23 de nov de 2012

ESTER DE ABREU PIACENTINI: Eu


Parece meio maluco, mas sempre que perco alguém que conhecia e admirava, por alguma de suas qualidades, me pergunto quem sou?.
Você já parou para pensar?, há quem diz que fica meio confuso.
Mas me questiono, para medir o que tenho feito por mim. Não é egoísmo, é atenção.
Prega-se o tempo todo o cuidado que devemos ter pelos idosos, pelos filhos, pelos enfermos, pela natureza..blá,blá,blá ... .
E “Eu”, onde fico na história, qual o tempo que dedico a mim. Será que cuido dos meus pés o tanto que deveria? Este membro tão esquecido do corpo, pois, cuidamos da nossa pele, do nosso cabelo, do nosso corpo para mantê-lo em forma, as mãos para que estejam sempre bonitas, as unhas dos pés, mas muitas vezes esquecemos de massageá-lo, nem lembramos que os massageando ativa toda nossa circulação, evitando muitas vezes problemas sérios, aprendi em uma ocasião que precisei.
Vou ao cinema quando tem alguma fita que quero ver, mesmo que não tenha companhia? Saio no meio do dia, seja qualquer um que seja para tomar um sorvete só porque me deu vontade? Saio para olhar as vitrines, só para encher os olhos. Sento-me em algum destes bancos no calçadão só p’ra ver as pessoas passarem? Engraçado! Quando paro pensando neste assunto, sinto que não cuido muito bem de mim. E, logo eu que sou apaixonada por mim. Quando as pessoas que deixam lições de vida se vão, me pergunto será que elas fizeram por elas mesmas alguma coisa, ou só pensaram em deixar bens materiais, para que seus herdeiros travem batalhas judiciais pelo melhor quinhão?
Parece tétrico, mas o que você tem feito por você? Tem vivido os melhores momentos com sua família? Tem dado boas gargalhadas? Tem tomado sorvete no meio da tarde? Sentado no banco da praça? Ou andado pela rua para ver nada, só por andar, não para caminhar a passos largos mantendo a forma.
A vida é séria, é de muito trabalho, é de muita responsabilidade... Mas é muito curta!.
Pense nisso!!!.
Ester de Abreu Piacentini, corretora de seguros, membro da Academia Mourãoense de Letras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário