8 de jun de 2009

PAPO DE ACADEMIA com o fundador Gilmar Cardoso


O 7º ANO DA AML
A Academia Mourãoense de Letras (AML) comemora hoje (8 de junho) o seu 7º aniversário de fundação. A Academia foi fundada em 8 de junho de 2001, instalada em 21 de maio de 2002 e tem atualmente na presidência a dinâmica professora, escritora e poetisa Cida Freitas. A convite do BLOG, Gilmar Cardoso (foto), um dos fundadores e titular vda cadeira número 01 escreve sobre esta importante instituição.
A Academia Mourãonse de Letras (AML), cujo evento memorável da entidade foi realizado em 2002 no Teatro Municipal de Campo Mourão, presidido pelo acadêmico Dr. Túlio Vargas, da Academia Paranaense de Letras, quando empossou solenemente os primeiros dez membros fundadores e seus respectivos patronos de cadeiras, bem como oficializou o professor Rubens Luiz Sartori como sendo o primeiro presidente da AML, coroando o trabalho desenvolvido pela comissão de implantação presidida pela professora Sinclair Pozza Casemiro.
O Estatuto da novel instituição literária local começou com a afirmativa que a Academia tem por finalidade, o cultivo, a preservação e a divulgação do vernáculo e da literatura, nos seus aspectos científico, histórico, literário e artístico, podendo participar de iniciativas úteis ao desenvolvimento cultural de Campo Mourão, do Paraná e do Brasil.
A Academia de Letras de Campo Mourão, pioneiramente, foi formada pelos patronos Adinor Cordeiro de Souza, Nelson Bitencourt Prado, Eloy Maciel, Dom Elizeu Simões Mendes, Dickson Fragoso Veras, Constantino Medeiros, Horácio Amaral, Nickon Kopko, Aracyldo Marques e Ethanil Bento de Assis.
Por ocasião do seu primeiro aniversário, ganhou o reforço considerável de Domingos José de Souza, Roberto Brzezinski, Pe. Pedro Poleto, Alvino Cordeiro, Brazilizio Pereira de Lima e Eulália Carneiro de Campos. Os acadêmicos, popularmente chamados de "imortais”, pela ordem de ocupação das cadeiras, Gilmar Cardoso (foto acima), Francisco Irineu Brzezinski, José Eugênio Maciel, Agnaldo Feitoza, Osvaldoir Capeloto, Elza Paulino de Moraes, Rubens Luiz Sartori, Cida Freitas, Clara Araújo e Amani Spachisnki de Oliveira.
Passaram dos primeiros 10 para 16, com a posse dos novos confrades e confreiras, denominação dada aos membros efetivos nas sessões mensais da instituição, por ocasião da comemoração do primeiro ano, acrescida por Gilson Mendes de Góis, Aparecida Maura dos Santos, Benedita Cristófoli, Sinclair Pozza Casemiro, Bernardo Mattos e Edina Simionato.
No segundo ano da AML, três novos valorosos confrades, todos com contribuição cultural para a cidade- adentraram para sentarem-se nas Cadeiras sob os números 17 – 18 – e – 19 -, Cujos Patronos homenageados “post-morten” com a designação foram: Antonio Kienen, Dom Virgilio de Pauli e João Maria Bueno. Pela ordem, a instituição contou com o ingresso de Aroldo Tissot, Padre Jurandir e do Professor Assabido. Sem contar, que nessa data, também foi lançado o Compêndio com uma seleção das obras de cada um dos então dezesseis integrantes, num livro com quase 200 páginas, editado pela Gráfica Unespar e impresso pela Sisgraf, que teve sua noite de autógrafos, juntamente com a posse da nova diretoria executiva que foi eleita para conduzir os destinos da Academia por um mandato de dois anos.
O terceiro aniversário, por sua vez, não menos importante, registrou a posse solene dos acadêmicos Sid Sauer e Osvaldo Broza, que lidam com as palavras através do site eletrônico boca santa e Jornal Entrerios, respectivamente; patronados por Antonio Renicz e Jonas Bento de Deus, também homenageados pela academia. O número de integrantes dessa honrada instituição literária chegou aos 21, data do seu aniversário.
No quarto ano a AML empossa sua nova diretoria para o biênio, sob a presidência do pioneiro jornalista local, Aroldo Tissot. De quebra, ainda oferece um novo livro para a comunidade e a espectativa de efervescência cultural aliada aos programas oficiais e da sociedade civil organizada.
Sob a batuta da poetisa Cida Freitas adentraram à AML, os acadêmicos João Maria de Lara, Jair Elias dos Santos Júnior e Luiz Mazucheti. E na noite de sábado (06/06), a casa recepcionou mais três novos membros: a professora Maria Joana Titton Calderari, Edvaldo Alves da Silva, o Pixote; e o de número 27 – Francisco Pinheiro,
Por tudo isso e muito mais, a Academia Mourãoens de Letras merece os Parabéns, pelos seus primeiros sete anos de vida. Viva!
Gilmar Cardoso é titular da cadeira nº 01 da Academia Mourãoense de Letras, tendo como Patrono Adinor Cordeiro de Souza.
NOTA DO BLOG: A primeira diretoria da AML foi composta por Rubens Luiz Sartori (Presidente), Cida Freitas (Secretária), Clara Araújo (Tesoureira) e Elza Paulino de Moraes (Responsável pela Biblioteca).
Para saber mais sobre a AML acesse o BLOG DO ILIVALDO DUARTE no http://www.ilivaldoduarte.blogspot.come
clique em ENTREVISTA DE DOMINGO: Cida Freitas

Nenhum comentário:

Postar um comentário