8 de nov de 2009

ENTREVISTA DE DOMINGO: Ely Rodrigues


Ely Rodrigues Daniel é uma das grandes revelações de todos os tempos no rádio do interior paranaense. Por ocasião do Dia do Radialista, comemorado em 7 de novembro, ele recebe esta homenagem e conta neste BLOG um pouco da sua história e da sua vida.
Nascido em Peabiru, ele diz como começou a sua carreira e jornada profissional, aponta dois "culpados" da sua iniciação no jornalismo, primeiro na Rádio Humaitá e depois na rádio Rural.
Ely também elenca grandes radialistas que não estão mais atuando e diz quem foi a sua grande inspiração - radialista que está afastado do microfone por problemas de saúde.
Para este importante comunicador, líder de audiência em dois horários na rádio Rural FM e AM de segunda a sábado no rádio mourãoense, "O rádio no Brasil de um modo geral perdeu a criatividade, perdeu a emoção. O rádio vai continuar existindo, e em futuro próximo para concorrer com as novas mídias é preciso ter mais criatividade.
Ely Rodrigues, na ENTREVISTA DE DOMINGO.
Uma ótima leitura para você amigo leitor. Um ótimo domingo e uma excelente semana repleta de das graças e bençãos de Deus. Viva!
QUEM É ELY RODRIGUES DANIEL?
asci em Peabiru no dia 15 de janeiro de 1964. Filho de Dirceu Pinto Daniel (falecido em 2006), e de Luiza Rodrigues Daniel (ouvinte do Tocando de Primeira), casado com a professora Rosiane Cristina Pereira do Nascimento Daniel desde 1990. Moro em Campo Mourão desde 1970.
ONDE E COMO FOI SUA INFÂNCIA? Até os 6 anos (foto) em Peabiru e depois em Campo Mourão. Foi bastante atlética. Muitas brincadeiras de correr, futebol, handebol, natação, atletismo, gostava de ler gibis de Walt Disney e revistas como Placar, Veja, Manchete. Assistia desenhos e seriados como Batman, Túnel do Tempo e Terra de Gigantes. Freqüentava o cinema todos os domingos na matinêe. Sempre fui aficcionado por filmes, som e tecnologia. Tive meu primeiro gravador aos 10 anos (1974) e o primeiro vídeo game em 1977 (telejogo Philco). Também sempre adorei ouvir rádio. Sou fã de música.
COMO O SENHOR SE DEFINE? Sou fã da natureza e dos animais. Gosto de crianças e de pessoas da terceira idade que têm muito para ensinar. Ficou feliz quando alguém faz sucesso através de sua luta. Não tenho ganância por bens materiais. Se tiver dinheiro e der para comprar, tudo bem... ONDE O SENHOR ESTUDOU E QUE CURSOS FEZ? Fiz os quatro primeiros anos (primário no Colégio Marechal Rondon). O ginásio de 5 a 8ª fiz no Marechal Rondon e Unidade Polo.
O segundo grau (ensino médio) (Magistério no Colégio Estadual). Não fiz curso superior por que na época não havia o curso que gostava. Não me sinto bem fazendo o que não gosto. Com certeza teria ido à Faculdade no máximo três meses. Na época não tinha condições de uma faculdade fora de Campo Mourão. Hoje Campo Mourão tem muitas opções em cursos. Quem sabe logo, logo eu faça um deles.
Fiz cursos dentro da minha profissão como marketing político (Maringá). Curso de redação para jornalismo em Rádio (Porto Alegre – Rádio Gaúcha). Curso de redação para textos publicitários rádio (Bauru – São Paulo). Curso “Definindo o que o ouvinte quer ouvir” (Brasília) Curso de interpretação (Rádio Bandeirantes – São Paulo) entre outros.
QUAL FOI SUA TRAJETÓRIA PROFISSIONAL? Aos oito anos de idade fui balconista de uma mercearia chamada Irmãos Coragem na avenida Goioerê (não existe mais). Na época eu fui convidado para ler mensagens em favor da candidatura a prefeito do candidato a prefeito Renato Fernandes Silva (1972).
Dos 9 às 10 anos entregava o jornal o Estado de São Paulo de casa em casa. Fazia isso de manhã e estudava a tarde. Dos 11 aos 12 anos, vendia frutas em uma barraca instalada em frente a antiga Santa Casa na rua Brasil (perto do Cine Plaza).
Dos 13 aos 17 anos trabalhei como balconista na casa lotérica Mourão em frente ao antigo Riomar (na rua Mato Grosso). Na época só havia loteria esportiva e sem tecnologia. A gente furava os cartões dos apostadores. Na foto à direita, encontro com, Rafael Greca, um dos políticos que imitou na sua carreira.
Dos 18 aos 20 anos fui repórter esportivo da Rádio Humaitá. Lá também apresentei e redigi programas jornalísticos e populares.
Em 1983 fui convidado para montar e apresentar o Jornal do Meio Dia na Rádio Colméia. Em 1984 fui assessor de imprensa do então prefeito José Pochapski. Em 1985 e 1986 trabalhei na Assessoria de Imprensa da Coamo.
Em 1987 voltei para a Rádio Humaitá para assumir um programa jornalístico das 8 às 9 e um programa a tarde. Na foto, fazendo programa na Praça São José para ajudar as pessoas.
Em 1988 entrei na Rural FM onde estou até hoje com o Jornal da Rural FM.
DESDE QUANDO É RADIALISTA E QUEM FOI O “CULPADO”?. Na verdade são dois culpados. O ex-vereador Roque de Freitas (foto) meu vizinho, em 1977 me levava na Rádio Colméia para ensinar a controlar a mesa de som. Esse fato me fez gostar de rádio. E depois em 1981, o Luiz Carlos Khel, que fazia programa esportivo solicitou que eu fosse um repórter dele acompanhando torneios pelos bairros. Acabei ficando no rádio começando pela Rádio Humaitá.
NO ESPORTE, JOGOU ALGUMA MODALIDADE? QUAL? O que mais pratiquei foi futebol. Até os 22 anos mais ou menos. Joguei Handebol, pratiquei natação, atletismo, basquete. Na foto, Ely, aos 15 anos treinando Karatê, com um vizinho praticante da modalidade.
QUAL O SEU ESPORTE PREFERIDO, TIME DO CORAÇÃO E ÍDOLO? Meu esporte preferido são as corridas da Nascar (Americana) aqueles ovais onde os carros chegam aos 400 quilômetros por hora. Gosto das 500 milhas de Indianápolis, realizada uma vez por ano. Gosto de assistir futebol, mas depende da partida. Copa do Mundo faço de tudo para não perder. Meu time do coração é o São Paulo Futebol Clube. Meu ídolo é Ayrton Senna (foto).
QUAL PROJETO GOSTARIA DE REALIZAR QUE AINDA NÃO FOI? Ter uma rádio minha...ehehe!!!
NA SUA OPINIÃO, QUAL É A REALIDADE DO RÁDIO EM CM? POR QUÊ EXISTE CARÊNCIA DE NOVOS VALORES? O rádio no Brasil de um modo geral perdeu a criatividade, perdeu a emoção. Hoje, em muitos casos, o radialista faz o programa para ele e não para o ouvinte. Um grande erro hoje, é achar que o ouvinte está interessado em qualquer assunto e vai ficar com o rádio ligado.
QUAL SERÁ O FUTURO DO RÁDIO? ELE CONTINUARÁ SENDO VEÍCULO DE MASSA? O Rádio vai continuar existindo, mas em um futuro próximo para concorrer com as novas mídias é preciso ter mais criatividade. Precisa envolver a sua comunidade. O Rádio também precisa atingir os jovens da era da internet. O futuro do rádio amanhã vai depender desses jovens. Eles serão os donos das empresas anunciantes. Eles serão os futuros ouvintes.
SENDO UM DOS RADIALISTAS MAIS ANTIGOS EM ATIVIDADE COMO SE SENTE COMO UMA CELEBRIDADE RECEBENDO HOMENAGEM NESTE BLOG? Bom, primeiro não sou celebridade. Fico feliz de ser lembrado para dar minhas opiniões, muito embora, tenham pessoas que não concordem. Ely Rodrigues foi homenageado como Celebridade no programa Tocando de Primeira, edição 734, quando recebeu o troféu do professor José Eugênio Maciel.
QUAIS RADIALISTAS APONTA COMO OS MELHORES QUE JÁ ATUARAM OU ATUAM NO RÁDIO MOURÃOENSE? Vou citar apenas de rádio AM que já não estão mais atuando: Anísio Moraes, Antonio Kienen, Zé Mané - o terceiro na foto abaixo da direira para à esquerda; Tavares, Marco Antonio e Willie Bathke Júnior - o segundo da direita para à esquerda na foto abaixo, que apresenta alguns dos primeiros locutores do rádio mourãoense. Atualmente temos bons radialistas e não quero cometer injustiças.
QUE RADIALISTA É EXEMPLO? POR QUÊ? Um exemplo de radialista foi Anísio Moraes.- Na foto, com Ely em uma das muitas presenças na sessão da Câmara Municipal, na década de 80. O Anísio tinha uma capacidade de antecipar o que o ouvinte desejava escutar (isso falta muito hoje). No rádio você precisa conversar com o seu ouvinte como se estivesse falando com cada um deles e não para uma platéia. Anísio Moraes dava a impressão que estava ao lado do ouvinte. Outro fato que considerava fundamental no programa dele era o entrelaçamento dos assuntos. Ele seguia uma linha de conteúdo que não se misturava. Cada tema era apresentado numa seguência.
E graças as suas muitas fontes e suas pesquisas o conteúdo era praticamente inédito que forçava o ouvinte a ficar ligado até o último minuto.
QUAL TRANSMISSÃO QUE O SENHOR FEZ FICOU NA SUA HISTÓRIA? E QUAL, SE PUDESSE VOLTAR NO TEMPO JAMAIS TERIA FEITO? A que ficou na história, foi uma transmissão ao vivo de Curitiba, quando usei o telefone no Palácio Iguaçú na sala do então governador Álvaro Dias e anunciei: “O município de Luiziana acaba de ser emancipado” e em seguida entrevistei o governador. Tomei conhecimento mais tarde que assim que anunciei a emancipação foi um foguetório no então distrito de Campo Mourão. Todos estavam aguardando naquele dia se o governador assinaria ou não a emancipação.
A transmissão que jamais teria feito foi nos anos 80, quando a PM cercou bandidos dentro de um mercado e resolvi transmitir ao vivo no orelhão. O problema é que o orelhão ficava entre o mercado onde estavam os bandidos e os policiais. No meio da transmissão começou um tiroteio e duas balas acertaram o orelhão. Mas estou vivo (graças a Deus)...
O RÁDIO É... O companheiro em todos os lugares.
ANÍSIO MORAES.... Foi uma das minhas inspirações. (Anísio, na foto, ao lado de Gerson Maciel, na reestreia do programa Tocando de Primeira, na Fiorella, wem 24 de fevereiro de 2007).
O MOMENTO ATUAL DA SUA VIDA É... Torcendo para o São Paulo ser campeão e para minha filha passar de ano na Faculdade de Educação Física.
O QUE O SENHOR AINDA NÂO FEZ QUE SE TIVESSE CONDICÕES, GOSTARIA DE FAZER? Pilotar um carro de Fórmula Um. Ser levado ao espaço naquelas espaçonaves americanas.
QUAL É O SEU FUTURO NO RÁDIO E NA IMPRENSA? Por enquanto vislumbro continuar com o Jornal da Rural e a Coluna do Ely na internet.
QUAL O MELHOR TIME QUE O SENHOR JÁ VIU JOGAR? O São Paulo entre os anos de 91 e 92.
CITE TRÊS PERSONALIDADES ESPORTIVAS DE CAMPO MOURÃO? Pelo que fizeram pelo esporte e pela divulgação de Campo Mourão quando a cidade era pouco conhecida: Toda a família Tagliari, Ari Mateus, e todos os nossos ex-atletas do Handebol e Futsal. Na foto, equipe de handebol nos JAP`s de 1998, em Cascavel.
CITE TRÊS PERSONALIDADES (FORA DO ESPORTE) DE CM? Eu considero que cada pessoa que realiza o seu trabalho e até o pai e a mãe são personalidades dentro de suas áreas. Não acho que ninguém seja melhor que o outro. Sem gari e cidade fica suja. Sem pedreiro não tem construção. Sem empresários não existem empregos. Sem repórteres não existem notícias. Todos são personalidades desde que cumpram bem o seu papel na sociedade.
AMIGOS DE CONFIANÇA....Vários.
A CAMPO MOURAO DO PRESENTE É: Poucos ricos, classe média razoável e muitos pobres. Precisamos de projetos e programas para elevar o nível de renda da maioria dos nossos moradores.
A CAMPO MOURAO DO FUTURO SERÁ.... O futuro se constrói todos os dias no presente. A Campo Mourão do futuro será aquela que estamos fazendo hoje.
O GOVERNO NELSON TURECK É.... Ótimo, bom, regular dependendo do setor.
O GOVERNO LULA É.... O presidente mais otimista que eu já vi. Esse otimismo é transferido à população. É como um bom vendedor. Você compra um produto se o vendedor expor as vantagens e não os defeitos. Os defeitos você verá depois que comprou. Alguns vão encontrar os defeitos outros não.
QUAL O SENTIMENTO DE RECEBER ESTA HOMENAGEM E PARTILHAR UM POUCO DA SUA VIDA E DA SUA HISTÓRIA? É um raro momento em que a gente pode expor os nossos pontos de vista. Esse espaço que você proporciona faz com que possamos conhecer o interior das pessoas.
QUAL O RECADO PARA OS LEITORES DO BLOG?
Não é a natureza que depende de nós...Somos nós que dependemos dela..Não é a árvore que depende de nós. Somos nós que dependemos da árvore.

6 comentários:

  1. Parabéns Ilivaldo pela entrevista.
    Parabéns a vc e a todos os radialistas pelo seu dia e também ao Ely pela homenagem e pela entrevista.
    O Ely conseguiu tornar o Jornal da Rural FM um programa atraente e um dos, senão o mais, ouvidos em Campo Mourão e região. As suas tiradas com um certo humor e irreverência, além de alguns questionamentos que pegam os entrevistados de surpresa, fizeram e fazem do seu programa o sucesso que é.
    Parabéns Ely pela sua competência e criatividade na divulgação dos fatos e eventos de Campo Mourão e região. Muita saúde e paz, e de repente que possa um dia acertar a tão sonhada Mega Sena que vc divulga semanalmente e a persegue a tanto tempo.
    Carlão

    ResponderExcluir
  2. Ilivaldo,
    Homenagem mais que merecida ao Ely, profissional competente e dedicado. Há anos sou
    ouvinte do programa que ele, com muita responsabilidade apresenta todos os dias na Rural AM/FM. Entrevistas, noticias e informações são apresentadas com muita seriedade. Além do rádio, tambem acesso a Coluna do Ely e claro, não deixo de ver o Blog do Ilivaldo. Sucesso, vida longa, paz e saúde a vcs dois que tão bem nos informam diariamente. Abçs. JAIRO PADILHA

    ResponderExcluir
  3. Ilivaldo,parabéns pela entrevista o Ely Rodrigues é um baita de um profissional.

    Tudo de bom Sebastião Galdino.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pela homenagem ao Ely, sou fã dele e o considero, não pelo fato de ser de Campo Mourão, um dos melhores do Brasil. Mas, o legal desta homenagem foi perfilá-lo pela sua verdadeira profissão, a de radialista (!). Algum tempo atrás, neste blog, o mesmo fora tratado como "jornalista" e fiz um breve comentário que fora simplesmente deletado pelo administrador deste veículo... Parabéns aos radialistas e ao Ely...

    Paulo Cesar da Silva

    ResponderExcluir
  5. sp. parabens elivaldo,e ao eli rodrigues que é um senhor de um profissional, não apenas um locutor
    de campo mourão,mas sim a nivel de brasil.
    sou mouraoense moro em sao paulo a 15 anos,
    sempre que posso acompanho o trabalho do eli
    tambem sou profissional do radio,locutor e sonoplastia formado pela radioficina em sp,
    e atuo aqui em sp sou locutor publicitário,meu sonho é um dia trocar o microfone c/ esse profissional eli rodrigues,um forte abraço sucesso....

    ResponderExcluir
  6. jornal da t sem ely rodrigues é o mesmo q jogo da seleçao brasileira sem galvao bueno

    ResponderExcluir