7 de nov de 2009

COLUNA DO NERY THOMÉ: O câncer de mama e os males da verborreia

Vivemos num país onde o brasileiro consegue fazer piada de tudo. Talvez seja esse o segredo que faz de nós, brasileiros, um povo tão pacífico e alegre. Conseguimos rir de toda e qualquer situação, mas também de toda e qualquer desgraça.
Neste sentido, é comum que certos acontecimentos virem motivo de chacotas, gracinhas e até e-mails trocados na rede mundial de computadores, rindo desta ou daquela situação, que em qualquer país seria motivo de vergonha.
A área política, por exemplo, é profícua em produzir artilharia para os piadistas de plantão, como o topete do ex-presidente Itamar Franco ou ausência de roupas íntimas de sua acompanhante; a falta de um dos dedos da mão de nosso presidente; e assim por diante.
As frases ditas por este ou aquele representante eleito pelo povo muitas vezes entram no gosto dos gracejos nacionais, algumas virando até parte da história de nosso país, como a atribuída ao ex-presidente Jânio Quadros: "bebo-o porque é líquido, se fosse sólido comê-lo-ia ", até hoje citada aqui e ali.
Pois bem. Recentemente, a chamada reunião semanal do Governador Roberto Requião, conhecida como “escolinha”, foi palco de uma gafe que logo foi transformada em manchetes dos principais veículos de comunicação do país.
O Governador comentou sobre os números crescentes de câncer de mama entre as mulheres, corrigindo, logo em seguida, que a doença também vitimava os homens. Até aí tudo bem, mas então Roberto Requião comentou que a ocorrência da doença entre os homens deveria ser motivada pelas passeatas gay.
A afirmação não apenas causou polêmica, repudia e protestos, como já se tornou um dos vídeos mais acessados do You Tube. Em nota, o Governador tenta explicar o inexplicável, principalmente sendo ele um chefe do executivo paranaense. “O tom lúdico que usei no lançamento da campanha de prevenção do câncer de mama, entre mulheres e homens, acabou provocando uma onda de recriminações. Quando me referi às paradas da diversidade, ocorriam-me os riscos que o abuso de hormônios femininos, com fins terapêuticos ou estéticos, representam para a saúde. Entre os riscos, o câncer de mama. Em razão disso, estou sendo impiedosamente criticado” .
A verborreia, ou seja, diarreia verbal, sempre foi uma característica de Requião, que nem os anos ou diversos mandatos políticos atenuaram. O que mais nos aflige é que as pessoas consigam fazer piadas e gracejos com este tipo de acontecimento, pois são com frases assim, utilizadas, nas palavras do Governador, de maneira lúdica, que se reflete o preconceito enraizado em nossos corações, o mesmo preconceito que origina outras brincadeiras tão ou mais prejudiciais. O mesmo preconceito que faz com que os gays sejam assassinados e perseguidos em nosso país.
Já dizia Martin Luther King que o que mais o preocupava não era o grito dos violentos, dos corruptos, dos desonestos, dos sem caráter e dos sem ética. “O que mais me preocupa é o silêncio dos bons”. A mim também
Nery José Thomé é engenheiro agrônomo e jornalista, presidente da Associação Brasileira dos Jornais do Interior - ADI-Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário