23 de ago de 2011

JOSÉ TUROZI, Presidente da Federação das APAEs do PR pede o fim da cultura da indiferença



Somente conscientizando a sociedade sobre as capacidades e potencialidades da pessoa com deficiência é que será possível acabar com a indiferença social”, afirmou ontem (22) o presidente da Federação das Apaes do Paraná, José Turozi, durante pronunciamento no Plenário da Assembleia Legislativa. A presença de Turozi teve por objetivo promover a Semana Nacional da Pessoa Com Deficiência Intelectual e Múltipla, mobilização nacional que busca sensibilizar e conscientizar a população neste ano sobre “as barreiras da indiferença”.
De acordo com Turozi, “culturalmente, as pessoas com deficiência vêm conquistando espaços dentro dos mais variados níveis sociais, que na maioria das vezes
lhes foram negados historicamente”. “Esta mudança de paradigmas somente foi possível através da mobilização das famílias das pessoas com deficiência e técnicos de várias áreas, que reconheceram as potencialidades dos portadores de necessidades especiais, propondo-se desta maneira a não tratar a deficiência somente, mas a desenvolver as capacidades e habilidades dos indivíduos”, acrescentou.
Cidadania – Durante seu pronunciamento, o presidente da Federação das Apaes do Paraná frisou a importância da cidadania: “Uma vez que a pessoa passa a ser considerada um cidadão, a responsabilidade passa a ser do social, não sendo mais uma luta isolada das famílias, mas de toda a sociedade”. Por isso, Turozi defende que as pessoas com deficiência se mostrem, expondo suas necessidades e expectativas, juntamente com suas famílias. “Nesta semana, as Apaes chamam a sociedade para debater assuntos relacionados à pessoa com deficiência dentro de seus contextos, tendo como tema este ano as barreiras da indiferença. Historicamente, existe uma grande dívida social para com as pessoas com deficiência, como a falta de políticas públicas voltadas para garantia de qualidade de vida”, declarou.
Turozi, que há 26 anos luta pela causa, disse ainda que no Paraná pouco mais de 30 mil estudantes frequentam as escolas especiais, lamentando a falta de estatísticas que mostrem qual é o volume real de pessoas portadoras de necessidades especiais. Ele aproveitou o momento para solicitar apoio dos deputados às reivindicações encaminhadas ao Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Educação. As Apaes, constituídas atualmente em 327 municípios, querem expandir seu trabalho, ampliando e aperfeiçoando as instituições já constituídas. “Para isso, precisamos de mais escolas, de espaços para atendimento à saúde e também de transporte adaptado. As pessoas com deficiência, dentro de suas limitações, são produtivas socialmente, desde que tenham oportunidades de aprendizagem”, ensinou.
Fonte: Assessoria de Imprensa (41) 3350-4188 / 4049 - Jornalista: Nádia Fontana, do site da Assembleia Legislativa do Paraná. Foto: Nani Góis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário