23 de jul de 2012

COLUNA DA PROFª MARIA JOANA: Cuidado Brasil


Circula na internet uma comparação entre o tipo de vida e economia da Europa e da China que nos faz refletir sobre a REALIDADE BRASILEIRA. Opinião é de um professor chinês de economia, o Prof. Kuing Yamang, que viveu em França e conhece a realidade europeia.
“A sociedade europeia está em vias de se autodestruir. O seu modelo social é muito exigente em meios financeiros. Mas, ao mesmo tempo, os europeus não querem trabalhar. Só três coisas lhes interessam: lazer/entretenimento, ecologia e futebol na TV! Vivem, portanto, bem acima dos seus meios, porque é preciso pagar estes sonhos...
2. Os seus industriais deslocalizam-se porque não estão disponíveis para suportar o custo de trabalho na Europa, os seus impostos e taxas para financiar a sua assistência generalizada.
3. Portanto endividam-se, vivem a crédito. Mas os seus filhos não poderão pagar ‘a conta’.
4. Os europeus destruíram, assim, a sua qualidade de vida empobrecendo. Votam orçamentos sempre deficitários. Estão asfixiados pela dívida e não poderão honrá-la.
5. Mas, para além de se endividar, têm outro vício: os seus governos 'sangram' os contribuintes. A Europa detém o recorde mundial da pressão fiscal. É um verdadeiro 'inferno fiscal' para aqueles que criam riqueza.
6. Não compreenderam que não se produz riqueza dividindo e partilhando, mas sim trabalhando. Porque quanto mais se reparte esta riqueza limitada menos há para cada um. Aqueles que produzem e criam empregos são punidos por impostos e taxas e aqueles que não trabalham são encorajados por ajudas. É uma inversão de valores.
7. Portanto o seu sistema é perverso e vai implodir por esgotamento e sufocação. A deslocalização da sua capacidade produtiva provoca o abaixamento do seu nível de vida e o aumento do... da China!
8. Dentro de uma ou duas gerações, 'nós' (chineses) iremos ultrapassá-los. Eles tornar-se-ão os nossos pobres. Dar-lhes-emos sacos de arroz...
9. Existe outro cancro na Europa: existem funcionários a mais, um emprego em cada cinco. Estes funcionários são sedentos de dinheiro público, são de uma grande ineficácia, querem trabalhar o menos possível e apesar das inúmeras vantagens e direitos sociais, estão muitas vezes em greve. Mas os decisores acham que vale mais um funcionário ineficaz do que um desempregado...
10. (Os europeus) vão diretos a um muro e a alta velocidade...”
ó os europeus??? O Brasil que se cuide, pois estamos com políticas semelhantes às da Europa. Parece mesmo que já vimos este filme aqui no Brasil: funcionários demais, sede de dinheiro público, ineficácia, vantagens, direitos sociais..., punição de quem produz e cria empregos, com impostos, taxas, que sangram o contribuinte..., endividamento... viver acima de seus meios..., não querer trabalhar..., pensar só no lazer, entretenimento, ecologia, prazer, futebol...
As notícias confirmam o maior endividamento dos brasileiros, gastando além do que ganham, estimulados a consumir pelo próprio governo que quer melhorar o PIB, (e não consegue...). A presidente Dilma que deveria dar o exemplo e sabe que estamos vivendo momentos de crise e que “não se deve brincar a b eira do precipício” como disse em discurso no Planalto, agora quer “ser como eles” e ter um avião Boeing 747 como o de Obama. Como mulher, dona de casa, gerente das contas do Brasil ela sabe como todo brasileiro consciente, que em tempos de crise, uma família com dificuldades econômicas não troca nem de carro quanto mais de avião. O Airbus A319 comprado por Lula em 2004 já foi um gasto desnecessário, que saiu do nosso bolso, os contribuintes!!!
Maria Joana Titton Calderari – membro da Academia Mourãoense de Letras, graduada Letras UFPR, especialização Filosofia-FECILCAM e Ensino Religioso-PUC-majocalderari@yahoo.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário