7 de abr de 2011

COLUNA DE CAMILA ZAZULA: O que é Disfunção Temporomandibular ( DTM)?


A disfunção temporomandibular (DTM) representa um quadro complexo que envolve os músculos mastigatórios e/ou a articulação temporomandibular, causando prejuízos à função mastigatória. É um desconforto ou disfunção musculoesqueletal no sistema mastigatório agravado pela mastigação ou outro uso da mandíbula, mas independente de moléstia local dos dentes e boca. A característica é dor provocada pela função, dor mais disfunção. Seus sintomas são: dor funcional da mandíbula, incoordenação de Articulação Temporomandibular (ATM), restrição dos movimentos da mandíbula, dor de cabeça freqüente, dor nos músculos mastigatórios e sintomas auditivos como zumbido ou ruídos no ouvido. Sendo que é mais comum ocorrer em mulheres, em idade entre 15 e 40 anos. A síndrome de dor miofascial, também conhecida como dor e disfunção miofacial, ou simplesmente dor miofascial, é a forma mais freqüente de disfunção muscular associada ao aparelho estomatognático e a DTM. A dor pode se manifestar em várias intensidades e tipos. O paciente pode relatar também sua experiência associada a fatores que pioram o quadro de dor, como: mastigação excessiva, hábitos parafuncionais, tensão emocional e temperatura ambiente mais fria. Por ser de etiologia e manifestações múltiplas, a equipe de diagnóstico e tratamento é composta por cirurgião-dentista, fonoaudiólogo, psicólogo e fisioterapeuta, sendo que as terapêuticas empregadas podem variar de acordo com as necessidades dos pacientes. A terapia fonoaudiológica iniciará pelas técnicas de relaxamento, além de todo diálogo sobre a problemática. Os exercícios miofuncionais orais devem ser praticados sentados e a cabeça ereta, evitando assimetrias no trabalho, muscular e alterações na postura da mandíbula. A meta final da terapia miofuncional na DTM é a adequação das funções estomatognáticas, mas um resultado imediato que ela produz é o alivio da dor pela melhor irrigação sangüínea propiciada pelos exercícios. A desordem temporomandibular não é o tipo de problema que se resolve o mais rápido possível. Cada etapa tem que ser vivenciada e compreendida. As mudanças ocorrem física e mentalmente. O que se quer é o fim da dor, mas não com analgésicos. A vida sem dor é conquistada, com todas as etapas alegres e tristes que isso envolve como aprendizado, a mudança, além de diminuição, aumento ou volta de dor. Se você possui algum desses sintomas procure tratamento Fonoaudiológico e assim ter uma melhor qualidade de vida. Gostaria de agradecer a todos os comentários na coluna da semana passada, cada dia se torna mais gratificante escrever neste Blog e gostaria de agradecer principalmente ao Ilivaldo que me proporcionou esta oportunidade. Até semana que vem, aguardo vocês com mais curiosidades sobre a Fonoaudiologia. Dúvidas, opiniões, observações: envie seu e-mail para camilazazula@hotmail.com ou me procure na Clínica Betel (44 3017-5577) na Rua Panambi 1966, Campo Mourão - PR.

Nenhum comentário:

Postar um comentário