-RS e Joinville-SC, pelo Sul Brasileiro de Clubes que será realizado no ginasinho JK de  01 a 03 de Novembro (Quinta a sábado).

Os ingressos poderão ser adquiridos nos dias dos jogos (18 horas e  20 horas) no valor de R$ 10,00 (mulheres, crianças e estudantes com carteirinha pagam meia entrada).
Com o apoio da torcida o time mourãoense vai à busca do título inédito do Sul Brasileiro e fixar-se como potência no Basquete do Sul do País. Na quinta-feira joga contra Maringá, com o Caxias do Sul-RS na sexta-feira e no sábado contra o Joinville, equipe que disputa o NBB e chegou nas quartas de finais na ultima edição da Liga Nacional.
“Sem dúvida o apoio de nosso torcedor é imprescindível para a conquista do Sul Brasileiro, pois foi com o apoio da torcida que conquistamos o vice-campeonato da Copa Brasil, garantindo a vaga para a Supercopa, também o título da Taça Paraná, e estamos invictos no Paranaense, e com esse apoio vamos com força total para buscarmos também este título” Declarou o Técnico Emerson Luís de Souza.

TABELA DO SUL BRASILEIRO

01/11/2012 –Quinta- feira
18:00 - Joinville Basquetebol X Caxias do Sul Basquete
20:00 - Campo Mourão Basquete X Maringá

02/11/2012 – Sexta- feira
18:00 Maringá X Joinville Basquetebol
20:00 Campo Mourão Basquete X Caxias do Sul Basquete

03/11/2012 – Sábado
18:00 Maringá X Caxias do Sul Basquete
20:00 Campo Mourão Basquete X Joinville Basquetebol

Apoio - O Campo Mourão/Basquete conta com o apoio da Prefeitura de Campo Mourão através da Fundação de Esportes (Fecam), e com os patrocínios dos Alimentos Coamo, Colégio e Faculdade Integrado, Viapar e BRDE, e a parceria com a Clínica Físioclinica, Academia Trainer, Churrascaria Minuano, Construtora Marcovic, Centro de Diagnósticos Dr. Marcos Corpa, Clínica Ortoclin e Via Sollus Corretora de Seguros através de recursos da Lei de Incentivo ao Esporte do Governo Federal.

JOSÉ EUGENIO MACIEL: DANIEL, com o registro devido


Ponta Grossa, cidade querida com seus vastos pinheirais do Paraná é a princesa  Princesa dos Campos Gerais (...)
Suas praças sempre floridas são eternas primaveras e a cidade, que beleza encerra é do Brasil, - minha terra! (...)
Ponta Grossa (Revista O ver o mundo)
O nome, palavra Daniel, tem origem etimológica do hebraico, é bíblico, a significar “Deus é o meu juiz”, e no sentido de “gostar de ser útil”. Significado e sentido que amoldam o que foi a vida de Daniel Kravchychyn, 83 anos, advogado e cartorário. Sempre pronto, disposto, compenetrado, elegante e galã, também não perdia a oportunidade para contar os seus causos, dar gargalhadas. Tinha prazer em amealhar e cultivar amigos, os enaltecia notadamente na ausência deles, agindo com fraternidade sem que carecesse de estenderem as mãos, tal gesto primeiro partia dele. Daniel conciliava trabalho árduo realizado com esmero cartorial marcado pelo profundo conhecimento das leis, com a confraternização, bastava um sorriso e um abraço para a alegria se expandir, Daniel “bebeu muitos goles da vida”, com intensidade e renovação ímpares.
Na terça-feira passada Daniel encerrou o ciclo vital. Passou a rumar para o infinito. Nos preparativos dessa viagem ele se despediu atenta e afetuosamente dos filhos, netos, familiares, os saudando como magnânimo paternal, assim como dos seus muitos amigos. Amizades constituídas a partir dos anos 70 quando aqui se estabeleceu como cartorário e logo galgou conceito em vista de ser exemplar servidor, se conduzindo com presteza e fé pública notáveis da sua proba carreira. Afeiçoou-se edificantemente a Campo Mourão, cidade na qual presenciou, apoiou e fez parte positivamente da história.
É possível supor que ele faça uma parada providencial, Ponta Grossa: lá abraçará a todos com a imensidão dos braços das araucárias repletas de pinhas, altaneiras e imponentes nos vastos Campos Gerais, amor primeiro e inseparável. Lá exerceu quatro mandatos de vereador e presidiu o Legislativo, se tornando desde muito jovem uma liderança política caracterizada pela típica vocação para as funções públicas. A destacada atuação levou o então governador Paulo Pimentel a convidá-lo para ser o chefe de gabinete, tendo aceitado com o objetivo primordial, a causa pública. A amizade entre ambos permaneceu como laço tão forte que, em todas as campanhas eleitorais, em Campo Mourão, sendo o Paulo candidato, lá vinha o doutor Daniel pedir o voto para ele.
Ponta Grosa e Campo Mourão não dividiram jamais o coração do Daniel. Pelo contrário, foi ele a soma de um sentimento uno, lugares onde ele encontrava os seus amigos, raízes fecundas nutridas por muitas histórias. Lembro-me do Diário dos Campos ou do Jornal da Manhã, jornais ponta-grossenses que assinava para se manter informado e atento aos acontecimentos da sua terra, era rotineiro trazer para os meus saudosos pais (Eloy e Elza) alguma notícia daquele lugar de onde todos vieram.
No dia da despedida derradeira a chuva caiu intensa em Campo Mourão e Ponta Grossa, primeiramente para arrefecer o calor elevado, águas que caíram para renovar a vida, afofar, encharcar a terra, correram livres pelos campos – Mourão e Gerais – inclusive pelas vias lisas e planas da nossa cidade ou nos aclives com paralelepípedos da Princesa.
Realizadas as despedidas nas mencionadas paradas, Daniel concluirá o itinerário e aportará seguramente ao lado da inesquecível e generosa Dona Rose, para serem sempre lembrados como seres amados.

Frases de Fazer Frases (I)
Só adivinho o divino com o vinho da vindita.

Frases de Fazer Frases (II)
A imitação perfeita é plágio perfeitamente disfarçado.

Olhos, Vistos do Cotidiano (I)
“Radares não terão campanha educativa”, manchete desta Tribuna, edição da última terça. A notícia diz respeito aos radares instalados na BR 487, Campo Mourão-Iretama. É preciso não ser tolerante em demasia, não carece absolutamente de campanha educativa, basta respeitar os sinais de trânsito por parte dos motoristas, que não podem alegar ignorância. Campanha educativa se faz para crianças e jovens, futuros motoristas.

Olhos, Vistos do Cotidiano (II)
Sobre o trânsito mourãoense, foi pintado o símbolo “preferencial” após as faixas em relação aos canteiros (tecnicamente não são rotatórias) na avenida Cap. Índio Bandeira. Não será estranho que se pinte o “triângulo” também antes da faixa e do “pare” já pintado.
Tanto no caso da BR 487 quanto na principal avenida mourãoense, não se pode alegar desconhecimento, pois foi amplamente divulgado pelos meios de comunicação sobre as mudanças implantadas. Quem não se mantém minimamente informado, acaba sabendo da pior maneira, quando chega o aviso do DETRAN, informando das multas.

Reminiscências em Preto e Branco
“Antes fosse o que deveria ter sido”. “Era para ser, mas nunca foi”. “Foi sem nunca ter sido”. Eis o tempo: a tempo; há tempo.
José Eugênio Maciel, mourãoense, professor, sociólogo, advogado e membro da Academia Mourãoense de Letras.

A LOGO DO ANO DA FÉ: um ano para aprofundar a fé católica e se redescobrir

O Ano da Fé é um tempo próprio para redescobrir, aprofundar e viver a fé católica. Esse período foi aberto oficialmente pelo Papa Bento XVI no dia 11 deste mês com uma Santa Missa realizada no Vaticano.

Até o dia 24 de novembro de 2013, quando será encerrado o Ano da Fé, o Santo Padre propõe várias atitudes para os católicos crescerem nessa virtude, entre elas, estudar o Catecismo da Igreja Católica (CIC), melhorar o testemunho cristão e crescer em obras de caridade.
Uma logomarca vai acompanhar toda a trajetória do Ano da Fé, carregada de um significado próprio. Entenda cada parte deste logo:
No campo quadrado e com borda, encontra-se simbolicamente representada a nau, imagem da Igreja, que navega sobre águas sutilmente esboçadas.

O mastro principal é uma cruz que iça as velas. Estas por sua vez, realizam o Trigama de Cristo (IHS). E, ao fundo das velas, aparece o sol que associado ao Trigama remete à Eucaristia.

LUZIA SANTIAGO: Sede imitadores de Deus


Hoje, o convite do Senhor a cada um de nós é: “Sede imitadores de Deus, como filhos que Ele ama” (Ef 4,32).
Talvez você tenha se perguntado: Como imitar o Senhor ? É muito simples. Tudo o que formos fazer, façamo-nos esta pergunta: Se fosse Jesus, como Ele agiria nesta situação? Façamos este exercício constantemente e colheremos maravilhosos frutos em todas as áreas da nossa vida, e mais ainda, faremos a profunda experiência de sermos amigos íntimos de Jesus. Seremos um com Ele e Ele um conosco.
Jesus, dá-nos a graça de sermos Teus verdadeiros imitadores.

EVANGELHO DO DIA Terça-Feira, 30 de Outubro de 2012

Evangelho (Lucas 13,18-21)

Terça-Feira, 30 de Outubro de 2012
30ª Semana Comum
Naquele tempo, 18Jesus dizia: “A que é semelhante o Reino de Deus, e com que poderei compará-lo? 19Ele é como a semente de mostarda, que um homem pega e atira no seu jardim. A semente cresce, torna-se uma grande árvore e as aves do céu fazem ninhos nos seus ramos”. 20Jesus disse ainda: “Com que poderei ainda comparar o Reino de Deus? 21Ele é como o fermento que uma mulher pega e mistura com três porções de farinha, até que tudo fique fermentado”.
- Palavra da Salvação. - Glória a vós, Senhor.

29 de out de 2012

PROFESSORA MARIA JOANA: De mensalão em mensalão lá se foi mais uma eleição...


“Se vivêssemos ainda no tempo em que o eleitor escrevia o nome de sua preferência na cédula de papel, Joaquim Barbosa seria o "cacareco" da vez em todo o País. Calcula-se que sete em cada dez brasileiros votariam hoje no ministro do STF, a despeito de sua não candidatura” – Tutty Vasques, humorista – O Estado de S. Paulo.
O desencanto com a política dominou esta eleição como nunca se viu antes, nem mesmo na época do regime militar, em que não havia eleições diretas para prefeitos de capitais, governadores e presidente da República. Muita gente votou por obrigação dizendo mesmo que, se pudesse, nem iria votar. Os votos brancos aumentaram e se pudéssemos escrever nas cédulas muitos votos de protestos apareceriam. Não houve discussões acaloradas entre eleitores, não se viam muitos carros com adesivos, a não ser os que estão a serviço das campanhas, não houve interesse em pegar os panfletos distribuídos nas ruas, nem presença significativa nas manifestações públicas. Caiu a audiência do horário eleitoral na televisão, sumiram os militantes não remunerados, com camisetas, broches e argumentos, tentando convencer eleitores a votar no candidato do seu partido e discutir suas propostas.
Ainda precisa ser analisado este desinteresse nas eleiçõesque revela a insatisfação da população com os políticos, com a corrupção generalizada e com a obrigatoriedade do voto. Elas ocorrerem ao mesmo tempo do julgamento do mensalão, apesar de todo esforço do PT para adiá-lo... Segundo o ex-presidente Lula o julgamento não afetou as eleições e o PT teve sua maior vitória... Contrariando a avaliação do ex-presidente, o ministro Gilberto Carvalho avaliou que o mensalão atrapalhou o PT nas eleições, mas que o partido "conseguiu sobreviver a esse obstáculo".
Mas, vendo a propaganda massiva de certos candidatos nas ruas, dá para imaginar o que aconteceria se o voto não fosse obrigatório: abuso do poder econômico para arregimentar eleitores dispostos a votar em quem der mais. Outro risco do fim do voto obrigatório é a política passar a ser dominada pelas igrejas, com sua capacidade de arregimentar e de dominar por meio da lavagem cerebral.
Realmente a manipulação religiosa nesta eleição cresceu tanto a ponto de haver manifestação dos próprios evangélicos contrários ao "mercado do voto religioso". O protesto contra o "voto do cajado", como apelidaram esse tipo de prática, em alusão ao antigo voto de cabresto, foi comandado pela Rede Fale, formada por evangélicos e com atuação nas redes sociais. Eles defendem a necessidade de conscientizar o eleitor cristão a usar o voto como arma de libertação e a ilegalidade da campanha nos espaços públicos, como templos e igrejas. Denunciaram que alguns pastores têm usado seus cargos de liderança nas igrejas para conduzir os votos dos evangélicos, aproveitando-se da fé sincera das pessoas, como em um curral eleitoral.
Incentivaram que cada cristão evangélico investigue o histórico e os ideais dos candidatos antes de fazer sua escolha, sem se sujeitar exclusivamente à opinião dos seus líderes e pastores. Eles recusam-se a pregar voto em algum candidato, mas a se ligar a partidos a partir da identidade programática de cada um, que defendam a promoção da vida, a igualdade, a garantia dos direitos de cada um.
Também o bispo primaz da Igreja Anglicana no Brasil, d. Maurício de Andrade, condenou o que chamou de "troca de favores pelo voto", em que se busca "o interesse individual, e não o coletivo". "O voto é a maior arma que o cidadão tem para transformar a sociedade. É preciso pautá-lo pela ética do Evangelho, que prega a transformação e a liberdade", afirmou.
“Não se pode instrumentalizar a religião para obter voto”, disse o presidente da CNBB, cardeal Raymundo Damasceno O cardeal disse ainda, referindo-se a todas as religiões, que "no mundo democrático não cabe à igreja assumir papel político-partidário”. "A posição da Igreja Católica, enquanto instituição é de que não deve assumir nenhuma posição político-partidária. O papa Bento XVI, numa de suas encíclicas, Deus É Amor, foi muito claro ao dizer que a Igreja não pode nem deve tomar em suas mãos a batalha política. Isso é próprio dos políticos, dos leigos. A Igreja não pode ter pretensões de poder." "não cabe à igreja assumir papel de protagonista no campo político".
D. Raymundo disse que a Igreja acompanha o processo eleitoral em todo o País, com orientações para o voto consciente e estímulos aos leigos que desejam participar como candidato. "A Igreja estimula, apóia, vê com bons olhos o leigo que se sente chamado para a política", afirmou. "Queremos que ele não tenha medo de assumir posições político-partidárias. Isso é fundamental, porque a sociedade justa vai ser resultado da ação de homens políticos, homens públicos. Eles é que devem trabalhar para uma sociedade mais solidária."
E que Deus ilumine os eleitos para que busquem o bem comum e não se aprimorem em criar novos mensalões...
Maria Joana Titton Calderari – membro da Academia Mourãoense de Letras, graduada Letras UFPR, especialização Filosofia-FECILCAM e Ensino Religioso-PUC- majocalderari@yahoo.com.br

O HOMEM PRECISA recobrar a visão da fé, diz o Papa


O Papa Bento XVI presidiu, neste domingo, na Basílica de São Pedro, a Eucaristia que encerrou o Sínodo dos Bispos para a Nova Evangelização. Em sua homília, construída a partir da narrativa da cura do cego Bartimeu no Evangelho de São Marcos (Mc 10, 46-52), o Papa enfatizou a figura do cego como sendo a representação do homem moderno que, por vezes, perdeu a visão da fé e precisa reencontrá-la na pessoa de Jesus.
Bartimeu não era cego de nascença, mas perdeu a vista, diz o Papa. Ele simboliza o homem que perdeu a luz, tem consciência disso, mas ainda conserva em si a esperança de que alguém possa lhe trazer novamente a possibilidade de ver. E este alguém seria Jesus Cristo, luz do mundo e que tem o poder de restituir no homem a capacidade de ver.
Para o Papa, o primeiro passo é reconhecer-se cego. Ou seja, reconhecer-se necessitado de Deus, da sua cura, da sua luz. Do contrário, o homem permanece cego e miserável contentando-se com as pobres esmolas que o mundo paganizado lhe oferece.
Citando Santo Agostinho, o Papa observa que há riquezas invisíveis que o homem pode perder durante a vida. Os homens “perderam a orientação segura e firme da vida e tornaram-se, muitas vezes inconscientemente, mendigos do sentido da existência”, diz Bento XVI.
Esse homem que, segundo o Papa, tornou-se “mendigo do sentido da existência”, é o mais necessitado da Nova Evangelização que “pode voltar a abrir os seus olhos e ensinar-lhes a estrada.”
Ao falar da Nova Evangelização, Bento XVI, sublinhou três linhas pastorais que emergiram do Sínodo. São elas: Sacramentos da iniciação cristã; a missão ad gentes e o terceiro aspecto ligado às pessoas batizadas que, porém, não vivem as exigências do Batismo.
“A Igreja procura lançar mão de novos métodos, valendo-se também de novas linguagens, apropriadas às diversas culturas do mundo, para implementar um diálogo de simpatia e amizade que se fundamenta em Deus que é Amor”, salientou o Papa, a respeito da necessidade de se viver uma evangelização que percorra caminhos renovados.
Bento XVI encerrou a homilia referindo-se ao cego Bartimeu que fez a experiência do encontro com Jesus Cristo e tornou-se discípulo do Mestre. Assim, terminou o Papa, “são os novos evangelizadores: pessoas que fizeram a experiência de ser curadas por Deus, através de Jesus Cristo. Eles têm como característica a alegria do coração, que diz com o Salmista: O Senhor fez por nós grandes coisas; por isso, exultamos de alegria. (Sal 126/125, 3).”

EVANGELHO DO DIA Segunda-Feira, 29 de Outubro de 2012

Evangelho (Lucas 13,10-17)

Segunda-Feira, 29 de Outubro de 2012 -30ª Semana Comum
Naquele tempo, 10Jesus estava ensinando numa sinagoga, em dia de sábado. 11Havia aí uma mulher que, fazia dezoito anos, estava com um espírito que a tornava doente. Era encurvada e incapaz de se endireitar. 12Vendo-a, Jesus chamou-a e lhe disse: “Mulher, estás livre da tua doença”. 13Jesus pôs as mãos sobre ela, e imediatamente a mulher se endireitou e começou a louvar a Deus.
14O chefe da sinagoga ficou furioso, porque Jesus tinha feito uma cura em dia de sábado. E, tomando a palavra, começou a dizer à multidão: “Existem seis dias para trabalhar. Vinde, então, nesses dias para serdes curados, não em dia de sábado”.
15O Senhor lhe respondeu: “Hipócritas! Cada um de vós não solta do curral o boi ou o jumento, para dar-lhe de beber, mesmo que seja dia de sábado? 16Esta filha de Abraão, que Satanás amarrou durante dezoito anos, não deveria ser libertada dessa prisão, em dia de sábado?” 17Esta resposta envergonhou todos os inimigos de Jesus. E a multidão inteira se alegrava com as maravilhas que ele fazia.
- Palavra da Salvação. - Glória a vós, Senhor.

CARTA DE SÃO AOS EFÉSIOS: sede imitadores de Deus como filhos que ele ama

Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios.(Efésios 4,32-5,8)

Irmãos, 4,32sede bons uns para com os outros, sede compassivos; perdoai-vos mutuamente, como Deus vos perdoou por meio de Cristo. 5,1Sede imitadores de Deus, como filhos que ele ama. 2Vivei no amor, como Cristo nos amou e se entregou a si mesmo a Deus por nós, em oblação e sacrifício de suave odor. 3A devassidão, ou qualquer espécie de impureza ou cobiça sequer sejam mencionadas entre vós, como convém a santos. 4Nada de palavras grosseiras, insensatas ou obscenas, que são inconvenientes; dedicai-vos antes à ação de graças. 5Pois, sabei-o bem, o devasso, o impuro, o avarento — que é um idólatra — são excluídos da herança no reino de Cristo e de Deus. 6Que ninguém vos engane com palavras vazias. Tudo isso atrai a cólera de Deus sobre os que lhe desobedecem. 7Não sejais seus cúmplices. 8Outrora éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor. Vivei como filhos da luz.
- Palavra do Senhor.  - Graças a Deus.

28 de out de 2012

NOSSA SENHORA, cuida de nós!!!

Nossa Senhora, 
me dê a mão,
cuida do
meu coração,
da
minha vida,
do
meu destino,
do
meu caminho,
cuida
de
mim!

MOURÃOENSE CARLINHOS Aleixo é candidato a Reitor da Unespar

A Universidade Estadual do Paraná (Unespar) realiza dia 21 de novembro eleição para escolha da reitoria da instituição. Duas chapas, “Unespar Para Todos” e “Unidade na Diversidade” concorrem ao pleito.
Na imagem acima, Carlinhos Aleixo e amigos no lançamento da candidatura na Fecilcam.
A chapa “Unespar Para Todos” tem como candidato a reitor o professor Antonio Carlos Aleixo, diretor da Faculdade Estadual de Ciências e Letras de Campo Mourão (Fecilcam), e para vice-reitor, o professor Antonio Rodrigues Varela Neto, diretor da Faculdade Estadual de Educação, Ciências e Letras de Paranavaí (Fafipa).
A chapa “Unidade na Diversidade” tem como candidato para reitor o professor José Paszczuk, ex-diretor da Faculdade Estadual de Educação, Ciências e Letras de Paranavaí (Fafipa), e para vice-reitora a professora, Zeloi Aparecida Martins dos Santos, docente da Faculdade de Artes do Paraná (FAP).

JOÃO PAULO II: Ser Santo é...

O ANO DA FÉ, por Dom Orlando Brandes, arcebispo de Londrina


O ano da fé nos quer conduzir ao deserto, isto é, à oração, à meditação e ao silêncio. Sem fé o sal se torna insípido e a luz fica escondida ou se apaga. Precisamos voltar ao poço, a exemplo da samaritana, para ouvir Jesus, beber de sua fonte e nele crer. Readquirir o gosto de nos alimentar com a Palavra de Deus e com o pão da vida, será um fruto especial do ano da fé.
Iremos celebrar durante o ano da fé os 50 anos da abertura do Concílio Vaticano 2º e os 20 anos do Catecismo da Igreja Católica. Certamente esses documentos irão fazer brilhar a força e a beleza da fé. O maior objetivo, porém, é a conversão, a renovação, a santificação da Igreja. Sempre precisamos de penitência e renovação pessoal, para dar testemunho da fé.
Como a fé se manifesta na caridade, o ano da fé tem uma dimensão social, transformadora, caritativa. A fé nos faz ver o rosto de Cristo no rosto dos pobres, excluídos, marginalizados. ''A fé sem obras é morta'' (cf. Tg 2, 14-18).
O papa Bento 16 pede que celebremos o ano da fé de maneira digna e fecunda e que o credo com seus 12 artigos, possa ressoar em nossas mentes e corações, lembrado nos nossos leitos, falado em nossas praças, rezado nas refeições e nas vigílias.
Seja, pois a fé professada, celebrada, vivida, rezada nas catedrais, nas igrejas, nas casas, nos meios de comunicação. Haja homílias, catequeses, cursos, eventos, estudos sobre a fé, para que cresça nossa convicção, nossa confiança e nossa esperança.
Celebrar, refletir e viver a fé é o que a Igreja espera de nós. Cremos com a fé da Igreja. Nosso ato de fé é adesão, entrega, confiança em Deus e, ao mesmo tempo, é assentimento da mente e da vontade aos conteúdos da fé, ensinados pela Igreja.
Há uma dimensão eclesial, comunitária e pública da fé. Crer é um ato pessoal mas, não privado. Creio com a fé da Igreja que recebi no batismo.
Com gratidão, alegria e empenho celebremos o ano da fé, pois se trata de um acontecimento providencial e necessário para nossos tempos. Ajude-nos o testemunho de fé de Maria, dos apóstolos, dos mártires, dos discípulos, dos homens e mulheres que no decorrer dos séculos confessaram a beleza de seguir Cristo. Abramos as portas do coração e entremos pela porta da fé, caminhando na estrada de Jesus, consumador da nossa fé.
Temos o dever de proteger a fé e o direito de professá-la. Há, porém, o perigo de perdê-la. A cultura moderna dificulta a transmissão e a vivência da fé, além de facilitar e promover os pecados contra a mesma.
Nossa geração em geral é incrédula, secularizada, laicista. Criamos ídolos e os adoramos no lugar de Deus tais como seja o prazer, o ter, o poder. Não podemos mais supor a fé do homem moderno. É preciso sim propor-lhe o credo como um tesouro, uma sabedoria, uma bússola, uma iluminação.
A fé faz ver o invisível e tudo é possível ao que crê. Revistamo-nos com a couraça e o escudo da fé para resistir ao mal. Jesus repetia constantemente esta frase: ''A tua fé te salvou''. Portanto, sejamos firmes, fortes e inabaláveis na fé. Que o Senhor nunca se queixe de nossa falta de fé dizendo: ''Oh geração incrédula'', ou ainda, ''como sois tardos para crer, homens de pouca fé''.
Dom Orlando Brandes, arcebispo de Londrina.

EVANGELHO DO DIA Domingo, 28 de Outubro de 2012

Evangelho (Marcos 10,46-52)

Domingo, 28 de Outubro de 2012
30º Domingo do Tempo Comum
Naquele tempo, 46Jesus saiu de Jericó, junto com seus discípulos e uma grande multidão. O filho de Timeu, Bartimeu, cego e mendigo, estava sentado à beira do caminho. 47Quando ouviu dizer que Jesus, o Nazareno, estava passando, começou a gritar: “Jesus, filho de Davi, tem piedade de mim!” 48Muitos o repreendiam para que se calasse. Mas ele gritava mais ainda: “Filho de Davi, tem piedade de mim!” 49Então Jesus parou e disse: “Chamai-o”. Eles o chamaram e disseram: “Coragem, levanta-te, Jesus te chama!”
50O cego jogou o manto, deu um pulo e foi até Jesus.
51Então Jesus lhe perguntou: “O que queres que eu te faça?” O cego respondeu: “Mestre, que eu veja!” 52Jesus disse: “Vai, a tua fé te curou”. No mesmo instante, ele recuperou a vista e seguia Jesus pelo caminho.
- Palavra da Salvação.  - Glória a vós, Senhor.

27 de out de 2012

FAMÍLIA TAGLIARI: ORGULHO de Campo Mourão, do Paraná e do Brasil

A imagem acima de autoria de Irineu Ricardo e fotomontagem do Vision Fotografia foi entregue hoje ao pai Itamar e ao filho Itamarzinho no segundo tempo do programa TOCANDO DE PRIMEIRA, edição 997, na Rádio Colméia. Uma homenagem especial e emocionante, com direito a participação especial da Sonia Tagliari e da mãe Iris, esposa do homenageado Itachir Tagliari. Viva a família Tagliari.

AS BORBOLETAS E você!

O PAI ITAMAR e o filho Itamarzinho, hoje no TOCANDO DE PRIMEIRA

A imagem tem muito valor, é da década de 80 e é uma das dezenas expostas no Centro da Juventude Itachir Tagliari, inaugurado no dia 25 de outubro. O pai e técnico Itamar Agostinho Tagliari e o filho e atleta Itamar Adriano Tagliari. Juntos eles foram campeões diversas vezes pela Associação Tagliari, e hoje juntos estarão no segundo tempo do nosso programa Tocando de Primeira, de número 998, na Rádio Colméia AM.

COMENTÁRIO DO EVANGELHO: Somos a figueira que o Senhor escolheu para dar frutos


Este Evangelho traz hoje uma realidade de nossa fé, que é escatológica. Esca… O quê? “Escatológica” significa a realidade dos fins dos tempos, da segunda vinda de Jesus, do julgamento final, da vida depois da morte e da ressurreição da carne.
A Escatologia pode ser definida como um termo moderno que indica a parte da teologia que considera as fases ‘finais’ ou ‘extremas’ da vida humana ou do mundo: morte, juízo universal, pena ou castigo extraterrenos e fim do mundo. Os filósofos usam às vezes esse termo para indicar a consideração dos estágios finais do mundo ou do gênero humano (ABBAGNANO, Nicola, Dicionário de Filosofia, 1999).
Interpretando dois fatos de crônicas, Jesus desenvolve outra das exigências da vida cristã na espera escatológica: fazer penitência e emendar-se do mal feito, ou seja, um apelo à conversão. Lucas é o evangelista que enfatiza o amor e a misericórdia de Deus. Jesus aparece várias vezes exercendo o amor e a misericórdia neste Evangelho.
Nestes dois fatos Jesus lê os sinais dos tempos: a morte pode chegar de improviso, assim também como a segunda vinda de Jesus – disso Ele mesmo falou algumas vezes.
Esta “tensão” espiritual ocorre de maneira muito positiva. Podemos comparar com a tensão necessária e indispensável que precisa ter a corda de um violão, para que nenhuma nota comprometa toda a música ou peça que precisa ser tocada. Essa é a tensão espiritual que precisamos viver em nossa vida, sempre esperando o Senhor que vai chegar… Ou eu que posso ir ao encontro do Senhor! Entendeu?
De igual modo, o chamado e o juízo de Deus podem dar-se quando menos esperarmos. Daí a lição clara: converter-se e fazer penitencia para não ser surpreendido por acontecimentos decisivos.
Também a parábola da figueira estéril é um convite preciso a não viver uma existência vazia, porém, frutificar e enriquecer-se para o dia chamado “do Senhor”. A paciência de Deus, que sabe esperar que o homem se converta e frutifique, impele-nos a dar valor ao dom da vida.
A realidade da morte – sempre possível – não é um “espantalho”, mas o mais instante e seguro sinal dos tempos que cada homem deve saber interpretar. Pensando na morte e nos preparando para ela (pois acreditamos na vida eterna) encontramos forças para resistir ao mal e praticar o bem.
E Jesus contou esta parábola: “Certo homem tinha uma figueira plantada na sua vinha. Foi até ela procurar figos e não encontrou. Então disse ao vinhateiro: ‘Já faz três anos que venho procurando figos nesta figueira e nada encontro. Corta-a! Por que está ela inutilizando a terra? ’ Ele, porém, respondeu: ‘Senhor, deixa a figueira ainda este ano. Vou cavar em volta dela e colocar adubo. Pode ser que venha a dar fruto. Se não der, então tu a cortarás’” (cf. Lc 13,6-9).
Eu e você somos esta figueira que Deus tem plantado em meio a Sua grande vinha. Já pensou porque numa plantação de vinha alguém teria uma única figueira? Será que esta figueira seria particular, dele, para que ele desfrutasse dos figos desta figueira? Ou seja: os cristãos devem, como escolhidos por Deus, ser santos, diferentes e exemplos no mundo, que é a grande plantação de vinha.
Nós somos a “figueira” que o Senhor escolheu para dar frutos a Ele. Lembre-se desta Palavra: “Eu não rogo que os tires do mundo, mas que os guardes do maligno. Eles não são do mundo, como eu não sou do mundo. Consagra-os pela verdade: a tua palavra é a verdade. Assim como tu me enviaste ao mundo, eu também os enviei ao mundo” (cf. Jo 17,15-18).
Nesta semana, a Liturgia da Palavra nos chamou à vigilância. Hoje, completa chamando-nos à conversão
Padre Luizinho, Canção Nova.

EVANGELHO DO DIA Sábado, 27 de Outubro de 2012

Evangelho (Lucas 13,1-9)

Sábado, 27 de Outubro de 2012 - 29ª Semana Comum
1Naquele tempo, vieram algumas pessoas trazendo notícias a Jesus a respeito dos galileus que Pilatos tinha matado, misturando seu sangue com o dos sacrifícios que ofereciam. 2Jesus lhes respondeu: “Vós pensais que esses galileus eram mais pecadores do que todos os outros galileus, por terem sofrido tal coisa? 3Eu vos digo que não. Mas se vós não vos converterdes, ireis morrer todos do mesmo modo. 4E aqueles dezoito que morreram, quando a torre de Siloé caiu sobre eles? Pensais que eram mais culpados do que todos os outros moradores de Jerusalém? 5Eu vos digo que não. Mas, se não vos converterdes, ireis morrer todos do mesmo modo”. 6E Jesus contou esta parábola: “Certo homem tinha uma figueira plantada na sua vinha. Foi até ela procurar figos e não encontrou. 7Então disse ao vinhateiro: ‘Já faz três anos que venho procurando figos nesta figueira e nada encontro. Corta-a! Por que está ela inutilizando a terra?’
8Ele, porém, respondeu: ‘Senhor, deixa a figueira ainda este ano. Vou cavar em volta dela e colocar adubo. 9Pode ser que venha a dar fruto. Se não der, então tu a cortarás’”.
- Palavra da Salvação.  - Glória a vós, Senhor.

26 de out de 2012

AS ATRAÇÕES DO TOCANDO DE PRIMEIRA 998 na Rádio Colméia


Sábado é dia do programa TOCANDO DE PRIMEIRA na Rádio Colméia. Neste, 27 de outubro, a edição terá o número 998, a partir das 11 horas na Rádio Colméia AM (850 KHZ) com muito jornalismo, informação e ótimo humor.
No primeiro tempo às 11 horas os convidados serão os voluntários da Rota da Fé Toninho Aguilar e Rubem Moyano (foto). Em pauta, a programação da 25ª Rota da Fé que será realizada neste domingo.
O Tocando de Primeira recebe no segundo tempo, das 12 às 13 horas, no estúdio número 01 da Rádio Colméia, os professores Itamar Agostinho Tagliari e Itamar Adriano Tagliari, para falar sobre a inauguração do Centro de Juventude Itachir Tagliari.
Tem também as informações do futsal e basquete.
É neste sábado na Rádio Colméia, ao vivo e em cores ou pela internet no www.radiocolmeiaam.com.br
Só não ouve o Ilivaldo Duarte quem não tem rádio ou não tem vizinho!.
Tocando de Primeira: um golaço no rádio brasileiro.
Há 998 sábados no ar, valorizando o bem, resgatando esperança e promovendo os bons exemplos. Dia 17 de novembro aconetece 1.000 Programa Tocando de Primeira.

EVANGELHO DO DIA: 26 de outubro de 2012

Evangelho (Lucas 12,54-59)

Sexta-Feira, 26 de Outubro de 2012
29ª Semana Comum
Naquele tempo, 54Jesus dizia às multidões: “Quando vedes uma nuvem vinda do ocidente, logo dizeis que vem chuva. E assim acontece. 55Quando sentis soprar o vento do sul, logo dizeis que vai fazer calor. E assim acontece. 56Hipócritas! Vós sabeis interpretar o aspecto da terra e do céu. Como é que não sabeis interpretar o tempo presente? 57Por que não julgais por vós mesmos o que é justo?
58Quando, pois, tu vais com o teu adversário apresentar-te diante do magistrado, procura resolver o caso com ele enquanto estais a caminho. Senão ele te levará ao juiz, o juiz te entregará ao guarda, e o guarda te jogará na cadeia. 59Eu te digo: daí tu não sairás, enquanto não pagares o último centavo”.
- Palavra da Salvação.   Glória a vós, Senhor.





25 de out de 2012

FAMÍLIA TAGLIARI NO Centro da Juventude Itachir Tagliari em CM

Na histórica e inesquecível imagem do competente Irineu Ricardo em 25 de outubro de 2012, para a posteridade reunindo membros da Família Tagliari: Itamarzinho (filho do Itamar e neto do seo Itachir e da dona Iris), Paulo (filho do Wanderley e neto do seo Itachir e da dona Iris), Flavinho (filho da Sonia e neto do seo Itachir e da dona Iris), Itamar (filho do seo Itachir e da dona Iris), Sonia (filha do seo Itachir e da dona Iris), Dona Iris (esposa do seo Itachir), Carlão (filho do seo Itachir e da dona Iris), Luisinho (filho do seo Itachir e da dona Iris), Marquinhos (filho da Sonia e neto do seo Itachir e da dona Iris), e Itachir Tagliari Neto (filho do Itamar, sobrinho do Carlão, da Sonia e do Luisinho, irmão do Itamarzinho e primo do Paulo, do Flavinho, do Marquinhos, e neto do seo Itachir e da dona Iris).
Viva a Família Tagliari!

CENTRO DE JUVENTUDE homenageia ITACHIR TAGLIARI

A prefeitura inaugurou neste dia 25 de outubro de 2012 o Centro da Juventude que leva o nome de Itachir Tagliari, na Asa Leste, com orçamento de R$ 3 milhões realizada com recursos do governo estadual e contrapartida do município.
O local irá atender jovens de 12 a 17 anos, em especial àqueles na condição de vulnerabilidade social – alvo da obra realizada simultaneamente em 39 municípios. No local haverá espaço para produção e consumo cultural, além de prática esportiva. 
Itachir Tagliari - Fundador de times de futsal e precursor das escolinhas de futsal de Campo Mourão, Itachir Tagliari foi o nome escolhido para ser homenageado com o Centro da Juventude. A paixão de Tagliari pelo esporte, em especial pelo futebol e pelo futsal, fez com que Campo Mourão se tornasse referência no estado, com a conquista de vários títulos paranaenses.
Foi Itachir Tagliari que fundou a Associação Tagliari de Futsal, em 1968. Na época, o time adulto era a principal equipe mourãoense e disputava campeonatos regionais e estaduais. Por muitos momentos, o time possuía apenas o patrocínio da família Tagliari. Na década de 1970 conquistou o reconhecimento estadual após vencer o Campeonato Paranaense de Futsal, título que foi repetido mais duas vezes. A partir de então, o esporte de Campo Mourão foi reconhecido, e o time da Associação Tagliari já foi considerado o sexto melhor time de futsal do Brasil.
Além da contribuição para o esporte adulto mourãoense, o principal feito de Tagliari, e que motivou a utilização de seu nome no Centro da Juventude, foi a fundação da primeira escolinha de futsal em Campo Mourão na década de 1980. Crianças com idade entre seis e 15 anos passaram a ter a oportunidade de treinar e representar a cidade em competições regionais e estaduais. Tagliari acreditava no poder do esporte como transformador social e as equipes formadas pela Escolinha já conquistaram três vezes o campeonato paranaense na categoria fraldinha, três vezes o paranaense na categoria mirim, duas vezes o estadual na categoria pré-mirim e vários outros títulos regionais.
Tagliari e a Associação hoje são reconhecidos em Campo Mourão como importantes apoiadores e incentivadores do esporte. Agora, Itachir Tagliari é o nome do Centro da Juventude de Campo Mourão, lembrando a população da força que o esporte possui na transformação social, um dos objetivos do Centro da Juventude.

OSVALDO BROZA: crônica CHUTE CERTEIRO, em homenagem a Família Tagliari

Certo dia, no final da década de sessenta, não me lembro bem o ano, eu subia a Rua Harrisson José Borges, nas proximidades da Avenida Goioerê, quando vi três rapazes jogando bola no quintal de casa. Fazia pouco tempo que eu havia mudado pra Campo Mourão e não os conhecia. Parei, encostei-me na cerca e comecei a observá-los, louco para ser convidado a participar do bate-bola.
Não demorou para que isso acontecesse. Um deles me alertou, porém, que a bola não poderia, jamais, tocar a parede da casa, pois se isso acontecesse, o seu pai a pegaria e terminaria com a brincadeira. Isso também não demorou muito acontecer. E foi logo eu o autor da façanha. O “Seu Itacir” apareceu e nem precisou falar nada. A bola lhe foi entregue, os rapazes entraram na casa e eu fui embora, muito chateado por ter estragado tudo.
Tempos depois, aqueles rapazes - Itamar, Carlão e Wanderley, o tio Clóvis e outros que não pertenciam à família (não cito nomes porque não quero cometer injustiças - o irmão Luizinho veio depois), revolucionariam o futebol de salão em Campo Mourão e no próprio Estado do Paraná, com espírito de luta incomum e uma disciplina, até então, nunca vista. Levariam o nome do Município aos quatro cantos do Estado, algumas partes do País e até ao exterior. Campo Mourão passou a ser conhecida como a terra dos Tagliari. Todos queriam jogar com eles, e as recepções eram sempre festivas. Tive o privilégio de acompanhá-los, por algumas vezes, em suas andanças pelo Paraná, e podia sentir o respeito e o carinho com que eram recebidos.
Itamar, um dos melhores jogadores de futebol de salão que vi jogar, era famoso por jogar com óculos, e Carlão, com suas pernas tortas e compridas interceptava a maioria dos lances e tinha um passe preciso - ele chegou a jogar dois anos seguidos pela Seleção Paranaense no Campeonato Brasileiro de Seleções. Wanderley - também conhecido como Carijó - era perfeito nos chutes de bicuda. Acertava bicuda até com a bola no ar - é verdade - geralmente com muita força e efeito, o que dificultava a defesa dos goleiros.
Claro que outros ótimos jogadores completariam as extraordinárias equipes que a Associação Tagliari formaria no decorrer de muitos anos, mas os três irmãos, juntos, eram um espetáculo à parte. Quem viu, confirma e tem saudade; quem não viu, não verá nada igual. Até hoje, em alguns recantos do Brasil, há sempre alguém perguntando: E os Tagliari?
Tantas outras coisas poderiam ser pesquisadas e contadas sobre os Tagliari, até para resgatar uma das páginas bonitas da história esportiva de Campo Mourão. As conquistas; as formações da equipe no decorrer dos anos; as viagens malucas que a Sônia fazia pra ver os irmãos jogarem; as curas milagrosas no joelho do Carlão; a torcedora número um, Dona Íris; os inesquecíveis campeonatos realizados na cancha “Itacir Tagliari”. Porém, hoje eu só quero contar, com muita honra, que conheci o principal comandante disso tudo, primeiro técnico e maior incentivador da equipe, a quem aprendi a admirar, desde aquele dia em que tive a felicidade de chutar a bola na parede da sua casa.
Crônica extraída do livro Campo Mourão em Crônica editado em 2007 osvaldobroza@hotmail.com

ATRAÇÃO: CM sedia em novembro Sul Brasileiro de Basquete com presença do Joinvile, da NBB


O torcedor mourãoense poderá ver em ação nos dias 1, 2 e 3 de novembro, no ginásio JK, em Campo Mourão, pelo Campeonato Sul Brasileiro de Basquete, o forte time do Joinvile, que disputa atualmente a principal competição nacional da modalidadem que é a NBB - Novo Basquete Brasil. Campo Mourão sediará a competição pela primeira vez, e terá como adversários as equipes tradicionais do Caxias do Sul (RS), Maringá (PR) e Joivinvile (SC), com a programação de dois jogos de sexta a domingo, às 18 e 20 horas. Em 2011, o Sul Brasileiro aconteceu em Videira, Santa Catarina. No Paraná, a competição foi realizada pela última vez em 2009 quando o time mourãoense terminou em terceiro lugar.
Para o presidente da Amobasquete, Nelson Pedro Martins, a promoção do Sul Brasileiro em Campo Mourão confirma a cidade como referência no basquetebol do Sul do país e consolida como uma força emergente do basquete brasileiro. "Este é o segundo grande campeonato que promovemos este ano em Campo Mourão, o primeiro foi a Copa Brasil, e agora temos o desafio de buscar vencer a forte equipe de Joinvile pela primeira vez na história. A equipe está preparada e motivada pelos bons resultados alcançados nesta temporada. A presença dos torcedores é fundamental para o sucesso do evento com o prestigiamento e valorização de um projeto que vem dando certo e colocando Campo Mourão em evidência no cenário basquetebolístico nacional."
Segundo a diretoria da Amobasquete, o Campeonato Sul Brasileiro representa uma grande impulso para as competições de 2013, já que a NBB prevê a realização da NBB 2ª divisão com apenas 12 equipes. "Pela performance dentro das quadras, aliada a estrutura e organização, Campo Mourão é um forte candidato a fazer parte deste seleto grupo de times da Segunda Divisão do basquete brasileiro."
O Sul Brasileiro é realizado com times da Região Sul do País (Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul), apoio da CBB e das respectivas federações. O maior campeão da competição sul brasileira é o Joinvile com cinco títulos. O time catarinense é a única equipe da região Sul, cuja estreia está prevista na Liga Nacional 2012/13 no final do mês de novembro.

ATLAS AMBIENTAL CM: Definidos vencedores do Concurso “Em que Campo Mourão eu quero viver!”

Para coroar os trabalhos do Projeto Atlas Ambiental Campo Mourão promovido pela Coamo e Basf, com a participação e apoio direto do Município através do Núcleo Regional de Ensino (NRE) em âmbito das escolas estaduais e da Secretaria Municipal de Educação a nível municipal, foi realizado na manhã desta quinta-feira no NRE o julgamento dos trabalhos finalistas do Concurso Cultural “Em que Campo Mourão eu quero viver!”
A comissão julgadora composta por Cida Freitas, Edina Simionatto, Francisco Pinheiro, Cícero de Souza e Marley Formentini, elogiou a qualidade dos 18 trabalhos finalistas dos alunos nas duas categorias que produziram ilustrações pertinentes ao tema utilizando materiais e técnicas artísticas, com total liberdade para expressão da sua criatividade. A divulgação dos trabalhos classificados para a fase final e a premiação do vencedor em cada uma das duas categorias (6º e 7º ano, 8º e 9º ano) será dia 30 de outubro às 15 horas, na administração central da Coamo em evento especial que encerrará a primeira etapa do projeto.
Conteúdo - O tema “Em que Campo Mourão eu quero viver!” foi desenvolvido nas escolas durante vários meses mediante cronograma previamente estabelecido. Na primeira semana de outubro, as escolas participantes selecionaram o melhor trabalho em cada categoria e enviaram ao Núcleo Regional de Ensino (NRE). “Os módulos de capacitação oportunizados pelos organizadores foram importantes para fornecer subsídios e conteúdo aos professores no trabalho com os alunos, auxiliando-os na discussão e reflexão das coisas positivas em nossa cidade, e também daquelas que precisam receber melhorias, visando a construção de um município melhor com ênfase nas questões ambientais e sociais”, explica a professora Cleuza Aurélio, participante da comissão organizadora do Atlas Ambiental em Campo Mourão.
Referência - A cidade de Campo Mourão foi escolhida pela Basf através da Coamo para sediar de forma inédita este projeto no Paraná. O Atlas Ambiental de Campo Mourão é um projeto gerido pela Fundação Espaço ECO com duração de dois anos que auxiliou cerca de 60 professores e mais de 6 mil alunos de 16 escolas das redes pública e municipal a entenderem história, geografia, ciências e temas socioambientais, levando em conta aspectos globais e regionais, que fazem parte do universo da criança.

Capacitação - Os alunos do 6º ao 9º ano, na faixa etária de 9 a 14 anos de idade, receberam no início do projeto, exemplares do Atlas Ambiental que se constitue em importante ferramenta pedagógica de educação socioambiental. Por sua vez, os professores também receberam ao longo desses dois anos capacitação específica com materiais de qualidade em diversos módulos visando o desenvolvimento das atividades em sala de aula e fora dela, de acordo com a realidade local e regional, e também como preparação para a participação das crianças no Concurso Cultural.

Presente – Para o professor José Bardini Neto, chefe do Núcleo Regional de Educação de Campo Mourão, José Bardini Neto, o projeto Atlas Ambiental foi um presente para professores, alunos e a comunidade de Campo Mourão, que movimentou milhares de pessoas durante vários meses possibilitando a oportunidade de uma reflexão e ações ambientais e sociais. “Este é um projeto de qualidade e importância singular que está sendo partilhado também pelos familiares dos alunos. Agradecemos a Coamo e a Basf por colocarem nossa cidade neste seleto grupo a nível Brasil, com a certeza de que o trabalho promovido e o conhecimento adquirido será fundamental para a melhoria da aprendizagem atual e das gerações futuras.”
Ilivaldo, Bruno, Rosemeire, Edi Carlos, Marley, Bardini, Cleuza, Joselha, Cida e Francisco.

24 de out de 2012

INAUGURA AMANHÃ EM CM O Centro da Juventude ITACHIR TAGLIARI

EVANGELHO DO DIA Quarta-Feira, 24 de Outubro de 2012

Evangelho (Lucas 12,39-48)

Quarta-Feira, 24 de Outubro de 2012
Sto. Antonio Maria Claret
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 39“Ficai certos: se o dono da casa soubesse a hora em que o ladrão iria chegar, não deixaria que arrombasse a sua casa. 40Vós também ficai preparados! Porque o Filho do Homem vai chegar na hora em que menos o esperardes”.
41Então Pedro disse: “Senhor, tu contas esta parábola para nós ou para todos?” 42E o Senhor respondeu: “Quem é o administrador fiel e prudente que o senhor vai colocar à frente do pessoal de sua casa para dar comida a todos na hora certa? 43Feliz o empregado que o patrão, ao chegar, encontrar agindo assim! 44Em verdade eu vos digo: o senhor lhe confiará a administração de todos os seus bens. 45Porém, se aquele empregado pensar: ‘Meu patrão está demorando’, e começar a espancar os criados e as criadas, e a comer, a beber e a embriagar-se, 46o senhor daquele empregado chegará num dia inesperado e numa hora imprevista, ele o partirá ao meio e o fará participar do destino dos infiéis.
47Aquele empregado que, conhecendo a vontade do senhor, nada preparou, nem agiu conforme a sua vontade, será chicoteado muitas vezes. 48Porém, o empregado que não conhecia essa vontade e fez coisas que merecem castigo, será chicoteado poucas vezes. A quem muito foi dado, muito será pedido; a quem muito foi confiado, muito mais será exigido!”.
- Palavra da Salvação.  - Glória a vós, Senhor.

23 de out de 2012

ENTREVISTA HOMENAGEM ESPECIAL: Daniel Kravchychyn


O homenageado da ENTREVISTA DE DOMINGO, aqui no nosso Blog no mês de fevereiro foi um cidadão de origem humilde. Seu pai era ferroviário e sua mãe cuidava e trabalhava muito em casa, na beira do Rio do Peixe, em Joaçaba,Santa Catarina. Daniel Kravchychyn, 83, filho do seo Gabriel e da dona Magdalena Kravchychyn, e faleceu em Campo Mourão na noite de 22 de outubro de 2012.
Ele foi uma pessoa realizada, sempre rodeado pela família e com boas amizades. "Nossa família era numerosa e nos tempos de dificuldades, pescávamos e vendíamos os peixes. Com o dinheiro, minha mãe fazia deliciosas quireras", lembra o Dr. Daniel, formado em Direito e cartorário em Campo Mourão onde chegou no ano de 1969. Ao lado da esposa Rosemary prestou concurso para o cartório do 2º Cartório de Registro de Imóveis, em Campo Mourão. "Ela tomou posse no mês de maio e continuei por mais dois anos em Curitiba, pois integrava a equipe do Governador Paulo Pimentel, meu amigo até os dias de hoje", conta.
Daniel, cidadão muito conhecido em Campo Mourão, viveu antes muitos anos em Ponta Grossa, onde foi vereador (foto) por três mandatos, eleito em 1955, 1959 e 1963. E foi presidente da Câmara de Vereadores, na Princesa dos Campos, entre novembro de 1960 a 1961.
"Sempre fiz o que gosto, é melhor fazer do que arrepender por não ter feito. Mas temos erros e acertos, a vida é assim. A gente sempre tem sonhos, mas hoje peço a Deus muita saúde, pois sem ela tudo fica mais difícil."
Abaixo, imagens de cidades do seu coração (Joaçaba, Ponta Grossa e Campo Mourão.
Ótima leitura a todos nesta homenagem especial e os agradecimentos à sua família, de modo especial aos filhos Denise e Danilo pelo apoio, carinho e confiança.
Nas imagens abaixo: com o presidente João Goulart, discursando em comício na década de 60 e no futebol amador em Ponta Grossa. QUEM É DANIEL KRAVCHYCHYN? Catarinense, nascido em Joaçaba, em 9 de fevereiro de 1929. Filho de Gabriel e Magdalena Kravchychyn. Irmão de João e Valdomiro, falecidos, e Pedro Kravchychyn, que reside em Ponta Grossa (PR). Viúvo de Rosemary Wanke Kravchychyn, pai de Carlos Daniel, Dirceu, Danilo, Denise e Cláudio; avô de Carlos Daniel Filho, Daniel Neto, Ricardo, Mariana, Gregório, Georgia e Eduardo; bisavô de Lucas, Gustavo e Maria Clara. Na imagem abaixo, ao lado dos irmãos Valdomiro, João e Pedro, e dos pais Gabriel e Magdalena. E acima, Daniel com os filhos Dirceu, Danilo, Cláudio, Denise e Carlos Daniel, em Ponta Grossa, na década de 60.COMO O SENHOR SE DEFINE? Uma pessoa realizada, sempre rodeado pela família, com boas amizades. Sou Feliz! ONDE E COMO FOI SUA INFÂNCIA? Nasci em Joaçaba, Santa Catarina, de uma família humilde, meu Pai Gabriel era ferroviário, minha Mãe Magdalena cuidava da casa, morávamos na beira do Rio do Peixe. Com os irmãos e primos as brincadeiras e traquinagens. Nossa família era numerosa e nos tempos de dificuldades, pescávamos e vendíamos os peixes. Com o dinheiro, minha mãe fazia deliciosas quireras... Lembranças dos tempos de criança. Aos 14 anos, ao lado de meu irmão João, ingressei na Escola Ferroviária Tibúrcio Cavalcanti (imagem abaixo), em Ponta Grossa, e iniciei uma nova etapa na vida.
DESDE QUANDO EM CAMPO MOURÃO?
Em 1969, eu e minha Esposa Rosemary prestamos concurso para o cartório 2º Cartório de Registro de Imóveis, em Campo Mourão, ela tomou posse no mês de maio e continuei por mais dois anos em Curitiba, pois integrava a equipe do Governador Paulo Pimentel, Amigo até os dias de hoje.
ONDE O SENHOR ESTUDOU, QUE CURSOS FEZ OU FAZ? Em Joaçaba fiz o ensino fundamental. Em Ponta Grossa estudei na Escola Profissional da Rede Viação Paraná-Santa Catarina e cursei Contabilidade na Academia Professor Altair Mongruel, hoje Colégio Sepam. Em 1970 me formei em Direito pela Faculdade Curitiba. O QUE FEZ NA VIDA PROFISSIONAL?Iniciei minha vida profissional muito cedo, em Ponta Grossa, trabalhei na Livraria Montes Pereira, Lojas Hermes Macedo e na Indústria Theophilo Cunha. Fui servidor da Prefeitura Municipal de Ponta Grossa. Incentivado por meu Patrão, Amigo e Compadre, Dr.Petronio Fernal, que foi Prefeito e Deputado Federal por Ponta Grossa, ingressei na política, fui Vereador por três mandatos. Fui Presidente da Câmara Municipal de Ponta Grossa e disputei eleições para Deputado Estadual e Federal. Hoje sou Oficial do 2º Cartório de Registro de Imoveis de Campo Mourão, e tenho muito Orgulho de Ser Mourãoense de Coração e prestar Serviços para nossa Cidade.
COMO É O SEU DIA A DIA?Minha rotina começa por volta de 6h, para tomar um chimarrão com plantas medicinais e não dispenso uma colher de mel; meu café é sempre reforçado, pois às 8h30 inicio o expediente no Cartório. Sempre gostei de trabalhar, estar com os Amigos para um aperitivo e contar histórias. Isso me faz feliz.
MUDOU MUITA COISA NA SUA PROFISSÃO?Sim, quando começamos no Cartório em 1969, era tudo transcrito à mão, em livros enormes, os documentos eram redigidos em máquinas de escrever; depois começamos a usar fichas de cartolina e copiadoras, dando mais agilidade ao serviço. Hoje, com o computador, temos ainda mais facilidades. Mas na essência nosso trabalho é o mesmo e exige atenção e precisão. O Atendimento ao Publico sempre foi um Orgulho para mim e sempre prezo pela agilidade e segurança de meus clientes. Mas nada disso adiantaria sem o empenho e dedicação de nossas Funcionárias, que são nossos braços para prestar um serviço de qualidade.
O QUE O SENHOR JÁ FEZ, QUE SE PUDESSE, JAMAIS TERIA FEITO OU FARIA DE NOVO? Acho que sempre fiz o que gosto, é melhor fazer do que arrepender por não ter feito. Mas temos erros e acertos, a vida é assim.
O QUE O SENHOR AINDA NÃO FEZ QUE SONHA EM FAZER UM DIA?Sempre temos sonhos, mas hoje peço a Deus Muita Saúde, pois sem ela tudo fica mais difícil.
DO QUE O SENHOR TEM SAUDADES? Adoro recordar os tempos de Política, o trabalho como vereador; o atendiento aos Prefeitos do Paraná no Palácio Iguaçu. As viagens para Brasilia, São Paulo e Rio de Janeiro com o Deputado Petrônio Fernal. Das campanhas, do “jingle” composto por Alvarenga e Ranchinho... Uma, Duas e Três Daniel Kravchychyn... Uma, Duas e Três Daniel outra vez!!!

Em evento com o presidente Jânio Quadro, quando Daniel era o presidente da Câmara Municipal em Ponta Grossa.
São lembranças gostosas, assim como as fotos com Jânio Quadros, João Goulart, Ivete Vargas, Juscelino Kubitschek e o Governador Paulo Pimentel, claro.

Na foto acima com o governador Pimentel e o presidente Costa e Silva.
Sempre gostei de marcar com fotos minha caminhada pela vida.
QUEM SÃO MOURÃOENSES OU PESSOAS EXEMPLOS NA COMUNIDADE? Citar nomes é muito difícil, pois procuro ver nas pessoas o que elas podem dar de bom como exemplo de vida, todos têm erros e acertos, e temos que respeitá-las assim. Graças a Deus cultivo boas Amizades e respeito, se posso ajudar ajudo, mas procuro não atrapalhar. Campo Mourão é uma cidade espetacular, que foi e continua sendo construída por sua gente. Cada cidadão é importante para continuar a luta pelo progresso.
O SENHOR É MUITO AMIGO DO POLÍTICO PAULO PIMENTEL E JÁ TEVE PARTICIPAÇÃO NA POLÍTICA. COMO FOI ISSO? Conheci o Governador Paulo Pimentel durante a Campanha para o Governo do Estado. Era Vereador em Ponta Grossa e acompanhei-o durante todo o processo eleitoral. Com a vitória veio o convite para ser Assessor Direto do Governador. Foram anos de muitas conquistas, inclusive com progresso tecnológico, como a implantação do DDD, a discagem direta à distância, e do Telex, que nem existe mais. No dia a dia, nas viagens, consolidamos uma amizade que será eterna. Depois do Governo continuamos companheiros, participei de suas campanhas políticas. Sempre nos comunicamos por telefone e nos vemos quando é possível. Um Amigo e Chefe eterno. QUAL SEU ESPORTE PREFERIDO E O TIME DO CORAÇÃO?Quando jovem, em Ponta Grossa, torci pelo Guarani, mesmo sendo operário ferroviário. Hoje, gosto de assistir um bom jogo de futebol, escolho um time para torcer na hora, e quando joga o time que meus netos torcem, torço pelo time deles. Mas gosto de ver jogos de basquete e vôlei, além de assistir corridas de automóveis. E ouço seu programa Ilivaldo (Rádio Colméia AM, Tocando de Primeira, aos sábados das 11 às 13 horas), pois adoro ouvir rádio, também, o radio sempre fez parte de minha vida. Sou do tempo que ouvíamos os jogos do Brasil e ficávamos em Posição de Sentido em frente ao rádio na Hora do Hino Nacional.
CITE TRÊS PERSONALIDADES ESPORTIVAS DE CAMPO MOURÃO?Sou Pai Coruja... o Cláudio, meu filho, foi e continua sendo um craque no Basquetebol. Na foto, do Baú do Luizinho, na década de 80: Em pé, (da esq. para a direita): Ademir 'Billy' Basso, Tarjânio Tezelli, Adriane Cilião, Claudio Kravchychyn, Alendre 'Linguinha e, agachado, José Carlos Trindade.
Respeito muito o Itamar Tagliari pelo amor ao Futsal. No Futebol, sou do tempo da AERM, que no Estádio Roberto Brzezinski sempre proporcionava grandes duelos com as equipes da Capital.

Equipe da AERM - Associação Esportiva Recreativa Mourãoense, na década de 60. Foto do livro Campo Mourão Centro do Progresso, de Pedro da Veiga.
CITE TRÊS PERSONALIDADES MOURÃOENSES? Dou muito valor aos Pioneiros d
e Campo Mourão, pois eram Tempos difíceis, tudo era feito com muito sacrifício, mas as pessoas eram mais comprometidas, não havia salários para os cargos, mas as pessoas vestiam a camisa. Não vou citar nomes, mais uma vez, pois três é um número muito pequeno e se pudesse por mais nomes acabaria esquecendo alguém...........
PODERIA PREVER: QUEM SERÁ O PRÓXIMO PREFEITO DE CM? Ainda não, começa agora a corrida, mas torço que seja uma pessoa que realmente pense em nossa população, nossa gente, e que seja comprometida com nossa Cidade. Acho que já perdemos muito e precisamos nos Unir. Responsabilidade!!!!!
QUAL DEVERIA SER O PERFIL DO PRÓXIMO PREFEITO DE CM? Uma pessoa que tenha Comprometimento, Honestidade, Competência, alguém com Determinação para trabalhar por Nossa Gente, precisamos de muito, na Saúde, na Educação, precisamos alguém que não tenha tempo ruim para nossa Cidade.
VAPT-VUPTÉTICA É....uma palavra esquecida pelos nossos Representantes
A POLÍTICA É...Fundamental
CAMPO MOURÃO DO PRESENTE É ...esperança para um Futuro MelhorA CAMPO MOURÃO DO FUTURO SERÁ...uma escolha sua nas urnas
GOVERNO NELSON TURECK...Populista
GOVERNO BETO RICHA...Uma Nova Liderança
GOVERNO DILMA...Fazer o Que?
COMIDA...Uma Boa Buchada nos Domingos pela manhã com meus Amigos. E um Bom Virado de Feijão...
MÚSICA...Tangos e Sertanejas antigas.
RELIGIÃO...Católico
UM FATO INESQUECÍVEL...Trabalhar no Palácio Iguaçu com o Governador Paulo Pimentel Exemplar do jornal mourãoense Entre Rios, de Milton Roseira e Osvaldo Broza, em 2005 - destaque para matéria especial com Daniel com texto de Silvio Walter.UM FATO MARCANTE... a Vinda para Campo Mourão UMA IMAGEM.... vista para o Rio na Casa da Usina
UM SONHO.... Muita Saúde para chegar aos 100 anos
QUAL PERGUNTA GOSTARIA DE TER RESPONDIDO QUE NÃO LHE FOI PERGUNTADO NESTA ENTREVISTA DE DOMINGO? Ilivaldo, seu questionário é muito completo. Mas é claro que sempre ficam questionamentos. São 83 anos de vida. Vamos deixar para uma próxima oportunidade.
QUAL O SENTIMENTO DE RECEBER ESTA HOMENAGEM? É muito bom ser lembrado Ilivaldo, e muito bom também contar um pouco de meus momentos, estou com 83 anos, completei agora no dia 9 de fevereiro, tive uma festa com minha Família e Meus Amigos, e sinto ganhar de Você este presente tão Especial, Esta Homenagem me fez muito feliz. QUAL O SEU RECADO AOS LEITORES DESSA ENTREVISTA DE DOMINGO? Desejo à todos que tenham em suas vidas sempre boas coisas para contar. É muito bom podermos olhar para trás e ver que nosso caminho foi trilhado sempre com muito trabalho e respeito. E desejar a Você e a todos felicidades em seus caminhos. Muito obrigado.

NOTA DO BLOG: Descanse em paz Daniel,  o senhor deixa um maravilhoso legado para todos.