31 de mai de 2009

ENTREVISTA DE DOMINGO: Antonio Carlos Aleixo

Antonio Carlos Aleixo, professor do curso de Letras e atual diretor da Fecilcam em segundo mandato, está aqui no BLOG na ENTREVISTA DE DOMINGO. Carlinhos como é conhecido diz que vai se dedicar à construção do novo campus e que o grande objetivo é preparar a Fecilcam para ser Universidade, "Democratizamos mais a Fecilcam nesses últimos quatro anos. Temos hoje 110 professores efetivos e 86 com dedicação exclusiva." Ótima leitura e semana a todos.
Quem é Antonio Carlos Aleixo?
Sou casado e não tenho filhos, ainda. Meu pai é Adimir Aleixo - foi professor por longos anos- e minha mãe é a dona Carmen - Carmen, em latim, é o nominativo de poema, significa poema. Tenho um irmão, que é administrador de empresas e uma irmã, professora na UTFPR de Campo Mourão.
Sou natural de Luiziana, nasci na zona rural, na localidade "Bairro dos Paulistas", por causa dos meus parentes, que vieram de São Paulo para aquela comunidade. Hoje é tudo fazenda, com pouquíssimas famílias.
Passei a minha infância por lá, até os nove anos, depois passei a morar em Luiziana até aos 17 anos, quando vim para Campo Mourão fazer o curso superior. Devo minha formação escolar a meus pais, que tiveram o propósito de fazer os três filhos estudarem.
Onde o Senhor estudou e iniciou sua vida profissional?
Toda a minha formação foi em escola pública. Estudei até a quarta série numa escolinha rural, chamada João Perneta, em classe multisseriada -estudávamos todos juntos, da primeira à quarta série- e meu pai era o professor. Depois estudei nas escolas de Luiziana e vim para Campo Mourão para cursar Ciências Contábeis. Acabei mudando para o curso de Letras, justamente porque trabalhava na área de educação.
Eu trabalhei na biblioteca da escola municipal Rita de Cássia, em Luiziana, já com 14 anos, quando era prefeito de Campo Mourão o professor José Pochapski. Depois trabalhei na Casa da Cultura de Campo Mourão e tive um período trabalhando na Secretaria Municipal de Educação. Trabalhava na mesma sala do professor Nicon Kopko, meu professor de Latim no curso de Letras. Tudo isso até os 21 anos, quando fui dar aulas nas escolas estaduais, no final dos anos 80. Comecei a trabalhar na Fecilcam em 1994. O casal Nicon e Ana Kopko,e o filho Bóris, no casamento do filho Ígor, em 1993. Nicon é nome da escola localizada no Jardim Modelo, em C. Mourão.
O que o Senhor faz hoje profissionalmente?
Sou professor do curso de Letras da Fecilcam, tenho mestrado em Estudos Literários, mas ministro disciplinas como Língua Latina, Semântica e Lingüística. Meu primeiro trabalho como professor foi na escola Dom Bosco, no Lar Paraná. Como estou na direção da Fecilcam, tenho apenas duas aulas em sala.
É mais fácil ser professor que diretor. As duas tarefas são importantes, em momentos e lugares diferentes, mas como diretor, consigo atingir um número maior de pessoas e de ações. Entretanto, a responsabilidade é maior. Como diretor, tenho que responder a mais gente e por mais coisas. Mas eu estava maduro profissionalmente quando assumi a direção da Fecilcam. Eu já tenho mais de 41 anos e comecei a trabalhar com 14 anos.
Como surgiu a sua candidatura à diretoria da Fecilcam?
Minha primeira candidatura, a de 2005, foi fruto da insatisfação de um grupo de colegas com os rumos que a Fecilcam havia tomado. Em 2003 já tínhamos percebido que o nosso local de trabalho não estava bem.
Nesta eleição de 2009, acho que foi o contrário, pois eu e o professor Éder, que é vice (na foto ao lado) não tivemos adversários. Entendo isso como um elogio e um reconhecimento dos colegas professores, pois há muitos com capacidade para ser diretor da Fecilcam. A maioria tem condições e ninguém se dispôs, porque certamente tem reconhecido nosso trabalho nos últimos quatro anos.
Na primeira eleição éramos em 5 candidatos a diretor e fiz 38 votos entre os professores. Agora fiz 101 votos, uma ampla maioria. É claro que a direção traz desgastes e dissabores, mas não se pode apenas dizer sim e quando se diz “não” a gente sempre acumula críticas. Mas, como diz Drummond, "é a vida".
Minha vida mudou bastante quando deixei de ser professor e passei para a direção: mais cansaço e menos família, pois trabalho em média 10 horas por dia. Vale a pena para quem tem um projeto de vida em defesa da escola pública. É o meu caso.
Quais são os seus planos para este segundo mandato?
Os objetivos para o próximo período estão na proposta que apresentamos aos professores, agentes e estudantes, durante a campanha: dar maior visibilidade à Fecilcam na comunidade da nossa região; vamos nos empenhar mais nos aspectos do ensino, principalmente para dar mais qualidade ao que se deve aprender (avançamos muito na pesquisa e na extensão) .
E vamos nos dedicar à construção do novo campus, pois o espaço onde estamos já não comporta mais nossas ações. O grande objetivo é preparar a Fecilcam para ser Universidade. Desde quando a professora Sinclair foi diretora estamos trabalhando nesse projeto. Houve um “pit stop”, mas retomamos o discurso e a luta por uma universidade que vai gerar mais desenvolvimento para a população da Comcam.
Quais as principais conquistas a frente da Fecilcam?
Democratizamos mais a Fecilcam nesses últimos quatro anos. E serviço público deve ter esse caráter, pois não tem um dono. O dono é a população que paga impostos. Saímos de 66 professores efetivos para 110. Tínhamos 51% de aulas com professores temporários. Conseguimos organizar mais grupos de pesquisa. Ampliamos o programa de Iniciação Científica, criamos algumas regulamentações para evitar o “compadrio”. Mas principalmente retomamos a natureza pública da Fecilcam.
Sou mais um líder que um chefe, tenho mais a tarefa de organizar os debates e as decisões e encaminhar aquilo que é decidido pelo grupo do que o trabalho de ditar o que deve ser feito. É claro que em alguns aspectos tomo decisões sozinho e me responsabilizo por isso.
Tenho tido mais alegrias que decepções na função de diretor, justamente porque não me sinto só na tarefa de direção. O professor Éder, meu vice-diretor, é um grande companheiro e assume muitas tarefas comigo. E há pelo menos umas 60 pessoas envolvidas nas tarefas cotidianas. É um alento. A compensação não é financeira, é claro que há uma gratificação para ser diretor, mas não sou diretor para ganhar mais que um professor. Sou diretor porque tenho noção da minha tarefa, num projeto maior, que passa pela melhoria da escola e do ensino superior.
Quantos professores a Fecilcam tem atualmente?
A Fecilcam tem, hoje, 110 professores efetivos e próximo de 40 temporários, tem 44 agentes universitários, que fazem o trabalho de suporte para as atividades acadêmicas e 2.309 matrículas na graduação. São mais de 80 professores efetivos com mestrado e doutorado. Somos em 86 professores com o regime de dedicação exclusiva, trabalhando somente n a Fecilcam.
Há uma geração nova de professores, aprovados recentemente nos concursos. Muitos são ex-estudantes da própria Fecilcam e muitos com menos de 30 anos, mestrado concluído e entrando no doutorado. Hoje, convivem professores e funcionários que iniciaram com a própria Fecilcam, em 1972, com os que entraram nos anos 90 e os de 2005, 2006. É uma experiência riquíssima.
Qual é o momento atual da Fecilcam?
Tenho convicção de que vivemos nosso melhor momento. É claro que não se deve a mim, ou ao professor Éder. Deve-se à conjunção de nossa vontade de trabalhar com dois governos que tem ajudar muito mais a Educação. O Governo Requião tornou mais pública a escola que o governo anterior tentou destruir. Há mais recursos.
Em 2005 o governo autorizou 40 vagas para concurso e liberou mais de um milhão de reais para infraestrutura física. Novamente, no final de 2008, foram mais de um milhão em recursos (compramos mais de seis veículos novos nos últimos dois anos, quando tínhamos apenas carros velhos). Na foto, a secretária de Ensino Superior, Lígia Puppato, entregando mais um veículo à Fecilcam.
Não tenho dúvidas de que não devemos nada a nenhuma universidade, nos cursos que temos aqui. Professores altamente qualificados, regras para distribuição de aulas, tempo para pesquisa. Recursos para participação de qualificação profissional. É claro que ainda temos muito o que melhorar. Há grupos resistentes, alguns que desejam mais facilitações. Mas é minoria.
O Senhor acredita que muitos ainda não sabem que a Fecilcam é gratuita e pública?
Sim acredito. Muitos. Infelizmente não há, na nossa região (e isso se deve ao modelo econômico predatório), uma cultura para elevação das condições de vida das pessoas. Na grande maioria, a população de nossa região se conforma com dirigentes ignorantes e despreparados para ocupar cargos públicos. Ignorantes no sentido do conhecimento, do discernimento, do compromisso com as coisas públicas. E isso não empolga as pessoas. Muitos se conformam em concluir o ensino médio e arrumar um trabalho para sobreviver apenas. É uma cultura que precisamos mudar. E é tarefa de todos nós, que somos educadores. Vocês, da imprensa, que também são educadores, tem um papel importante nessa tarefa.
Como o Senhor analisa o crescimento da faculdade Integrado?
Acho excelente o crescimento do CIES. Tem um quadro de professores muito bem qualificado e traz desenvolvimento para a região. Conheço a professora Conceição e sei que o objetivo do CIES não é apenas ter lucros com o ensino. Se fosse assim não disponibilizaria tempo para pesquisa, não organizaria eventos científicos, não contrataria professores com mestrado e doutorado. Não sou contra as escolas privadas (desde que o Estado não as financie, claro, em detrimento das públicas). Mas sou contra as escolas de formação à distância. Para mim, curso de graduação tem que ser presencial. Admito até flexibilidade para atender grupos em condições especiais. Mas tem que ser presencial. Nada de telecentros ou provas pelos correios.
Temos que analisar também o crescimento da UTFPR, em Campo Mourão. Veja, daqui 2 anos teremos mais de 7.000 estudantes universitários em Campo Mourão, contando as três instituições. Se os dirigentes do governo municipal soubessem aproveitar esse potencial.
Qual o seu esporte preferido,
time do coração e o maior ídolo desse time?
Sou corinthiano.
Gosto de futebol e adorei os últimos gols do Ronaldo.
Ele é a nossa vingança. Dos gordinhos.
O nível educacional mudou muito nos últimos anos?
Sim, mudou muito nos últimos 20 anos. E, ainda que muitos digam o contrário, mudou para melhor, em minha opinião, porque tem mais povo nas escolas. Mas está longe do que deveríamos ter. Muito longe. Ainda recebemos estudantes na Fecilcam que não sabem ler e escrever textos com mínima complexidade. Quase sempre frutos das políticas neoliberais que, nos últimos anos, esculhambaram a formação escolar.
O campus da Fecilcam é um sonho que vai ser realizado?
Vamos construir o novo campus. Ou num terreno que está sendo viabilizado na BR 369, em frente ao Seminário São José, doado por um proprietário, ou no terreno onde hoje está o Colégio Agrícola. Nossos próximos desafios são a construção desse campus e a ampliação de cursos.
O que o Senhor, ainda não fez, que gostaria de fazer?
Terminar minha segunda gestão como diretor da Fecilcam. Tenho poucos sonhos pessoais. Vou fazer um doutorado para, se possível, aprender mais e melhorar minha profissão. Meus estudantes merecem isso.
O Senhor será candidato a algum cargo nas próximas eleições?
Não sei se vou me dedicar à vida pública fora da educação. Pode acontecer, mas não estou pensando nisso agora.
Conte-nos um pouco sobre a sua vida estudantil e política.
Fui um estudante sem muito brilho. Comecei a me conscientizar sobre o mundo nos dois últimos anos da Faculdade de Letras. Passei a militar politicamente nos grupos de jovens da Igreja Católica com 18 anos e nunca mais parei. Fui dirigente sindical da APP-Sindicato e milito partidariamente desde os 20 anos, quando fundamos o PT em Campo Mourão.
O que mudou na militância: Saíram os "caras pintadas” e o poder subiu muito na cabeça dos jovens líderes?
Os “caras pintadas” foram mais “caras pálidas” da Vênus Platinada (a Rede Globo ). É assim que leio os eventos de 1992. A Globo elegeu Collor e depois ajudou a derrubar, quando percebeu o movimento. Mas ajudou a levar estudantes para a ruas. Não foi um movimento consistente. Por isso não durou. Operários fazem lutas mais consistentes e sua consciência de classe é mais arraigada. Lindenberg Farias - líder estudantil na época- não foi o único que se elegeu deputado ou vereador ou prefeito, mas quase todos ligados à UNE e ao PC do B.
No modelo de poder que temos no Brasil, que é muito parecido com os astros do futebol, a fama sobe à cabeça sim. Se as lideranças não forem firmes, descamba tudo. Mas conheço mais gente séria, na política, que não séria. De fato, é possível conhecer um malandro em duas frases. Procuro me afastar.
Ética em uma frase é...
Uma postura de classe, de grupo social.
Ser diretor da Fecilcam é .....
Uma tarefa engajada.
Os professores da Fecilcam são....
O melhor grupo com quem já trabalhei, profissionalmente.
Política é....
Necessária, mas não suficiente.
O governo Nelson Tureck é.....
Como uma onda no mar (como diria o Djavan )
O governo Lula é .....
O mar, que sustenta algumas ondas. Umas boas, outras nem tanto.
O que o Senhor mais gosta em Campo Mourão?
Gostava de andar pelas ruas, tranqüilo, há 15 anos. Gosto da cordialidade da maioria da população. A gente cumprimenta e as pessoas correspondem. Não gosto do trânsito.
Cite três personalidades esportivas de Campo Mourão?
Considero a Rose, que foi do atletismo, um exemplo. Foi minha aluna no Dom Bosco. Gosto do trabalho do professor Paulinho, pela paixão ao esporte, e tenho assistido aos jogos do Futsal, que, em minha opinião, é o que tem de mais expressivo hoje.
Cite três personalidades mourãoenses?
O Mário Lima (Marião do PT), a dona Jacira, que cuida de crianças sem família e o meu amigo Joseval, diretor da Escola Ivone Castanharo.
Cite três políticos de destaque...
Professora Vilma, Elmo Linhares (foto) e a professora Lígia Puppato (que vem fazendo um excelente trabalho na nossa Secretaria do Ensino Superior)
A Campo Mourão do presente é.......
Uma encurzilhada, onde podem se encontrar boas lideranças.
A Campo Mourão do futuro será....
A cidade onde teremos mais uma universidade paranaense.
Qual o seu recado aos leitores do BLOG DO ILIVALDO DUARTE?
Tenho uma admiração e respeito pelo seu trabalho há muito tempo. Principalmente porque você é filho de um servidor público municipal com quem trabalhei durante um período. Sei um pouco da sua história também. Fiquei feliz por ter sido convidado para esse bate-papo. Honrado. Gostaria de compartilhar boas coisas com mais gente. Por isso tenho feito de tudo para divulgar os trabalhos da Fecilcam. Obrigado e um abraço.
NOTA DO BLOG: Com a colaboração do historiador Pedro da Veiga, posto abaixo fotos da Fecilcam: em obras, no ano de 1971, membros da Fundescam que foi importante para a criação da nossa faculdade, momento na inauguração com o prefeito Horário Amaral e homenagem aos fundadores por ocasião dos 30 anos da Fecilcam.





30 de mai de 2009

FUTSAL: CM busca reabilitação hoje em São Miguel

Quebrar a série de quatro jogos em vitória e entrar diretamente na briga por uma das 12 vagas a segunda fase da Chave Ouro é a meta da equipe do Campo Mourão Futsal, na noite de hoje em São Miguel do Iguaçu. O jogo começa às 20h30 com transmissão ao vivo pelas rádios Rural AM e Colméia AM.
Campo Mourão terá a volta de Limone e com 10 pontos ganhos, fruto de três vitorias, um empate e seis derrotas, o time sabe que qualquer tropeço poderá ver reduzidas suas chances de classificação na Chave Ouro.
O diretor da Fecam, Itamar Tagliari conversou esta semana com o elenco e a comissão técnica exigindo uma postura diferente a vitórias, para aumentar as chances de ver o time na fase mais importante da Chave Ouro.
Pela tabela, Campo Mourão jogará contra o São Miguel e o Cascavel, e depois fará dois jogos em casa, diante de Paranavai e Cianorte, para encerrar a primeira fase em Medianeira.

COLUNA do Nery Thomé

TOQUE DE RECOLHER, LEI SECA OU SABER DIZER NÃO?
A cidade de Fernandópolis, no interior de São Paulo, comemorou, em 2009, a redução em 80% dos atos infracionais e 82% das reclamações feitas no Conselho Tutelar, que atende crianças e adolescentes menores de 18 anos. Para as autoridades locais, o principal motivo da redução dos números que antes preocupavam a população é o chamado “toque de recolher”, colocado em prática há quatro anos no município, proibindo a permanência de menores de 18 anos nas ruas após 23 horas.
A medida foi imposta pelo juizado de infância e juventude daquela cidade com o objetivo de reduzir os números da delinqüência juvenil, evitando o consumo de álcool e drogas. Outras duas cidades do interior paulista também já aplicaram a medida, registrando, igualmente, bons resultados. O assunto, é claro, tem gerado polêmica em todo país. De um lado, os que criticam a medida pelo fato desta limitar o direito de ir e vir, alegando que cabe aos pais exercer autoridade sobre seus filhos. Do outro, pais e comunidade aliviados. Esta, pela diminuição de ocorrência de furtos, roubos e outros delitos. Aqueles por terem o apoio do poder policial para garantir que seus filhos estejam em casa a salvos.
Em Mirassol, outro município paulista, o Ministério Público tomou uma medida que também causou indignação e aplausos por partes dos segmentos da sociedade. Houve o pedido de prisão de quatro mães por ausência escolar de seus filhos e mau comportamento dos mesmos. Segundo o promotor, os pais cometeram abandono intelectual de seus filhos. Embora nenhuma das mães tenha sido presa, as famílias terão acompanhamento psicológico e do Conselho Tutelar da cidade.
Em Campo Mourão, os índices de criminalidade continuam assustando as entidades e autoridades responsáveis pela discussão da segurança pública, sendo várias as acusações dos possíveis culpados e responsáveis. Uns afirmaram que o problema é a proibição de trabalho a menores de idade; outros, que a falta de recompensa aos que denunciam crimes relacionados com drogas, entre outras inibe que as pessoas informem às autoridades policiais sobre tráfico de drogas e outros delitos. Temos a nossa ``Lei Seca``, a qual também possui defensores ferrenhos e outros tantos que a criticam devido a dificuldade de fiscalização e os problemas decorrentes desta fiscalização.
Infelizmente vivemos numa época onde os pais apresentam grande dificuldade em exercer autoridade sobre seus filhos, pois, se mal conseguem serem respeitados dentro de casa, seria pedir demais a estas famílias conseguir exigir que seus filhos não ficassem até tarde nas ruas e bares da cidade.
Quando falamos em educação devemos estar cientes de que ela tem várias faces. Passa pela alfabetização, a transmissão de conhecimentos e capacitação, mas há que se dar destaque também para a formação do indivíduo, o que já começa no ambiente familiar, pois só com uma boa formação que o aluno pode desenvolver todo seu potencial. Não adianta ensinarmos a nossos filhos conceitos importantes como honestidade, ética e respeito ao próximo na teoria, em livros ou palestras. É preciso ensiná-los a controlar seus impulsos e isso só ocorre através da disciplina, com o desenvolvimento de valores e limites, o que depende mais do papel dos pais do que professores.
Enquanto pais e mães não aprenderem a dizer não a seus filhos e serem respeitados por isso, será a Justiça, o Ministério Público ou a polícia que terão que fazer esta tarefa, pelo bem da comunidade como um todo e dos próprios jovens, pois em casa os riscos de envolvimento com drogas e bebidas alcoólicas é muito menor. O Judiciário não deve fazer o papel da família, mas é na ausência dela que, a cada dia, o mesmo é mais solicitado, e, infelizmente, quando isso acontece, muitas vezes trata-se de um caminho sem volta.
Nery José Thomé escreve aos sábados no jornal Tribuna do Interior e aqui neste BLOG.

COLUNA DA professora Maria Joana

A difícil arte de educar os nossos filhos!
Olhando a realidade das nossas escolas e de todos os lugares por onde circulam nossas crianças, adolescentes, jovens percebemos a grande crise educacional que vivemos. Nesse tempo de “tudo pode”, “tudo é permitido” parece que nós, pais, educadores, esquecemos de mostrar aos nossos fihos os limites entre o certo e o errado, o pode e o não pode.
Perdidos neste mundo em crise de valores, passamos para terceiros a responsabilidade que é nossa: educar nossos filhos, colocar limites, indicar o caminho, dar bons exemplos. E cobramos dos professores, dos catequistas, dos educadores que façam a nossa parte. Se não assumirmos as rédeas da educação de nossos filhos e não valorizarmos quem nos ajuda nesta difícil tarefa, seremos os responsáveis pelos descaminhos das futuras gerações.
É certo que não podemos fazer tudo por nossos filhos. Há muitos limites humanos. Mas temos que fazer a nossa parte. O texto de Silvia Schmidt ”O que posso... e o que não posso...” ajuda-nos a refletir sobre nossa difícil tarefa materna e paterna, sobre o quanto gostaríamos de fazer por nossos filhos e não podemos... E o quanto sofremos e somos cobrados pela sociedade pelo que não podemos fazer por nossos filhos. Mas, se ao menos fizermos o que podemos, já mereceremos o título de bons pais.
"O que posso... e o que não posso...”.
Silvia Schmidt
“Eu lhe dei a vida, mas não posso vivê-la por você.
Eu posso mostrar-lhe caminhos, mas não posso estar neles para liderar você.
Eu posso levá-lo à igreja, mas não posso fazer com que tenha fé.
Eu posso mostrar-lhe a diferença entre o certo e o errado, mas não posso sempre decidir por você.
Eu posso lhe comprar roupas bonitas, mas não posso fazê-lo bonito por dentro. Eu posso lhe dar conselho, mas não posso segui-lo por você.
Eu posso lhe dar amor, mas não posso impô-lo a você.
Eu posso ensiná-lo a compartilhar, mas não posso fazê-lo generoso.
Eu posso ensinar-lhe o respeito, mas não posso forçá-lo a ser respeitoso.
Eu posso aconselhá-lo sobre amigos, mas não posso escolhê-los por você.
Eu posso alertá-lo sobre sexo seguro, mas não posso mantê-lo puro.
Eu posso informá-lo sobre álcool e drogas, mas não posso dizer "NÃO" por você. Eu posso falar-lhe sobre o sucesso, mas não posso alcançá-lo por você.
Eu posso ensiná-lo sobre a gentileza, mas não posso forçá-lo a ser gentil.
Eu posso orar por você, mas não posso impor-lhe Deus.
Eu posso falar-lhe da vida, mas não posso dar-lhe vida eterna.
Eu posso dar-lhe amor incondicional por toda a minha existência... e isso eu farei ...”
E é esse amor incondicional de mãe é que traz ESPERANÇAS ao mundo.
Apesar de todos os obstáculos que encontramos na vida, apesar dos contratempos, apesar das portas fechadas, apesar das dificuldades que enfrentamos, ainda assim, temos que ter a esperança e fazer a nossa parte.
Esperança é a certeza de que algo de bom vai acontecer, é a confiança que tudo vai dar certo. Todos nós devemos ter essa esperança, para que não nos sintamos caídos, para que nosso dia seja menos tumultuado, e para que nosso coração esteja menos pesado.
Desejo a você, que também tenha sempre a esperança, que ela permaneça sempre em seus pensamentos.
Desejo que você nunca desista, porque enquanto houver a esperança, nenhum sonho está perdido.
Maria Joana Titton Calderari – graduada Letras UFPR, especialização Filosofia-FECILCAM e Ensino Religioso-PUC- majocalderari@yahoo.com.br

CM HOJE EM Curitiba na Taça Paraná de Futsal Sub 11

A equipe Copel/Escola Urupês/Associação Tagliari, representa Campo Mourão hoje e amanhã em Curitiba, na Taça Paraná de Futsal Categoria Sub-11.
A estreia será às 16 horas de hoje contra o perdedor do jogo de ontem entre AABB (Curitiba) e Associação Monte Sion (Paranaguá).
Amanhã, jogando pela classificação a próxima fase, os mourãoenses enfrentam o vencedor do jogo de ontem, no ginásio da AABB.
O time mourãoense é fruto da união e seleção dos melhores atletas das escolinhas de futsal da Copel e da Escola Urupês, contando com o apoio da Fundação Municipal de Esportes e de algumas empresas.
“É importante destacar o apoio dos pais que estão juntos incentivando e torcendo muito por esta nova geração de craques do nosso futsal”, revela Ronaldo Gonçalves da Silva, o “Ronaldinho”.
A delegação viajou na tarde de ontem e está alojada na AABB em Curitiba. Confiantes em bom futsal e na classificação da Taça Paraná Sub-11

PAPO DE RÁDIO: Atrações de hoje do Tocando de Primeira


O programa Tocando de Primeira de hoje (30), às 11 da manhã pelos 730 KHZ da Rádio Rural AM e site http://www.portalradiorural.com.br/ <http://www.portalradiorural.com.br/> com a edição de número 825, irá entrevistar no primeiro tempo, ao vivo e em cores, no estúdio número 01, o radialista Gerson Maciel, o empresário e rotariano Odilon Leal, e os coordenadores da Rota Fé em Campo Mourão, Toninho Aguilar e Rubem Moyano - foto-. Em destaque a historia e a importância da Rota de Fé que já foi realizada em nove edições, nos últimos dois anos com absoluto sucesso.
No segundo tempo, os entrevistados de Ilivaldo Duarte serão o vice-presidente de Amobasquete, Nelson Pedro Martins, o “Nelsinho”, e os atletas do futebol suíço sênior da Arcam (Bóris Kopko, Marcélio Szdylowski e Jáder Santos) e do futebol veterano do Clube dos 30 (Sebastião Mauro), que sagraram-se campeões dos Jogos Interclubes de Campo Mourão, edição 2009.
Além de participações especiais de convidados falando do Futsal Sub-11, do Futsal da Chave Ouro de Futsal.
Não perca, hoje a partir das 11 horas na Rádio Rural AM.
Tocando de Primeira: Um golaço no rádio brasileiro, aos sábados, pela Rádio Rural AM de Campo Mourão-PR nos 730 KHZ ou http://www.portalradiorural.com.br/
BLOG DO ILIVALDO DUARTE: jornalismo com qualidade, paixão e credibilidade.A

29 de mai de 2009

PAPO com CLÉBER E FERNANDO


A dupla peabiruense Cléber e Fernando, os filhos da dona Ana e do "Seo" Osmar Vinhote – in memorian- que nasceram em Campo Mourão, estão há dois meses residindo em Campinas, próximo a capital paulista.
Na foto, momento inesquecível da homenagem a dupla no Tocando de Primeira 783, em julho do ano passado, com participação dos pais, tios e amigos. Um dos melhores e mais emocionantes programas que já apresentei nos mais de 20 anos de jornalismo.
Em e-mail especial para o BLOG, eles enviam abraços e beijos aos seus inúmeros fás e mandam um recado especial para os leitores do BLOG. Confira.
Juntamos as dores da saudade do pai, e transformamos em vontade de vencer e vamos vencer por ele. Aqui na região de Campinas o mercado sertanejo é mais forte e estamos realmente onde tudo acontece.
Não está sendo fácil ficar longe da mãe, do mano Gustavo e dos amigos. Mas nosso pai esta lá com Deus e Nossa Senhora nos dando muita força e nos abençoando.
Esperamos num futuro bem próximo, estar dando mais alegrias aos nossos fãs, levando o nome do nosso estado e da nossa região para todo o Brasil. Contamos com as orações de todos, pois com Deus nada é impossível.
Obrigado Ilivaldo pela forca que você, em especial, nos deu e tem dado, pois você é um presente de Deus para a humanidade. Obrigado por nos deixar fazer parte da sua vida.
Cléber e Fernando

DIRETOR da Fecilcam na ENTREVISTA DE DOMINGO


Antonio Carlos Aleixo, diretor da Fecilcam em seu segundo mandato, estará neste dia 31 de maio na ENTREVISTA DE DOMINGO.
Carlinhos Aleixo, responde a várias perguntas sobre o momento da instituição e os desafios que virão pela frente na sua segunda administração a frente da primeira faculdade do Centro-Oeste do Paraná.
A qualidade e o investimento dos professores, a criação de um campus, a mudança no perfil acadêmico e nas lideranças estudantis, política, Campo Mourão, são temas que serão destacados no BLOG neste domingo com o professor Antonio Carlos Aleixo. Não perca.

PAPO DE RAINHA com Patrícia Nunes Correia


O BLOG entrevista a Rainha do Carneiro do Buraco 2009, Patricia Nunes Correia.
Patrícia conta da emoção de ser a vencedora do concurso e um pouco da sua trajetoria. Confira.
Tenho 23 anos, sou filha de
Sebastião Manoel Correia e Maria Eunice Nunes Correia.Trabalho como modelo fotográfico e no momento estou me dedicando a minha carreira.
Eu nunca participei do concurso Miss Campo Mourão, mas do Concurso Miss Sul Campo Mourão, no ano de 2006 e em 2007 fui a representante de Campo Mourao no concurso Garota CDI, fiquei em 4º lugar. Estes são concursos que participei. Entendo ser importante levar o nome de minha cidade.
Participo de concurso deste gênero desde os meus 6 anos de idade.
Antigamente e quem for mais experiente sabe disso, tinha concursos de dança na praça da Catedral, e minha mãe me inscrevia quase em todos eles e com a graça de Deus fui vencedora em alguns deles.
Como ja disse em algumas entrevistas, este concurso para mim tinha algo de muito especial, que era tentar continuar a obra maravilhosa que meu avô tinha começado, pois ele é pioneiro de nossa cidade. O nome dele é Laurentino Nunes Ferreira e minha vó, Dorcília Maria de Jesus Ferreira. Como ele já não está mais entre nós, foi uma forma carinhosa que eu achei para homenageá-los.
É maravilhoso sentir o carinho que as pessoas tem por você. No dia do concurso, eu achei que não teria torcida e de repente chegam mais ou menos 40 pessoas com faixa, apitos e até buzina tinha. Então, foi muito foi bom ver isso
O que eu espero agora? Espero, como rainha, desenvolver um papel importante sócio-cultural, mostrar que Campo Mourão tem mulheres bonitas e inteligentes. Como rainha da Festa, quero fazer bonito para bem representar Campo Mourão. Minhas medidas? Tenho 1,76 m de altura, 90 cm de busto, 95 cm de quadril, cabelos castanhos claros e olhos castanhos.
Um recado para os leitores do BLOG, amigos e fãs? Agradecer a todos que torceram por mim e convidá-los para comemorar junto com a nossa cidade este delicioso prato típico. Obrigado a você Ilivaldo e muito sucesso a todos os leitores.

28 de mai de 2009

INTERCLUBES: Clube dos 40 é campeão no Truco


Aconteceu na noite de ontem (27) na Assercam a final da modalidade deTruco nos 22º Jogos Interclubes de Campo Mourão. O Clube dos 40 - foto- venceu a Aertmcam por 5 a 2. Os 40 já haviam vencido também no bilhar.
Os campeões do Interclubes 2009:
Bilhar -Campeão Clube dos 40 e vice-campeão Clube dos 30
Truco - Campeão Clube dos 40 e vice Aertmcam.
Na noite de hoje na Assercam, às 19h30 acontecem as últimas finais do Interclubes na tranca (Masculino, Feminino e Mista) com as decisões entre Masculino: Assercam X Arcam, Feminino - Assercam X Arcam e Mista -Clube dos 30 X Arcam.

PAPO DE MÍDIA: Mourãoense no Congresso de Radiodifusão em Brasília


O mourãoense Eloi Ricardo Bonkoski (foto), diretor das Rádios Musical FM e Terra FM, esteve de 19 a 21 deste mês em Brasília, partiicpando do 25º Congresso Brasileiro de Radiodifusão.
Mais de mil radiodifusores assistiram palestras de vários estados brasileiros e também dos Estados Unidos, Inglaterra e França. O vice-presidente da República, José Alencar esteve na abertura.
No Congresso Brasileiro foram debatidos diversos temas de nosso interesse como mídias e novas tecnologias, radiodifusão comunitária e ilegal, rádio e TV Digital, o Futuro do rádio, entre outros. "Aprendemos bastantes, e saimos de Brasília com a certeza de que, apesar dos recentes avanços tecnológicos em outras mídias, o rádio poderá continuar ainda por muito tempo, sendo o veículo de comunicação mais ágil, dinâmico e presente na vida das pessoas", afirma Eloi Bonkoski.
PAIXÃO VEM DE BERÇO - Eloi Bonkoski é um dos netos de
Estefano e Tecla Bonkoski, e um dos filhos de Ervin Bonkoski (foto)-
um dos advogados e radialistas mais experientes do Paraná, que está na historia do rádio paranaense. Ervin foi proprietário da Rádio Difusora Colméia de Campo Mourão e da Rádio Goioerê, nas décadas de 60 e 70, e é diretor da Rádio Colombo de Curitiba - a terceira emissora mais antiga do Paraná, que foi fundada em 1955-.
Na Colombo, ele apresenta há 42 anos, sempre às 18 horas, o programa “A Hora do Ângelus” - um dos programas mais antigo da radiodifusão paranaense.
Formado em Direito, Jornalismo e Ciências Contábeis, Ervin Bonkoski foi presidente da Federação Paranaense de Basquetebol em 1981, deputado estadual de 1983 a 1987, e deputado federal por dois mandatos (1987/91 e 1993/95), inclusive sendo deputado constituinte.
No acervo do historiador Pedro da Veiga, foto de 1970 os radialistas em confratenização: Pedro da Veiga, Erwin Bonkoski, Doracy Scorsato,Brasilisio Pereira de Lima (Zé Mané), Wille Bathke Jr. e Antonio Reinisz.
HISTORIA - Enquanto inaugurava as novas instalações da Rádio Colombo em Curitiba, Ervin Bonkoski, devoto convicto de Nossa Senhora de Guadalupe, estabeleceu dentro dos estúdios da rádio uma capela em louvor à Santa Patrona das Américas. Segundo o site da Rádio Colombo, foi nesta época que ele recebeu das mãos do Monsenhor Bernardo José Krasinski, então vigário da Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe, a doação da efígie da santa, vinda de Roma e abençoada pelo Papa João XXIII. A chegada da imagem trouxe grande repercussão na cidade.
Na imagem vitrais da capelinha na Rádio Colombo, em Curitiba, que é local de romaria há muitos anos na capital do estado.
FILAS E DEVOÇÃO - Em maio de1968, ocasionalmente, muitas pessoas foram levar flores e rezar na capelinha de Nossa Senhora de Guadalupe, a ponto de se formar uma fila nas escadarias e pela galeria, onde a Romaria em devoção à Virgem de Guadalupe estendeu-se por todo o mês. A cada ano aumentava o número de féis, até ficar estabelecido que a Romaria fosse realizada na última sexta feira de maio. Já em 1978, segundo estimativas da imprensa, mais de 30 mil pessoas compareceram ao evento. O que começou inesperadamente prosperou e transformou-se num grande acontecimento no cenário religioso de Curitiba.
ORAÇÃO A NOSSA SENHORA DE GUADALUPE
Ó gloriosa Mãe de Deus,
Nossa Senhora de Guadalupe,
padroeira da América Latina:
Abençoai esta casa e a família que aqui reside.
Protegei nossos filhos, livrando-os das maldades e dos perigos deste mundo.
Guardai nosso lar, escondendo-o dos olhos dos maus.
Que nesta casa o nome de Deus seja sempre invocado com respeito e amor.
Que os seus mandamentos sejam observados com fidelidade.
Que vosso bendito nome, ó Mãe querida, seja sempre lembrando com muita devoção.
Que a palavra de vosso Filho Jesus seja sempre meditada e seguida todos os dias de nossa vida.
Honra, louvor e glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo: Trindade Santíssima. Amém.




DIA DO DESAFIO movimenta milhares em CM


Na Praça São José, mais de 300 pessoas participaram do Dia do Desafio 2009. A programação foi iniciada com uma caminhada pelas ruas e avenidas centrais e também com aulas de ginásticas e atividades diversas em várias empresas no evento coordenado pelo Sesc.
Na foto abaixo o Dia do Desafio no centro da ciadde e ao lado, os funcionários da Coamo participando na administração central do Dia do Desafio que teve o tema “Você se mexe e o mundo mexe junto”.
O Dia do Desafio consistiu na prática de atividade física por no mínimo 15 minutos e é vencedora a cidade que reuniu o maior número de pessoas atingindo os objetivos de saúde e qualidade de vida.
No caso da Coamo, os funcionários estão praticando diariamente a ginástica laboral, que vem sendo realizada há mais de 10 anos nos ambientes da cooperativa, fazendo parte do Programa de Qualidade "5S". Ontem, somente em Campo Mourão, cerca de 1.300 funcionários nas diversas áreas da cooperativa driblando a inatividade e o sedentarismo.

CHUVA E GOLS na goleada do Sport ontem no RB

Apenas 25 pessoas testemuinharam e vibraram com a goleada do Sport por 5 a 1 contra o Maringá Iguatemi, na noite fria e chuvosa de ontem, no estádio Roberto Brzezinski.
Merecem elogios não só a equipe do Sport que venceu a segunda partida na "segundona" e acumula cinco derrotas no total, mas também, o profissionalismo e a competência da equipe esportiva da Rádio Rural AM, pelo apoio e transmissão dos jogos do Leão do Vale.
Ganhar de time maringaense é sempre motivo de comemoração, não importando a modalidade e a categoria, seja na primeira ou na segunda divisão, como aconteceu ontem. Viva!
Cinco vagas já estão definidas para a segunda fase (Serrano, Roma, Operário, Portuguesa Londrinense e Arapongas) . Restam duas rodadas apenas e a última vaga passa a ser disputada por Francisco Beltrão (8 pontos), Sport (6) e AFA/Umuarama (4).
O Sport tem chances, mas tem que vencer domingo o Umuarama/Foz, no RB, torcer contra o Beltrão e buscar a classificação lá em Francisco Beltrão na última rodada.
O presidente do Sport, Luiz Carlos Khel, está mais animado e acredita na classificação, principalmente porque deve anunciar hoje um patrocínio de empresários mourãoenses para os jogos finais da primeira fase.
Mas, com duas vitorias, parece que felizmente, o Sport se não perder mais não será rebaixado à terceira divisão e ainda pode se classificar entre os seis melhores da "segundona". Viva!

27 de mai de 2009

TAÇA PARANÁ SUB-11: CM Futsal disputa sábado e domingo o Paranaense em Curitiba


A foto ao lado é de ontem a noite tirada por este blogueiro ginasinho do Colégio Estadual Urupês apresenta a equipe Copel/Urupês/A. Tagliari de Campo Mourão que neste sábado e domingo estará em Curitiba disputando a Taça Paraná de Futsal categoria Sub-11.
Campo Mourão está no grupo B e jogará no sábado às 16 horas contra o perdedor de AABB (Curitiba) e Associação Monte Sion (Paranaguá). e no domingo, às 9h30 diante do vencedor do jogo de sexta-feira.
O time mourãoense, fruto da união entre as escolinhas da Copel e da Urupês conta com o apoio da Fecam e de várias empresas, além dos pais que não medem esforços para incentivar seus filhos na prática e na evolução do futsal. A frente da equipe os professores Ronaldo e Rinaldo "Gordo" Silva. A delegação viaja na tarde de sexta-feira para a capital paranaense, confiante em uma boa jornada na Taça Paraná de Futsal Sub-11, que tem mais de 20 equipes participantes na primeira fase.
Vale lembrar que em 2008 os professores recolocaram Campo Mourão na trajetoria do futsal paranaense categorias Menores, fato que não acontecia há mais de 20 anos, desde os bons tempos da Associação Tagliari.
Nas fotos abaixo, detalhes do treino em preparação para a Taça Paraná realizado na noite de ontem no ginásio do Colégio Urupês.
Boa sorte, boa viagem e boa classificação em Curitiba, para orgulho do nosso futsal.




PAPO DE FÉ: A alegria dos crismandos na Capela Nossa Senhora do Perpétuo Socorro


O domingo, 24 de maio de 2009, ficou marcado para sempre no coração e na fé de mais de 40 adolescentes participantes da Capela Nossa Senhora do Perpétuo Socorro - com certeza, uma futura paróquia nos próximos anos- pertencente ao Santuário Diocesano Nossa Senhora Aparecida, em Campo Mourão. Eles receberam a confirmação do sacramento do Crisma na celebração presidida pelo bispo diocesano dom Francisco Javier, que pela primeira vez esteve na capela.
O padre José Carlos - na foto ao lado do bispo Javier-, juntamente com a comunidade, catequistas, pais e crismandos, também estava muito feliz e emocionado com a celebração e a qualidade na organização e preparação dos catequistas e da comunidade.
O CRISMA é o sacramento que confere a efusão do Espírito Santo para quem já é batizado. E bispo no rito do Crisma diz o nome do crismando e "... recebe, por este sinal, o dom do Espírito Santo."
Segundo a Igreja, pelo sacramento do Crisma os fiéis são vinculados mais perfeitamente a ela, enriquecidos de força especial do Espírito Santo ed assim, são verdadeiras testemunhas de Cristo.
Na foto ao lado, o Ministério da Música - um show à parte - na Capela Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, que fica na Vila Rio Grande, próxima ao Jardim Copacabana.
Dom Javier, na sua homília, lembrou as palavras do Papa Bento XVI e disse aos crismandos: "Não tenham medo de Cristo, coloque nas mãos dele a sua saúde e inteligência. Ele não vai tirar nada de vocês, muito pelo contrário, ele vai dar tudo para vocês. Acredite nisso e vocês encontrarão o verdadeiro sentido da vida."
Com sabedoria, o nosso bispo diocesano manifestou aos jovens a
importância da caminhada na Igreja e que o sacramento
do Crisma não é o "sacramento do Tchau".
Dom Javier disse: "Ser cristão não é mais um compromisso, mas ser cristão é nossa vida. Deus está presente no meio de nós e oferece a sua salvação a cada um, cabe a nós acolhê-lo na fé e na confiança e se tornando-se discípulo e discípula do cristo ressuscitado."
Nas fotos abaixo, o grande número de fiéis na c elebração e os adolescentes que após cinco anos de catequese receberam o sacramento do Crisma, que com a ação do Espírito Santo, renova, fortalece, ilumina e abre nossas mentes. Viva os crismandos, catequistas, pais e a comunidade cristã.

NA DIVISÃO DE ACESSO hoje a noite tem jogo dos lanternas no RB


A diretoria do Sport Club Campo Mourão não conseguiu antecipar para às 19 horas o jogo desta noite contra o Maringá Iguatemi, pela Segunda Divisão. Então, o jogo entre os dois últimos colocados do Paranaense será mesmo às 20h30, no estádio Roberto Brzezinski, em Campo Mourão.
A foto ao lado do colunista Diego Reis - um apaixonado pelo esporte como este blogueiro que lamenta e muito a falta de apoio e a situação atual do nosso futebol profissional- mostra bem há alguns anos, num jogo da Adap e Paranavaí, com vitoria mourãoense, como era o ânimo e a alegria dos mourãoenses em domingo de futebol.
Boas lembranças que, convenhamos dificilmente voltará , mas torço que esteja fazendo a leitura errada.
Só para refrescar, em 2010 o glorioso Londrina estará na "segundona" do futebol paranaense e se alguém quiser retomar o futebol de Maringá será ainda pior: terá que começar tudo de novo e pela série C, a terceira divisão. Então, que o Sport vença os seus três jogos e não seja rebaixado, porque senão será o fim do nosso futebol profissional.

26 de mai de 2009

É do bolão feminino a mais nova celebridade do Tocando de Primeira


O seria apenas uma entrevista na vida da bandeirantina Adenilda Rosa Lemes, foi na verdade um sábado emocionante que ficará para sempre guardado em sua mente e em seu coração.
Ao lado do esposo Jairo Padilha, e dos colegas de bolão Adir dos Santos e Lárcio Zarske, Adenilda -funcionária do Detran em Campo Mourão há mais de 20 anos, que tem no bolão seu esporte-hobby nas horas vagas, foi homenageada no programa Tocando de Primeira, edição 824, apresentado no último sábado (23) pela rádio Rural AM.
Do programa, participaram ao vivo o irmão Jad, que também compareceu no estúdio para entregar flores; a irmã Maria e a mãe Virgínia, direto de Bandeirantes - sua cidade natal, no norte pioneiro do Paraná- e seu filho Jeferson, de Maringá, além do amigo José Berbet, de Campo Mourão.
"Não queria vir ao programa, porque tenho medo de microfone e fujo de entrevistas, mas foi emocionante. Jamais esquecerei esse carinho todo e essa homenagem que foi muito bonita e marcou minha vida", disse ao jornalista Ilivaldo Duarte.
Adenilda é sem dúvida alguma, a principal bolonista do time feminino em Campo Mourão, com excelentes médias nas competições e um exemplo de que a determinação, disciplina e muita vontade podem fazer sucesso também no esporte.
Viva a Adenilda e o bolão mourãoense!

Adenilda, ao lado do irmão Jad, do esposo Jairo e dos amigos Adir e Laércio, do Bolão.

NA LUTA POR UMA VAGA, CM Futsal tem três jogos fora e dois em casa



Com 10 pontos ganhos resultado de três vitorias, um empate e seis derrotas, das quais metade em casa, a luz laranja está acesa no time no Campo Mourão Futsal. Agora, o time terá que vencer seus dois jogos em casa (Paranavai e Cianorte), mas antes atuará duas vezes fora de casa contra o São Miguel e o Cascavel, e encerrará a primeira fase em Medianeira.
O trabalho do técnico Fábio Ricardo começa a ser criticado não só pela imprensa, mas também pelos torcedores, que não admitem ver o time perder jogando mal e desperdiçando chances de gols, como aconteceu diante do Francisco Beltrão.
Caso venham tropeços fora de casa nas duas rodadas seguintes, o time mourãoense correrá riscos de ficar de fora da segunda fase. É bom lembrar que dos 16, somente quatro times ficarão de fora da outra etapa. É professor Itamar Tagliari, (foto) - o craque da camisa 2 da Associação Tagliari e Seleção Mourãoense, como digo sempre: "Bom mesmo é ganhar!"

A classificação da Chave Ouro do futsal paranaense está assim: 1º - Marechal Rondon (29 pontos, 12 jogos, 9 vitorias, 2 empates e 1 derrota). 2º - Umuarama (23 pontos, 10 jogos, 7 vitorias, 2 empates e 1 derrota). 3º - Cascavel (22 pontos, 12 jogos, 7 vitorias, 1 empate e 4 derrotas) 4º - São Miguel (20 pontos, 11 jogos, 6 vitorias, 2 empates e 3 derrota) 5º - Maringá (20 pontos, 11 jogos, 5 vitorias, 5 empates e 1 derrota) 6º - Londrina (19 pontos, 11 jogos, 5 vitorias, 4 empates e 2 derrotas) 7º - Foz do Iguaçu (18 pontos, 12 jogos, 5 vitorias, 3 empates e 4 derrotas). 8º - Guarapuava (16 pontos, 10 jogos, 4 vitorias, 4 empates e 2 derrotas). 9º - Francisco Beltrão (15 pontos, 11 jogos, 4 vitorias, 3 empates e 4 derrotas) 10º - Paranavai ((14 pontos, 11 jogos, 4 vitorias, 2 empates e 5 derrotas). 11º - Paranaguá (12 pontos, 10 jogos, 4 vitorias, 0 empates e 6 derrotas). 12º - Campo Mourão (10 pontos, 10 jogos, 3 vitorias, 1 empates e 6 derrotas). 13º - Paraná Clube (10 pontos, 11 jogos, 3 vitorias, 1 empate e 7 derrotas) 14º - Pato Branco (08 pontos, 11 jogos, 2 vitorias, 2 empates e 7 derrotas). 15º - Medianeira (06 pontos, 11 jogos, 2 vitorias, 0 empate e 9 derrotas). 16º - Cianorte (03 pontos, 10 jogos, 1 vitoria, 0 empate e 9 derrota). Fonte: Federação Paranaense de Futsal

PAPO DE BELEZA: A rainha e as princesas da Festa do Carneiro 2009


O BLOG postou ontem em primeira mão que a mourãoense Patrícia Nunes Correia (foto) é a Rainha da 19ª Festa Nacional do Carneiro no Buraco. E hoje, informo que Fernanda Poma Nunes e Tatiane Francielli Vieira foram eleitas princesas da festa que a exemplo dos anos anteriores promete reunir milhares de pessoas daqui e de várias regiões do Brasil.
Do Concurso para escolhar a Rainha da 19ª Festa Nacional do Carneiro no Buraco, promovido pela Fundação Cultural participaram 14 candidatas.
A coroação e a entrega das faixas será no dia 12 de junho, no lançamento da Festa Nacional do Carneior no Buraco no salão de eventos Celebra.
Patrícia, 22, Rainha da festa é empresaria; Fernanda tem 17 anos, estagiária em escola e cursa Pedagogia; Tatiane Francielli tem 16 anos e é estudante.
Nas fotos abaixo, a Rainha e as princesas ao lado da secretária Sonia Singer; e todas as candidatas em pose oficial.



25 de mai de 2009

IMAGENS de campeões no Interclubes 2009

A modalidade de futebol suíço foi encerrada na Aertcam na tarde/noite de sábado (23) nos 22º Jogos Interclubes de Campo Mourão, com a Arcam vencendo nas categorias Livre, Master e Sênior, e o Clube dos 30 faturando o Veterano.
Nas fotos abaixo, posto algumas imagens que registrei em várias associações durante os jogos, que é o maior no âmbito poliesportivo do Município integrando e agregando dirigentes, atletas e torcedores, apaixonados pelo futebol e pelo nosso esporte. Viva!

Momento inesquecícel: Ádio homenageado com o troféu Tocando de Primeira, recebendo do "Embaixador" do Clube dos 30, José Tomadon , na primeira homenagem do programa entregue fora do estúdio. Viva o Ádio! Viva os 30!

Luiz Garcia, um dos maiores quarto-zagueiros da historia do nosso futebol, com o troféu da Assercam, de vice-campeão no suíço Veterano.

Capitão Jader, do Sênior da Arcam: momento de glória, ao lados dos companheiros. "Bom mesmo é ganhar!"


Média de Campeão: Wagner Silva e Luiz Vanderlei Pereira, da Arcam, campeões no futebol suíço Sênior, merece os parabéns. São duas pessoas importantes e talentosas com quem tive o privilégio de atuar na Comissão Técnica da Arcam pela segunda vez nos Jogos Interclubes (Nos anos de 2007 e 2009, em duas temporadas vitoriosas e abençoadas: 100%)

Professor Maurício Fabri, da Fecam: elogios pela organização, habilidade e motivação na coordenação do Interclubes. A cada ano que passa vai adquirindo maior maturidade, experiência e fazendo historia no esporte mourãoense.
Quatro personagens reconhecidamente importantes e na historia do nosso esporte: Santo Antonio, Ádio (só deu você hoje no BLOG heim!), Jair Sequinel, o "Jajá" e João Carlos Marques, o "Tiguéra". Olha o 30 aí o genteeeeee!

Três gerações no nosso futebol e futsal, entrevistados sábado (23) no programa Tocando de Primeira, na Rádio Rural AM: os irmãos Tanaka (Valtencir) e Lobozinho (João Carlos), ao lado do pai Lobó (Aparecido Garcia) - isso nunca havia acontecido na historia da vida deles; Dirlei Alves e Cláudinho (Cláudio Telles Lima, com quem tive o privilégio de conversar no segundo tempo do programa de número 824, no inesquecível sábado de 23 de maio de 2009.